Internacional

Fortinet integra o Centro Global de Cibersegurança do Fórum Econômico Mundial

Participação da empresa contribuirá com líderes globais de empresas dos setores público e privado no combate as ameaças globais de cibersegurança

A Fortinet, empresa global em soluções de cibersegurança amplas, integradas e automatizadas, é nomeada a  primeira empresa sócia-fundadora do Centro Global de Cibersegurança do Fórum Econômico Mundial (FEM). Ken Xie, CEO da Fortinet, será membro do Conselho Consultivo do Centro Global de Cibersegurança.

O FEM e a Fortinet acreditam que a ameaça mundial à nossa economia digital exige uma resposta global. Para responder a essa ameaça e desenhar o futuro da cibersegurança, o FEM decidiu criar o Centro Global de Cibersegurança, uma rede global de representantes de empresas, governos, organizações internacionais, instituições acadêmicas e sociedade civil para colaboração nos desafios de cibersegurança. A parceria da Fortinet com o Centro reforça ainda mais o compromisso da empresa de colaborar com os setores público e privado. Com o apoio do Centro, a Fortinet continuará seus esforços de colaboração, inovação e desenvolvimento de soluções globais robustas para reduzir os ciberataques globais, conter os ciberataques atuais e futuros e deter o cibercrime.

“Temos o orgulho de anunciar que somos a primeira empresa de cibersegurança nomeada sócia-fundadora do Centro Global de Cibersegurança do Fórum Econômico Mundial. Com isso, esperamos colaborar com os líderes globais dos setores público e privado, mantendo o nosso compromisso compartilhado de fornecer uma resposta às crescentes ameaças globais de cibersegurança. O Centro Global de Cibersegurança do Fórum Econômico Mundial é importante para a colaboração global de vários grupos de interesse; por isso, essa nomeação de parceira fundadora do Centro é mais um passo adiante em nossa missão de proteger as maiores empresas, provedores de serviços e organizações governamentais do mundo”, comenta Ken Xie, fundador, presidente do conselho e CEO da Fortinet.

Como parte da atividade da empresa no Centro Global de Cibersegurança do FEM e do Encontro Anual do FEM em Davos:

  • Ken Xie, presidente do conselho, CEO e fundador da Fortinet, e Phil Quade, CISO da Fortinet, participaram das discussões de planejamento no Encontro Anual de inauguração do Centro Global de Cibersegurança em Genebra, Suíça, realizado nos dias 26 e 27 de novembro.
  • Foi anunciado na Reunião Anual que a Accenture, a Fortinet e o Sberbank são parceiros fundadores do Centro e Xie foi nomeado para o Conselho Consultivo do Centro Global de Cibersegurança
  • Xie foi nomeado líder de discussão da próxima Reunião Anual do FEM, em Davos, Suíça, para a sessão da Força de Trabalho do Centro Global de Cibersegurança na terça-feira, 22 de janeiro de 2019.

Segundo o seu estatuto, o Centro Global de Cibersegurança tem os seguintes compromissos:

  • Estabelecer, ativar e coordenar parcerias público-privadas globais para incentivar o compartilhamento de informações e o desenvolvimento de cibernormas.
  • Desenvolver, testar e implementar coletivamente conhecimentos e ferramentas de ponta para prever e proteger contra ciberataques atuais e futuros.
  • Implementar programas globais de capacitação e treinamento para produzir a próxima geração de profissionais de cibersegurança.
  • Estabelecer, coordenar e possibilitar uma Força-Tarefa Global de Cibersegurança de Reação Rápida composta por especialistas da comunidade de parceiros para ajudar a mitigar o impacto negativo dos ciberataques globais severos.

A Fortinet acredita nos objetivos do Centro e também se compromete a ajudar a liderar as seguintes iniciativas:

Para combater o aumento do cibercrime, a comunidade global precisa superar vários desafios importantes
  • Criar confiança nas fronteiras internacionais
  • Novas tecnologias trouxeram ganhos de produtividade e novas oportunidades, mas também ampliaram a superfície de ameaças, expondo cidadãos, consumidores, empresas e países a novas ameaças e vulnerabilidades. Para combater o aumento do cibercrime, a comunidade global precisa superar vários desafios importantes, incluindo a falta de confiança e cooperação.
  • O mundo físico e o mundo digital estão cada vez mais interconectados; desta forma, a inteligência viável sobre ameaças de visibilidade global é a melhor maneira de deixar de ser reativo e assumir uma postura proativa no mundo onde o cibercrime não tem fronteiras. Nenhuma organização tem uma visão completa do cenário de segurança; por isso, o compartilhamento e a colaboração entre as organizações públicas e privadas são fundamentais.
  • Criar confiança é mais do que tecnologia e inovação. A Fortinet ajuda a desenhar o futuro dos padrões e protocolos de informações sobre ameaças por meio da colaboração contínua com organizações globais de segurança pública e do setor.
  • A Fortinet é membro fundador da Cyber Threat Alliance, mantém parceria com a Agência de Comunicação e Informação da OTAN; além disso, é membro de um grupo de trabalho especializado na Interpol.

Novas oportunidades para as populações e forças de trabalho na economia digital

  • Abordar a falta de especialistas em cibersegurança de maneira escalável: criar uma força de trabalho com a confiança dos setores público e privado e ajudar os países com uma economia digital incipiente a impulsionar seu setor de tecnologia com uma população já doutrinada em cibersegurança.
  • Para ajudar a resolver a falta de especialistas em cibersegurança, a Fortinet oferece um programa mundial de especialista em segurança de rede Network Security Expert (NSE), que oferece certificação em oito níveis e formação de profissionais técnicos e aspirantes, para o desenvolvimento de suas habilidades e conhecimentos sobre o atual cenário de cibersegurança. Em 2016, a empresa estendeu o programa para educadores e alunos por meio da Fortinet Network Security Academy (FNSA), facilitando o treinamento sobre segurança de rede em todo o mundo para ajudar a educar, treinar e preparar a próxima geração de especialistas em cibersegurança. Além disso, o Fortinet Veterans Program (FortiVet) facilita a transição de veteranos militares excepcionais para a indústria de cibersegurança, fornecendo networking profissional, treinamento e orientação para ajudar a preencher a falta de profissionais nessa área.
  • A proteção de infraestruturas críticas conta com o apoio dos países desenvolvidos e em desenvolvimento
  • É necessária uma iniciativa para garantir a segurança e confiabilidade das infraestruturas que fornecem serviços críticos (por exemplo, energia, água, transporte) para grandes populações. Essas infraestruturas usam “Tecnologia Operacional (TO)”, que é cada vez usada pelos países e também pelos criminosos, pois a TO está cada vez mais conectada a sistemas tradicionais de TI e fornece aos criminosos a capacidade de afetar grandes populações ou economias sem precisar de balas e bombas.
  • Normas internacionais de comportamento no ciberespaço
  • Trabalho para estabelecer os princípios básicos de comportamento aceitável no ciberespaço que estabilizem o ambiente, permitam que os países desenvolvidos e em desenvolvimento busquem os benefícios da transformação digital e criem confiança no futuro do ciberespaço.
  • Isso também inclui ajudar a criar padrões para testes independentes de produtos/soluções de cibersegurança para facilitar a tomada de decisões dos compradores de soluções de segurança.
  • A Fortinet sempre acreditou que os testes de produtos e soluções de segurança realizados por terceiros desempenham um papel fundamental para impedir os cibercriminosos e permitir que as equipes de TI desenvolvam suas infraestruturas de segurança de forma adequada. As organizações precisam de soluções de segurança eficazes que atendam a um conjunto crescente de requisitos, e os testes de terceiros são essenciais para orientar decisões sobre a seleção e implementação das ferramentas mais adequadas às suas demandas de rede e objetivos comerciais exclusivos.
  • Para as organizações que estão adotando a transformação digital, muitos dos atuais métodos de teste usados por laboratórios de terceiros e centros de testes fornecem informações essenciais sobre os novos requisitos e permitem avaliar possíveis soluções para recursos como interoperabilidade e capacidade de compartilhar e responder a ameaças, como parte de uma resposta coordenada.
  • Diante de tantas opções, as empresas e os governos podem adotar, com mais rapidez e confiança, soluções de cibersegurança que apresentam o selo de aprovação de uma organização independente renomada e respeitada no setor.

Serviço
Para mais informações, acesse http://blog  e http://Centro Global de Cibersegurança do FEM

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.