Destaque Entrevistas

IBM Brasil traça metas para 2021

A série de publicações de Infor Channel sobre tendências, expectativas e metas para 2021 é inaugurada por Guilherme Araújo, líder de Ecossistema da companhia no Brasil

Mais um ano se inicia – este consideravelmente atípico em função da pandemia do SarsCov-2, e o planejamento para curto, médio e longo prazos das empresas fica um tanto quanto mais impreciso, porém, algumas indicações são concretas.
Acompanhe a série de entrevistas com fabricantes, distribuidores, desenvolvedores e revendas do setor de Tecnoligia da Informação e Telecomunicações sobre as tendências, expectativas e metas para 2021. Quem inaugura a sequência de entrevistas é a IBM, que aposta, entre outras, na estratégia de Nuvem híbrida. Confira!

As vacinas avançam, porém, sem perspectiva de normalidade ainda em 2021. Nesse sentido, qual a expectativa quanto ao comportamento de mercado global?
Em 2021, o sucesso e a competitividade das empresas vão depender da capacidade e da disposição de aproveitar a tecnologia para gerar mudanças significativas. As organizações precisarão se adaptar e usar a mudança para criar uma vantagem de negócios. As empresas de tecnologia, por sua vez, para continuarem vendendo, vão ter que impulsionar o consumo de Nuvem, a necessidade de serviços e aumento do uso das tecnologias contratadas.
Os analistas de TI estão prevendo que em 2021 as empresas irão acelerar sua Transformação Digital. A IDC, por exemplo, prevê que em 2021 os líderes precisam estar preparados para as oportunidades. 65% do PIB global será digital até 2022, gerando US$ 6,8 trilhões em gastos com TI de 2020 a 2023. 80% das empresas vão colocar em prática a mudança para infraestrutura e aplicativos centrados na Nuvem. De acordo com a consultoria, até os relacionamentos com fornecedores, provedores e parceiros serão reformulados por 80% das empresas para que elas executem melhor as estratégias digitais.

Quais são as expectativas de negócios para este e próximos anos em âmbito global e para a América Latina?
As empresas estão sendo demandadas como nunca, reinventando a maneira de fazer negócios e criando novas experiências. Com o impacto econômico da pandemia, muitas organizações procuraram maneiras de otimizar seus orçamentos de TI. Aquelas que já estão na Nuvem querem reduzir custos continuamente e melhorar a segurança, por isso vão passar a investir também no processo de gestão da Nuvem.

Nossa expectativa é de crescimento nesses mercados nos próximos anos, pois as empresas buscam cada vez mais mover dados e funções com segurança para a nuvem. No fina do ano passado, fizemos uma pesquisa em parceria com a IDC, com empresas de grande porte do Brasil e 59% delas já utilizam algum tipo de nuvem. Entre as empresas que trabalham com Nuvem privada, 40% quer executar mais da metade de suas cargas de trabalho nesse ambiente dentro de 24 meses. Com a nuvem pública, 45% das empresas que estão nesta plataforma hoje querem levar metade ou mais de suas cargas de trabalho para lá nos próximos dois anos.

E por isso entendemos que a estratégia de Nuvem híbrida se tornou essencial por permitir um alto nível de escalabilidade, resiliência e performance com segurança, aproveitando o que já funciona bem na infraestrutura do cliente. Ter uma abordagem de Nuvem híbrida aberta pode ser o elo tecnológico que permite a uma organização aproveitar todos os recursos disponíveis para uma melhor performance operacional e de negócios.

Diante do cenário atual é possível fazer projeções de metas? Quais são as metas da IBM para 2021 e posterior?
À medida que navegamos por esses tempos e nos preparamos para o futuro, a IBM continuará com foco na oportunidade de mercado de nuvem híbrida de US$ 1,2 trilhão, co-criando e colaborando com nossos parceiros e investindo fortemente em áreas como a inovação aberta, segurança e serviços que entregam alto valor por meio da Nuvem.
Temos adotado uma estratégia de crescimento no mercado de Nuvem híbrida, realizando várias aquisições. Só em janeiro deste ano, a IBM já anunciou a aquisição de duas empresas para impulsionar ainda mais a nossa estratégia de nuvem híbrida e IA: a 7Summits, dos Estados Unidos, consultoria em Salesforce que há mais de uma década oferece experiências digitais, e a Taos, também dos Estados Unidos , uma das maiores empresas de consultoria e serviços gerenciados em várias Nuvens, com 30 anos de experiência.

Em termos tecnológicos, de soluções e ofertas, há novidades no horizonte?
A IBM fez algumas aquisições tecnológicas e fortaleceu os investimentos em sua nuvem pública. Com base nisso, é importante destacar que 2021 será um ano para acelerar o crescimento e adoção da nossa plataforma de Nuvem híbrida aberta, com base nos benefícios que a nossa multizone region de IBM Cloud vai trazer. Os modelos de adoção de Nuvem têm trazido desafios relacionados à gestão e governança de diferentes ambientes, bem como toda a modernização de aplicações, o que gera uma oportunidade para modelos de nuvem híbrida, buscando uma visão integrada das aplicações que estão rodando em Nuvem pública, privada ou Data Centers tradicionais.

Além disso, com a aceleração da Transformação Digital, modelos atrelados à Automação de Processos se tornaram quase que indispensáveis para as empresas que adotaram canais digitais de forma mais ampla. Com a aquisição da WDG, empresa nacional de RPA e automação, estamos trabalhando em conjunto com a Inteligência Artificial do Watson para gerar modelos de hiperautomação nos processos.

Aliado a isso, surge sempre muita dúvida dos clientes de por onde começar nessa jornada. O processo precisa ser mais eficiente e também a personalização do atendimento, e com isso uma análise mais profunda acerca dos dados torna-se indispensável, sejam eles estruturados (Big Data) ou não estruturados, por meio de modelos de Machine Learning. Por fim, com a velocidade aumentando e os canais digitais se espalhando, o volume de ataques e vazamentos cibernéticos cresceu muito, portanto, segurança passou a ser um tema fundamental e estratégico para todas as empresas.

Quais as orientações para o seu canal de vendas indiretas? Pretende aumentar o número de parceiros no Brasil??
A pandemia acelerou os planos de migração para a Nuvem de muitas empresas e fez com que aqueles sem planos tivessem que apresentá-los rapidamente. A IBM está preparada para que essa onda de digitalização sem precedentes continue em 2021, impulsionada pela demanda contínua do cliente por soluções de Nuvem híbrida aberta que ajudem a criar resiliência em face da incerteza contínua. Nessa missão, contamos com os nossos parceiros do ecossistema, que desempenharão cada vez mais um papel vital em ajudar as empresas a gerenciar as cargas de trabalho da nuvem, enquanto adicionam novos serviços que atendam às necessidades dos clientes, que seguem em constante mudança.

O ecossistema da IBM continuou crescendo, mesmo com as adaptações ao novo normal de trabalho remoto e com as inovações digitais inaugurado pela pandemia, com parceiros aproveitando a nuvem da IBM e outras tecnologias como IA, 5G, Blockchain e Edge. Para a IBM, acredito que 2021 será o ano dos parceiros comerciais. Vamos acelerar nossos esforços para agregar valor aos nossos parceiros como nunca antes e ajudá-los a atingir seus objetivos de negócios.

3 Comentários

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.

Assine a nossa Newsletter

e receba informações relevantes do mercado TIC

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório

Agenda & Eventos