Artigos

Como os chatbots podem solucionar problemas reais no ambiente de TI?

Chatbot, uma abreviação para “robô de chat”, nada mais é que um software que gerencia trocas de mensagens. Pode ser instalado em sites, apps proprietários e aplicativos populares, como é o caso do Facebook Messenger ou mesmo o WhatsApp, disparado o aplicativo mais usado, chegando a conquistar 93% de adoção entre o público brasileiro, frente a “apenas” 79% daquela rede social.

Mas a utilidade de um bot vai muito além da social media: até mesmo a empresa provedora de nuvem da Amazon, AWS, possui serviços baseados em chatbots para desenvolvedores, como é o caso do Lambda, de computação sem servidor – serverless computing – e do Alexa, este último usado para aplicativos que envolvem Inteligência Artificial.

Em um contexto de infraestrutura de TI, por exemplo, um bot pode ser programado para executar determinadas tarefas básicas, valendo-se de uma interface igualmente simples para o desenvolvedor se comunicar. E, embora existam dois tipos de bots, um baseado em regras e que obedece a parâmetros bem definidos – bom para regras de negócio, por exemplo – e outro baseado em IA, é bastante comum haver uma certa confusão sobre o chatbot funcionar também como um meio de monitoramento de recursos na nuvem.

O chatbot não é um Zabbix (software de código aberto utilizado para monitoramento visando garantir integridade e desempenho dos servidores), ele é apenas uma ferramenta de apoio para o desenvolvedor. É possível  atrelar o bot ao monitoramento, mas ele serve apenas como apoio, pois quem faz o monitoramento mesmo é um programa específico para isso, como é o caso do Zabbix.

Além disso, é possível também desenvolver módulos de chatbots tanto para tarefas específicas como para executar comandos remotos em máquinas virtuais ou ainda criar bots sob medida para cada cliente, com informações embarcadas e sistema de autoaprendizagem que os tornam capazes de atender diferentes demandas.

Cada vez mais disseminada, a tecnologia de chatbots agrega muito valor ao negócio, já que não apenas reduz os custos que envolvem tarefas repetitivas, como também otimiza o tempo na solução de problemas ao contar com processos bem definidos e automatizados.  Sua empresa já está preparada para adotar essa tendência?

*Lucas Duarte e Rafael Oliveira são especialistas Mandic Cloud Solutions + Rivendel

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.