book_icon

Monitoramento de rede com PRTG agiliza gestão de trabalho do SAMU no Rio de Janeiro

Monitoramento de rede com PRTG agiliza gestão de trabalho do SAMU no Rio de Janeiro

Solução é aplicada pela Central 24 Horas na TI, em contact centers e na área de logística.

O mundo caminha para informações mais rápidas, simplificadas e sempre disponíveis em dispositivos móveis, como celulares e tablets. Hoje, por exemplo, em muitos países, as pessoas já conseguem até mesmo saber em quanto tempo o seu transporte público, como ônibus e/ou metrô, vai chegar. Há outros setores em que esse tipo de informação pode ser ainda mais imprescindível. É o caso da saúde, em que vidas podem ser salvas graças à tecnologia.

Órgãos responsáveis são capazes de otimizar o trabalho, com uma gestão mais eficiente e a emissão de dados em tempo real, facilitando o atendimento à sociedade. Dessa forma, por exemplo, a ambulância disponível mais próxima pode ser enviada rapidamente para o local de um acidente.

Com este objetivo em mente, a Central 24 Horas, fornecedora de soluções de Contact Center e TIC (Tecnologias da Informação e Comunicação), desenvolveu painéis de indicadores de performance (PIP) empregando o software de monitoramento de rede PRTG Network Monitor, da empresa alemã Paessler AG, o qual utiliza desde junho de 2015. A ferramenta é aplicada pela Central 24 Horas na própria TI, em contact centers e na área de logística. A empresa utiliza cerca de 500 sensores do PRTG. Mas, sua principal aplicação é no SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) do Rio de Janeiro (RJ).

O PRTG é empregado na coleta de informações do Sistema de Regulação Médica (SisReM) e na orientação de alertas e notificações sobre os principais indicadores da gestão do SAMU da capital carioca, cuja responsabilidade é da Subsecretaria de Defesa Civil, através do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ). Esses indicadores são obtidos e gerenciados em tempo real pelo software, projetados para acesso móvel, a qualquer momento e em qualquer lugar.

Vários indicadores estão presentes: Controle da frota de ambulâncias, tanto por tipo (básico, intermediário ou avançado) quanto por estado operacional (operante ou não); controle de disponibilidade de macas (quando não há leito para o paciente no centro hospitalar, ele fica na maca da ambulância e a ambulância fica ali, indisponível para outros atendimentos); controle de desinfecção de ambulâncias, programadas ou extraordinárias; controle de eventos em áreas de riscos (locais de acesso perigoso); e controle de eventos com muitas vítimas, quando é necessário um processo especial para atendimento em mais de um hospital.

O software auxilia no acesso e na agilidade à informação. O gestor consegue ter a informação em tempo real da gestão e do todo da operação do SAMU. “Antes, era preciso verificar relatórios diariamente e consultar o próprio sistema, tarefa complicada se estivesse fora da unidade. Agora, com um aplicativo móvel, o gestor mesmo consulta a informação, onde e quando quiser. A emissão de relatórios diários não é mais necessária”, destaca Gustavo Albuquerque, engenheiro de soluções da Central 24 Horas. O modelo é aplicável, com algumas alterações, em outras unidades do SAMU, espalhadas pelo Brasil.

Os próximos passos do PRTG no SAMU
Na próxima fase, já em andamento, a Central 24 Horas quer medir os benefícios com a aplicação do PRTG. São dois passos. O primeiro é a incorporação da automação de processos. Por exemplo, no caso de um acidente múltiplo, a companhia utilizará a geolocalização das ambulâncias, dos hospitais e do local do acidente, para que o software PRTG possa se comunicar com as pessoas envolvidas por meio de mensagens, de forma que os funcionários dentro da ambulância saibam dos cuidados necessários. O segundo é o desenvolvimento de um app específico (para iOS e Android), customizando a ferramenta e incorporando painéis (dashboards, ou mapas na terminologia do software) do PRTG ao aplicativo, o que irá permitir à empresa visualizar as telas rapidamente. Essa customização trará maior segurança operacional e o app será disponibilizado apenas para clientes específicos da Central 24 horas.

E a empresa sabe que conta com a ajuda da Paessler nesta fase atual. Já precisou recorrer ao suporte da companhia para assuntos bem avançados e teve uma excelente resposta. “Em menos de 24h, eles me responderam por email, isso somente devido à questão de fuso horário. Uma explicação muito clara, com uma base de conhecimento fantástico. Eles têm um suporte muito acima da média, são bastante criteriosos e muito técnicos”, relata Albuquerque.

Anteriormente, a Central 24 Horas trabalhava com o software Nagios que necessita de mais manutenção. Para Albuquerque, a mudança para o PRTG foi positiva, pois todos podem utilizá-lo por ser um software bastante intuitivo. Outros pontos positivos, na sua visão, são a flexibilidade, maior facilidade de interface e customização. Ainda assim, ele aponta a estabilidade da plataforma como o elemento mais forte do software. “Eu recomendo a qualquer um a utilização do PRTG. Conheci por meio de um colega de equipe em 2011, que já havia trabalhado com a ferramenta. Gostei tanto, que a trouxe para a Central 24 Horas. As pessoas mudam de emprego, mas não mudam de sistema”, conclui Albuquerque.

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.