Tecnologia

Digitalização é principal foco dos executivos no mundo, aponta estudo

A digitalização está entre as primeiras prioridades nas agendas dos executivos em todo o mundo. Segundo o estudo da Forbes Insight feito em parceria com a Hitachi Data Systems (HDS), metade dos executivos entrevistados acredita que os próximos dois anos serão críticos para suas organizações principalmente no que diz respeito à essa transição e para a preparação para oportunidades futuras.

Os próximos dois anos serão fundamentais para a transição das organizações
O mercado corporativo e as indústrias devem, segundo o estudo, promover a transformação o quanto antes porque, enquanto a digitalização é requerida como diferencial competitivo, pode impulsionar a produtividade da empresa e promover um crescimento exponencial. É considerada o acelerador de produtividade, tempo de lançamento no mercado, implantação de novos modelos de negócios e geração de receita, diz o levantamento.

A digitalização é uma transformação nos processos de negócios promovida principalmente pela sincronização de pessoas, processos e tecnologia. As empresas ainda precisam perceber, segundo a pesquisa, o valor desses três aspectos atuando em conjunto. O relatório aponta que apenas um terço das empresas se consideram líderes na experiência do cliente, sugerindo que o potencial de dados e análise para ajudar com este processo tem sido subutilizado.

“Neste momento, a transformação digital é essencial para a sobrevivência corporativa. E está mais relacionada às pessoas e à cultura — à gestão de mudanças — juntamente com o investimento em tecnologia”, afirma Bruce Rogers, diretor de insights na Forbes Media.

Segundo o estudo, para 51% dos executivos novas tecnologias capazes de incentivar a digitalização e lidar com o aumento da capacidade analítica e de dados são as prioridades de investimento para os próximos dois anos.

Novos modelos de negócios são o principal motivador (41%), seguidos por novas tecnologias (40%). É considerado sinal de maturidade o fato de que a capacidade de inovar seja a principal medida pela qual o sucesso da TD é avaliado (46%), juntamente com o aumento dos rendimentos (46%), seguido pela redução de custos (43%).

Embora menos da metade das companhias (44%) se considere avançada ou líder no setor de dados e análise, a maioria (91%) percebe aumentos de rendimento devido ao uso de dados e análises. Somente um terço das companhias se identifica como líder em experiência do cliente com base em sua transformação digital, o que indica um potencial subutilizado.

Atualmente, equipes multifuncionais não estão suficientemente envolvidas no desenvolvimento (40%) ou na implementação (35%) de estratégias, e a maior parte deste trabalho é realizada pela TI (50% e 54%, respectivamente). A TI é a função considerada mais preparada para a transformação digital (53%), ao passo que outras funções estão atrasadas, e pouco mais de um terço dos entrevistados se considera pronto.

A tecnologia é vista como o principal desafio (29%) e como a maior colaboradora para uma transformação digital bem-sucedida (56%). As pessoas estão no topo da lista quando se trata de lidar com os desafios da TD. Novas contratações estão em primeiro lugar (57%), seguidas pelo treinamento interno (54%).

O estudo “How to Win at Digital Transformation: Insights from a Global Survey of Top Executives” foi feito com 573 executivos de nível sênior da América do Norte, América Latina, Europa e Ásia.

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.