book_icon

Edge Computing como resposta para um mundo pós-pandemia e hiperconectado

Em plena Transformação Digital e funcionamento da Indústria 4.0 a coleta de dados é chave e deve ser altamente eficiente. A computação de borda, ou Edge computing, se apresenta como uma das grandes tendências tecnológicas indispensáveis para 2021.

É possível que em alguma ocasião você tenha notado um ligeiro atraso quando assiste a um streaming ao vivo; por exemplo, um evento esportivo. Um vídeo que “congela” justamente quando o jogador está a ponto de chutar e em seguida é retomado apenas para mostrá-lo celebrando com seus companheiros de equipe pode ser um pouco irritante. Isto é comumente conhecido como “latência”.

Esta latência é prioritária entre as coisas que são resolvidas através do uso de Edge Computing e ocorre devido à grande quantidade de atividade de dispositivos e de Internet das coisas (IoT), onde Edge Computing é a medicina para essa “dor digital”, eliminando grande parte de sua latência.

A definição de Edge Computing entende-se por processos tecnológicos que permitem o processamento de informação no dispositivo onde os dados estão sendo produzidos e consumidos. Segundo um estudo da Gartner*, 1 em cada 4 empresas globais (25%) melhorará o desempenho de seus data centers em 2021 com alguma aplicação de Edge Computing.

Esta tecnologia, ao invés de reenviar todos os dados gerados à Nuvem ou ao Data Center, qualifica os dados gerados e decide quais precisam de uma resposta imediata.

Em consequência, medidas imediatas são tomadas sobre os dados que precisam de uma resposta em tempo real. Ao aproximar esta computação do dispositivo IoT, a Computação de Borda (Edge) pode economizar custos, melhorar a velocidade e evitar a latência nas atividades dos dispositivos nos quais está instalada.

Mas, que benefícios traz à minha organização ou negócio? É um fato que esta tecnologia mudará o modo de produzir e oferecer serviços.

Por exemplo, permitirá que as empresas analisem em tempo real as tendências de compra dos consumidores, que melhorem as experiências de jogos online ou streaming; que melhorem o desempenho dos veículos autônomos e que as fábricas tenham uma manutenção preditiva instantânea, entre outros.

Se falamos da relação ou interação com os clientes, o cenário apresenta melhoras importantes. A interação com os clientes será maior e mais fluída. As empresas terão informação suficiente em tempo real para poder determinar qual é o momento e o espaço ideal para contatar cada consumidor.

Adotar soluções de Edge Computing será uma ação vital já que, diante do aumento de concorrência e os constantes estímulos aos quais cada pessoa está exposta, é extremamente difícil encontrar aquele instante em que a marca pode ter toda a sua atenção e projetar as necessidades do consumidor.

Edge Computing tornará mais simples a vida de todos, sobretudo a dos usuários ou clientes finais. Um smartphone poderá analisar ainda mais informação do que a que processa hoje ou conectar-se com mais dispositivos de formas mais eficientes.

Da mesma forma, tornará os sistemas de diagnósticos em hospitais e clínicas mais rápidos, para a tomada de decisões que poderia ser de vida ou morte em tempos em que as crises sanitárias globais demandam informação precisa e segura.

Por outro lado, dentro dos múltiplos benefícios que enumeramos, a computação de borda (Edge) também apresenta uma série de desafios.

Os desafios começam por padronização, segurança (tanto física quanto lógica), gestão remota, eficiência energética, velocidade e facilidade de implementação que precisam ser abordadas para que sejam realmente eficazes. A infraestrutura requer um alto nível de segurança física e a gestão remota é necessária, não opcional. É por isto que a Lumen apresenta uma série de soluções na hora de dar eficiência e confiança quando se trata de administrar estes dados, melhorando seu desempenho e estabilidade.

De acordo com estudos realizados por consultorias como a IDC**, mais de 50 bilhões de dispositivos serão conectados à internet até 2025. A maioria destes equipamentos será administrada por Edge Computing e poderá fornecer novas aplicações transformando muitos aspectos das produções industriais tradicionais e de nossa vida cotidiana.

* https://www.datacentermarket.es/mercado/noticias/1122238032609/edge-computing-centros-de-datos-retos-y-beneficios-de-implementacion.1.html
** https://www.prensariotila.com/31229-Cloud-Datacenter-lo-emergente.note.aspx

Por David Iacobucci, diretor comercial Lumen, Chile

Chile

David Iacobucci

Edge Computing

Gartner

hiperconectado

IDC

Lumen

mundo pós-pandemia

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento