Tecnologia

Ferramenta ajuda no fechamento de acordos via WhatsApp

A funcionalidade foi lançada pelo Fluxia, serviço da Clicksign voltado para automatizar e simplificar o fechamento de negócios diretamente pelo app.

Além de poder fazer o pedido de uma pizza ou chamar um transporte individual no seu app favorito, os dispositivos móveis trazem a partir de agora a possibilidade das empresas e usuários efetuarem a assinatura de contratos corporativos por meio do WhatsApp. O recurso foi lançado recentemente pelo Fluxia, serviço da Clicksign voltado para automatizar e simplificar o fechamento de negócios diretamente pelo app.

De acordo com o CEO da Clicksign, Marcelo Kramer, a nova solução visa facilitar a contratação de produtos e serviços por parte dos consumidores, uma vez que o WhatsApp é o aplicativo mais popular do Brasil, permitindo a continuidade de acordos durante a pandemia.

O Fluxia foi idealizado para atender principalmente empresas que vendem produtos e serviços em grande quantidade e de maneira recorrente  

Para isso, o Fluxia possui um processo de contratação de ponta a ponta com apenas alguns cliques, o que possibilita ao signatário receber o link de assinatura com o token para conclusão no app. “O recurso é ótimo para o cliente, pois não precisa se deslocar para assinar um contrato e guardar um monte de papel. Já o vendedor tem a facilidade de contar com um processo automático de criação de contratos: a cada venda realizada, basta que alguém (pode ser o cliente, o vendedor, ou até os dois de forma concomitante)preencha alguns campos para que o documento seja completado”, afirma.

O Fluxia foi idealizado para atender principalmente empresas que vendem produtos e serviços em grande quantidade e de maneira recorrente. Por exemplo: operadoras de telecomunicação, bancos, seguradoras, serviços de assinatura, etc. “A solução visa aumentar a produtividade da equipe de vendas e, consequentemente, aumentar a conversão de vendas das empresas, já que os clientes tendem a fechar as negociações pelo WhatsApp muito mais rápido em relação ao e-mail e SMS”, revela Kramer.

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.

Assine a nossa Newsletter

e receba informações relevantes do mercado TIC

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório

Agenda & Eventos