book_icon

Hospital das Clínicas de SP inicia projeto para monitorar equipamentos de leitos

Hospital das Clínicas de SP inicia projeto para monitorar equipamentos de leitos

Os cuidados à saúde e a busca por maior eficiência na administração hospitalar nunca foram tão necessários, considerando a crescente demanda por atendimentos intensivos exigidos por grande parcela da população contaminada pelo novo coronavírus (Covid-19). O objetivo é otimizar o atendimento e aumentar a segurança durante o tratamento de pacientes que necessitam de internação em Unidades de Terapia Intensiva (UTI’s) e enfermarias no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de São Paulo (HCFMUSP).
A gente iniciou a fase de testes da plataforma, que poderá controlar, de forma remota, os ambientes hospitalares”, explica Marco Bego, diretor executivo do Instituto de Radiologia (InRad) e diretor do InovaHC.
Desenvolvida por pesquisadores do GAESI/USP, com base na plataforma Elipse E3 da empresa Elipse Software, contando também com a parceria e apoio de especialistas em IOT da SPI Integração de Sistemas, trata-se de um projeto-piloto em fase final de testes no InovaHc – braço de tecnologia do HCFMUSP, o maior complexo hospitalar brasileiro. Bombas de infusão de fármacos, ventiladores e monitores multiparamétricos essenciais nos leitos de UTIs são os primeiros equipamentos monitorados à distância. Por meio das telas do software, os profissionais de saúde poderão operar estes equipamentos em salas adjacentes aos leitos onde são preparadas as medicações.
“O objetivo é reduzir os riscos de contaminação à Covid-19 por parte dos profissionais de saúde para que possam tratar dos pacientes em estado grave com mais segurança, qualidade e agilidade. Diversos procedimentos, a exemplo da dosagem dos fármacos nas bombas de infusão, antes realizados manualmente, agora poderão ser executadas de forma remota. Além disso, não sendo mais necessária a presença constante destes profissionais nos leitos, haverá também redução nos custos com os equipamentos de proteção individual (EPIs), como aventais, luvas, propés e máscaras”, aponta Fábio Correa, diretor de Engenharia do HCFMUSP e líder do projeto.
Para prover a comunicação do software com os equipamentos monitorados, as empresas responsáveis pela tecnologia têm desenvolvido drivers de comunicação para diversos equipamentos presentes em leitos hospitalares, com protocolos próprios (B.Braun, Philips Respironics e HL7). Por meio deles, a plataforma E3 consegue interagir e se conectar às bombas de infusão, ventiladores e respiradores, sendo capaz de monitorar dados do paciente, emitir alarmes e até mesmo modificar parâmetros remotamente. Importante salientar que as soluções são compatíveis ou adaptáveis a equipamentos de diferentes fabricantes, facilitando assim a expansão da aplicação para automação de diferentes sistemas hospitalares.
Serviço
elipse@elipse.com.br

Elipse Software

Fábio Correa

forma remota

Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de São Paulo

Hospital das Clínicas de SP

InovaHc

Instituto de Radiologia (InRad)

Marco Bego

monitorar equipamentos de leitos

plataforma Elipse E3

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento