Internacional

Brasileiros recebem mais de 37 ligações de spam ao mês. Produção é afetada

Empresas de telefonia e de cobrança são responsáveis pela maior parte das chamadas

Ligações de números desconhecidos oferecendo produtos ou serviços a qualquer hora do dia cada vez mais fazem parte da rotina dos brasileiros. De acordo com o estudo Truecaller Insights, realizado pelo Truecaller, aplicativo gratuito que permite detectar e bloquear números indesejados, o Brasil é recordista mundial no recebimento de chamadas de spam, superando a Índia, líder do ranking em 2017. Segundo o levantamento, o usuário brasileiro do Truecaller recebe, em média, 37,5 chamadas de spam por mês, número que representa um aumento de 81% se comparado ao ano anterior.

A pesquisa apurou que as chamadas de telemarketing já haviam disparado no ano passado e correspondiam a 12% dos maiores spammers naquele período. Este ano, ligações deste tipo aumentaram 36%. Vale ressaltar que as eleições contribuíram para este crescimento, ocasionando uma onda de reclamações por parte dos usuários do Truecaller. As operadoras foram as maiores spammers do Brasil em 2017 (33%) e mantiveram o posto em 2018 (32%), geralmente com chamadas para informar sobre ofertas especiais para dados gratuitos ou chamadas ilimitadas.

O Brasil é recordista mundial no recebimento de chamadas de spam, superando a Índia, líder do ranking em 2017

Para Nick Larsson, responsável pela área de Novos Negócios e Crescimento da Truecaller, empresa situada em Estocolmo, na Suécia, a quantidade de ligações mensais recebidas pelos brasileiros pode ser um problema. “O brasileiro recebe mais de uma chamada desse tipo para cada dia do mês, o que pode ser traduzido não apenas como um incômodo, mas também como um fenômeno que pode ter efeitos negativos sobre a produtividade no trabalho ou ainda sobre o tempo dedicado a familiares e amigos”, explica Larsson.

Em outros países

Embora em volume a Índia receba o maior número de chamadas de spam no mundo, a média de ligações recebidas por usuário caiu 1,5% em relação a 2017. Ao analisar a divisão por categorias no país, houve um aumento substancial de chamadas provenientes de operadoras e provedoras de serviços de telecomunicação com ofertas e lembretes de saldo. Além disso, as ligações fraudulentas mais do que duplicaram em relação ao ano passado, passando de 3% para 7%. No Chile, terceiro colocado no ranking, as operadoras (29%) são as maiores spammers, seguidas por chamadas de cobrança de dívidas (25%) e serviços financeiros (23%).

A pesquisa constatou que os Estados Unidos passaram da segunda posição como país mais afetado pelas chamadas de spam para o oitavo lugar – comparado com 2017. Apesar da diminuição das chamadas de spam, o país ainda é fortemente afetado por golpes de telefone – 1 em cada 10 adultos americanos (10%) perdeu dinheiro com um esquema de telefone nos últimos 12 meses. Com uma perda média de US $ 357 por vítima, estima-se que o resultado dessas fraudes tenha custado a 24,9 milhões de americanos aproximadamente US $ 8,9 bilhões em perdas totais.

Os dados foram coletados anonimamente a partir das chamadas recebidas que foram marcadas como spam pelos usuários – ou foram sinalizados automaticamente pelo Truecaller durante o período de 1º de janeiro de 2018 a 30 de outubro de 2018.

A Truecaller é a maior comunidade de verificação de números de telefone do mundo e ajuda os usuários a fazerem a ligação certa. A Truecaller e sua comunidade dinâmica de mais de 3,2 milhões de usuários estão em constante evolução e comprometidos em manter a sua integridade por meio da colaboração de dados que ajudam a identificar chamadas de spam e também a verificar usuários. Sediada em Estocolmo, na Suécia, a Truecaller foi fundada em 2009 por Nami Zarringhalam e Alan Mamedi. A Truecaller está disponível para todos os dispositivos móveis com acesso à Internet, além da web.

Serviço
www.truecaller.com

http://blog.truecaller.com/2018/12/18/truecaller-insights-the-top-20-countries-affected-by-spam-calls-in-2018

 

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.