Gestão

Ataques DDoS vêm aumentando no Brasil

Os ataques de negação de serviço (DDoS) vêm crescendo no Brasil nos últimos meses. Somente no mês de outubro, segundo pesquisa da Arbor Networks, foram cerca de 35 mil ataques ou sete ataques por minuto. Esse é o maior índice nos últimos seis meses, com a maioria dos ataques (34%) provenientes do próprio território nacional.

Dispositivos vêm sendo largamente utilizados para a formação de redes-zumbi (as botnets) criadas para com o objetivo de tornar indisponível o acesso a websites e a serviços on-line

Segundo Paulo Braga Craveiro, engenheiro de vendas da Arbor Networks, seja devido a problemas de configuração ou relaxamento no uso de boas práticas de Segurança da Informação, cada vez mais dispositivos IoT são utilizados para realização de ataques de negação de serviço. “Eles acontecem tanto contra a infraestrutura de operadoras de serviços de comunicação quanto a redes corporativas”, diz.

De utilização cada vez mais presente em nosso cotidiano, equipamentos conectados à Internet como, por exemplo, as smart TVs, câmeras de vigilância ou sensores de presença, são pequenos computadores, e, como tal, vulneráveis à invasão por hackers.

Esses dispositivos vêm sendo largamente utilizados para a formação de redes-zumbi (as botnets) criadas para lançar ataques de negação de serviço, com o objetivo de tornar indisponível o acesso a websites e a serviços on-line. Mas os ataques DDoS (Distributed Denial of Service) não são os únicos a que se prestam as botnets IoT. Elas vêm sendo utilizadas também para outras atividades criminosas, como, por exemplo, o roubo de senhas de contas bancárias.

Redes de dispositivos IoT foram responsáveis por alguns dos mais intensos ataques verificados ultimamente em todo o mundo e também no Brasil. E alguns exemplos foram os intensos ataques (felizmente sem consequências, porque contidos a tempo) a patrocinadores de um grande evento internacional de esportes realizado no Rio de Janeiro em agosto do ano passado e o mega-ataque que há um ano atingiu os servidores da Dyn, provedora norte-americana de serviços de endereçamento DNS (Domain Name System) para grandes empresas, prejudicando, no mundo inteiro, o acesso aos serviços de sites como Amazon, Spotify, Reddit, entre outros.