book_icon

Transformação digital: instituições bancárias latinoamericanas migram aplicações de missão crítica para a nuvem

Transformação digital: instituições bancárias latinoamericanas migram aplicações de missão crítica para a nuvem

No primeiro semestre de 2017, o mercado global de serviços de nuvem pública cresceu 28,6% em relação ao mesmo período de 2016, gerando uma receita de 63,2 milhões de dólares. Estima-se que em 2018 haverá um crescimento de 40% em investimentos para soluções em nuvem na América Latina. Os dados são da IDC. Segundo a Stromasys, líder global em soluções de emulação de servidores legados de multiplataformas corporativas, a computação em nuvem é, atualmente, uma necessidade crítica para negócios de todos os tamanhos.

Nesse contexto, a empresa prevê grandes migrações de aplicações de missão crítica para a nuvem neste ano, especialmente nas instituições financeiras latinoamericanas. A IDC também destaca que, em 2018, a despesa global de infraestrutura e serviços de nuvem pública chegará a 160 milhões de dólares, o que representa um aumento de 23,2% em relação a 2017.

“A América Latina está na vanguarda deste crescimento. Os bancos, que anos atrás estiveram preocupados com a nuvem devido a questões de segurança, agora estão migrando aplicações e sistemas legados”, afirma Robert Ruiz, diretor da Stromasys para a América Latina e Caribe. “A emulação desses sistemas clássicos na nuvem torna-se útil para as empresas financeiras ao resolver seus problemas de manutenção, aumentar a capacidade de armazenamento e expansão do sistema e diminuir sua área de cobertura”, explica o executivo.

A contínua capitalização dos investimentos nesses aplicativos de missão crítica e a lucratividade são algumas das maiores vantagens que a virtualização oferece. Além disso, menores custos de suporte, economia de energia e espaço, eficiências operacionais e mitigação de riscos que podem afetar os negócios devido à falha de sistemas legados também contribuem para que os clientes obtenham um maior retorno sobre o investimento. “Os setores bancário e financeiro, portanto, estão investindo mais em emulação e virtualização à medida em que o processo de transformação digital continua”, explica Ruiz.

Em nível global, a migração está evoluindo mais rápido e muitas organizações públicas e empresas privadas já implementaram soluções em nuvem. “Entretanto, apesar das vantagens da virtualização de plataformas clássicas, muitas instituições estão atrasando sua emulação de hardware até o momento em que isso é absolutamente necessário”, comenta John Prot, CEO da Stromasys. “Por esse motivo, as empresas devem avaliar sua infraestrutura de TI e escolher a virtualização como um meio de migrar para uma solução acessível”, finaliza o executivo.

Últimas Notícias
Você também pode gostar
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.