book_icon

O que o PIX vai mudar na vida das pessoas?

A tecnologia, além de sinalizar o fim do TED e do DOC no País, deve reduzir significativamente os custos das operações, tornando os processos menos burocráticos e abrindo um leque de possibilidades para o varejo e os consumidores
O que o PIX vai mudar na vida das pessoas?

O PIX, solução do Banco Central do Brasil (Bacen) que permitirá que as pessoas realizem transferências financeiras e pagamentos no geral em até dez segundos, 24 horas por dia, 7 dias da semana e 365 dias por ano, começará a funcionar efetivamente em outubro. A tecnologia, além de sinalizar o fim do TED e do DOC no País, deve reduzir significativamente os custos das operações, tornando os processos menos burocráticos e abrindo um leque de possibilidades para o varejo e os consumidores.
Segundo Ralf Germer, CEO e cofundador da PagBrasil, a iniciativa vem para trazer praticidade para os cidadãos que buscam maior agilidade. “Hoje, transferências entre contas de um mesmo banco já são instantâneas e podem ser feitas a qualquer momento, o que não acontece se as instituições são diferentes. Com o PIX, pagadores e recebedores poderão movimentar seu dinheiro online imediatamente para toda e qualquer entidade, empresa e pessoa física, acelerando o fluxo de dinheiro na economia”, explica.

Outra grande vantagem do PIX é o custo no longo prazo. De acordo com uma tabela de pagamentos divulgada pelo próprio Banco Central, dez transações custarão um centavo  

Em outras palavras, usuários de contas digitais e de contas bancárias poderão fazer transações monetárias entre si sem interrupção, algo inimaginável já que atualmente tudo é processado pela Câmara Interbancária de Pagamentos (CIP). A chegada do PIX também vai permitir a inclusão das fintechs e das empresas que de alguma forma atuam no setor financeiro, democratizando o acesso e trazendo inovação.
“As atualizações do Banco Central são necessárias para levar o ecossistema bancário brasileiro a um novo patamar de inovação e equipará-lo aos mercados mundiais mais avançados. O PIX estará disponível para todos os players do setor e irá aumentar a inclusão financeira no País, permitindo que os mais de 45 milhões de desbancarizados também se beneficiem com o sistema”, conta Germer.
Outra grande vantagem do PIX é o custo no longo prazo. De acordo com uma tabela de pagamentos divulgada pelo próprio Banco Central, dez transações custarão um centavo. O método também será mais flexível, já que pedirá somente dados como o telefone, e-mail, CPF ou CNPJ do destinatário ou a leitura de QR Codes pelos smartphones. A solução dos pagamentos instantâneos vai trazer mais disruptividade e dinamismo para mercado financeiro, tornando um ambiente de mais concorrência e inovação.

Banco Central do Brasil - Bacen

Câmara Interbancária de Pagamentos (CIP)

PagBrasil

PIX

Ralf Germer

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento