book_icon

Direção dos grandes bancos possui pouco conhecimento em tecnologia

Estudo da Accenture mostra que apenas 10% dos conselhos e também dos CEOs têm experiências nesta área
Direção dos grandes bancos possui pouco conhecimento em tecnologia

Apesar do aumento significativo na adoção de tecnologias digitais nos últimos anos, há uma contínua falta de conhecimento em TI e fluência digital nas diretorias dos maiores bancos do mundo, de acordo com um novo relatório da Accenture, chamado Boosting the Boardroom’s Technology Expertise – Focus in Banking. O estudo foi baseado em uma análise das experiências profissionais de quase 2 mil diretores de mais de 100 dos maiores bancos do mundo por ativos, incluindo o Brasil. Ele conclui que, enquanto os bancos estão aumentando seus investimentos em tecnologia para acompanhar as mudanças nas demandas dos consumidores – como a crescente necessidade de interação digital e trabalho remoto como resultado da pandemia de  Covid-19 – seus conselhos de administração carecem de experiência neste setor para minimizar riscos e maximizar os benefícios de seus investimentos.

Em uma nota positiva, enquanto apenas 19% dos diretores com experiência em tecnologia há cinco anos eram mulheres, esse número aumentou para 33% hoje

“Muitas das interrupções causadas pela pandemia levaram a uma rápida mudança no setor bancário para pontos de contato mais digitais, exigindo investimentos rápidos em tecnologia”, disse Mauro Macchi, que lidera a Accenture Strategy & Consulting na Europa. “Os bancos que estão acelerando a adoção da Nuvem para gerenciar melhor as mudanças se beneficiariam de um conselho com experiência em tecnologia que pode ajudar a garantir que os investimentos nesta área sejam compatíveis em várias unidades de negócios”, comentou.

No relatório, a Accenture recomenda que 25% dos diretores do conselho de bancos tenham experiência em tecnologia. Embora os maiores bancos do mundo tenham progredido ao adicionar experiência em tecnologia na sala de reuniões – que a Accenture define como executivos que ocupam ou já ocuparam cargos sêniores em tecnologia em uma empresa ou responsabilidades similares – esse progresso tem sido lento.

Por exemplo, apenas 10% de todos os conselheiros, assim como 10% dos CEOs dos conselhos avaliados para o relatório, têm experiência profissional em tecnologia, um aumento de apenas 4 e 6 pontos percentuais, respectivamente, em comparação com cinco anos atrás. Além disso, o número de bancos cujo conselho tem pelo menos um membro com experiência profissional em tecnologia aumentou apenas 10 pontos percentuais nos últimos cinco anos, de 57% para 67% – o que significa que um terço dos bancos ainda não tem conselheiros com experiência profissional em tecnologia.

Em uma nota positiva, enquanto apenas 19% dos diretores com experiência em tecnologia há cinco anos eram mulheres, esse número aumentou para 33% hoje.

De uma perspectiva geográfica, o relatório constatou que os conselhos de bancos no Reino Unido, Finlândia, Irlanda e Estados Unidos têm porcentagens mais altas de diretores com experiência profissional em tecnologia do que em outros países, com aumentos consideráveis ​​em comparação com as descobertas de 2015. No entanto, a porcentagem de conselhos de administração de bancos com experiência em tecnologia ainda é muito baixa no Brasil, China, Rússia e vários países da Europa, incluindo Áustria e Itália.

“Embora não seja prático para os bancos fazerem um número precipitado de nomeações para conselhos com experiência em tecnologia para preencher a lacuna, eles devem considerar a especialização em tecnologia como um fator para novas nomeações, ao lado de seus outros critérios de avaliação”, disse Macchi. “Existem também outras maneiras mais imediatas de aumentar a experiência em tecnologia entre os membros do conselho – por exemplo, treinar membros sobre os mais recentes desenvolvimentos em tecnologias-chave, como Nuvem, Inteligência Artificial e Internet das Coisas para entender melhor como a combinação de tecnologia e humana engenhosidade desbloqueia valor. Os conselhos também podem aproveitar a experiência de fornecedores terceirizados e reservar tempo para discutir especificamente a estratégia de tecnologia durante as reuniões do conselho para obter o máximo de seus investimentos”, concluiu.

Seviço
www.accenture.com

Accenture

banco

pesquisa

Tecnologia

TI

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital
Edição do mês

Leia nesta edição:

Leia nessa edição sobre tecnologia

TECNOLOGIA

A um clique das melhores tecnologias

Leia nessa edição sobre carreira

CUSTOMER EXPERIENCE

Cliente no centro de tudo

Leia nessa edição sobre setorial | saúde

GESTÃO

Serviços de impressão turbinados

Esta é para você leitor da Revista Digital:

Leia nessa edição sobre sustentabilidade

TENDÊNCIAS

Cabeça de papel sobrevive no mundo digital

Maio| 2021 | #46 - Acesse:

Infor Channel Digital

Baixe o nosso aplicativo

Google Play
Apple Store

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento