book_icon

Veja como a Marinha vai usar Energia Solar e suprir 100% seu consumo de eletricidade

Veja como a Marinha vai usar Energia Solar e suprir 100% seu consumo de eletricidade

Com 74 painéis para captar a energia dos raios solares e transformar em eletricidade pelo efeito fotovoltaico, a Capitania dos Portos de Tramandaí, localizada no litoral norte do Rio Grande do Sul (RS), é a primeira organização militar a usar apenas o sol para gerar energia elétrica.

E para quem acha que frio não combina com energia solar, Porto Alegre é a segunda capital que mais tem sistemas fotovoltaicos em funcionamento no Brasil.

O Brasil tem excelente potencial energético para este tipo de fonte renovável – o Sol – e desde 2012 os consumidores e empresas já podem ter 95% de redução da conta de energia usando os sistemas de geração distribuída 

No caso da capitania dos Portos de Tramandaí, o sistema instalado ocupa parte do telhado das áreas de estacionamento do local e será capaz de gerar 20 mil watts, o que vai garantir além de sustentabilidade, uma economia de 95% com os custos da conta de energia elétrica mensal.

As placas de energia fotovoltaicas já funcionam desde março de 2019 e fazem parte do projeto da marinha que visa incentivar que as organizações militares busquem estratégias de redução de gastos que envolvam o uso de energia limpa.

Não é à toa que várias iniciativas estão ganhando força para uso de Energia Solar. O Brasil tem excelente potencial energético para este tipo de fonte renovável – o Sol – e desde 2012 os consumidores e empresas já podem ter 95% de redução da conta de energia usando os sistemas de geração distribuída.

A maior vantagem da geração distribuída de energia para o consumidor é a economia obtida na conta de luz após a instalação de um micro ou minigerador.

A geração distribuída, como o próprio nome diz, é a geração de energia feita em pontos diversos, através de sistemas geradores que ficam próximos ou até mesmo na própria unidade consumidora (casas, empresas e indústrias) e que são ligados à rede elétrica pública.

Portanto, essa modalidade difere diretamente da geração centralizada, onde as grandes usinas geradoras é que produzem a energia e a enviam aos consumidores através das linhas e redes de transmissão, chegando até eles pelas distribuidoras locais.

Essa modalidade de geração de energia pelo próprio consumidor foi estabelecida com a Resolução Normativa Nº482 da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), a qual entrou em vigor em 17 de abril de 2012.

Para saber cada detalhe sobre seu funcionamento, só conferir este Manual Completo da Energia Solar.

 

 

74 painéis para captar a energia dos raios solares

Capitania dos Portos de Tramandaí

efeito fotovoltaico

energia solar

Marinha

Resolução Normativa Nº482 da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica)

Rio Grande do Sul (RS)

uso de energia limpa

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital
Edição do mês

Leia nesta edição:

Leia nessa edição sobre tecnologia

CAPA | GESTÃO

A doce ditadura da Governança de Dados

Leia nessa edição sobre carreira

CARREIRA

Profissões do futuro

Leia nessa edição sobre setorial | saúde

SETORIAL

Área pública: desafios e lucros

Esta é para você leitor da Revista Digital:

Leia nessa edição sobre sustentabilidade

LEGISLAÇÃO

LGPD Ano Um: uma construção inacabada

Setembro | 2021 | #50 - Acesse:

Infor Channel Digital

Baixe o nosso aplicativo

Google Play
Apple Store

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento