book_icon

Novo ciberataque usa PCs para obter ganhos financeiros

Especialistas da Proofpoint descobriram ataque vinculado ao Wannacrypt, o Adylkuzz, que se instala em computadores para ‘minerar’ moeda virtual
Novo ciberataque usa PCs para obter ganhos financeiros

Não bastasse o efeito em cascata produzido pelo malware Wannacrypt na última sexta-feira (12), especialistas anunciaram esta semana um novo ataque massivo associado ao vírus Adylkuzz, que já afetava milhares de computadores nesta quarta-feira (17). Nicolas Godier, especialista em segurança cibernética da Proofpoint ouvido pela AFP, disse que a nova praga virtual é mais discreta e pode ser “muito maior” que o WannaCry, embora as dimensões do problema ainda sejam desconhecidas.

O malware se aproveita da mesma brecha de vulnerabilidade do Windows utilizada pelo WannaCrypt e detectada pela NSA (Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos), depois vazada na internet e aproveitada pelos hackers. No entanto, ao invés de pedir de bloquear o dispositivo e pedir resgate, o Adylkuzz usa o processamento para “minerar” unidades de uma moeda virtual chamada Monero, parecida com o Bitcoin, e manda esses valores para endereços criptografados.

Aparelhos infectados apresentam performance mais lenta. Aparentemente o vírus não tem capacidade de roubar dados pessoais ou sequestrar arquivos. No entanto, a Proofpoint detectou computadores que pagaram o equivalente a milhares de dólares sem o conhecimento dos usuários. Segundo os especialistas, é o maior ataque do tipo já registrado.

* com agências internacionais

Adylkuzz

ataque

brecha

malware

NSA

ramsonwarre

vírus

WannaCrypt

Windows

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.