book_icon

Tecnologia geoespacial ajuda na detecção de eventos climáticos

Aquecimento global e fenômenos climáticos locais contribuem para aumento do número de queimadas no mundo
Tecnologia geoespacial ajuda na detecção de eventos climáticos

O sensoriamento remoto e, em particular, a detecção de focos de calor por satélite são fundamentais para a manutenção do sistema de monitoramento de incêndios florestais. Especialistas e instituições da área apontam que a tendência global é que o aumento das temperaturas e eventos climáticos específicos torne fenômenos como as queimadas ainda mais frequentes e intensos ao redor do globo.

Sempre atenta às tendências, a Hex consegue obter informações da superfície da terra à distância, através de sensores remotos instalados a bordo de satélites artificiais colocados em órbita da terra. Por meio dessa metodologia de monitoramento remoto de imagens via satélite, torna-se possível identificar e mapear as regiões onde ocorrem esses crimes.
As tecnologias geoespaciais, notadamente o sensoriamento remoto a partir de dados orbitais, é um instrumento fundamental para apoiar as ações de combate aos desastres de queimadas
O trabalho da Hex é baseado em uma plataforma própria de processamento digital de imagens em larga escala, o Skynet, peça fundamental nas suas atividades de sensoriamento remoto. Trata-se de tecnologia associada a métodos específicos que permitem obter informações sobre mudanças ocorridas na superfície da terra, através de sensores instalados a bordo de satélites colocados em órbita da Terra, cujo o objetivo é a observação do planeta.
Para o diretor executivo da empresa, Leonardo Barros, as tecnologias geoespaciais, notadamente o sensoriamento remoto a partir de dados orbitais, é um instrumento fundamental para apoiar as ações de combate aos desastres de queimadas. “As informações geradas pelo sensoriamento identificam as regiões em que os focos ocorrem e ainda a intensidade que estes estão acontecendo; essas informações são fundamentais para planejar as ações prioritárias como logística e dimensionamento dos recursos necessários à execução de ações de combate ao fogo”, destaca.
O especialista completa afirmando que a tecnologia é fundamental especificamente em um país com as características e dimensões como as do território brasileiro, onde não só o tamanho mas a dificuldade de acesso. “Podemos afirmar que o sensoriamento remoto executado a partir de dados orbitais é o único meio que se apresenta como viável, operacional e financeiramente, para obtenção de dados sobre a detecção e o monitoramento destes”, afirma.

detecção calor

geoespaciais

Hex

incêndios florestais

queimadas

sensoriamento remoto

sistema de monitoramento

Skynet

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento