Tecnologia

Previsão: 2021 será o ano do RPA

Para Guy Kirkwood, as empresas vão investir mais no uso de robôs digitais para a automação de processos

No fim de 2019, antes da pandemia de Covid-19, Guy Kirkwood, chief evangelist da UiPath, fornecedora de soluções em automação de processos via o RPA (Robotic Process Automation), previu que em 2020 uma crise global encorajaria e aceleraria a adoção da automação em empresas do mundo todo. Kirkwood jamais poderia imaginar a extensão e origem da crise, mas ele foi certeiro em sua avaliação preditiva para o RPA, um exercício sobre o qual o executivo se debruça a cada fim de ano, há pelo menos três anos consecutivos.

Meses depois, o estudo O Futuro do Trabalho
Um enfoque na pandemia, feito em maio de 2020 pela Forrester Consulting, sob encomenda da UiPath, ouvindo 160 lideranças de diferentes países, endossou o cenário, mostrando que 50% das empresas consultadas pretendiam investir mais no uso de robôs digitais para a automação de processos em diferentes setores.

Nos últimos anos, vimos um foco maior na experiência do cliente (CX), agora a tendência será a adoção de uma abordagem semelhante para a experiência do colaborador (EX)  

Kirkwood também previu tendências, hoje nítidas, como a combinação e reutilização de robôs de software, resultando em implantações mais previsíveis e dimensionamento mais eficaz, e a entrada de uma nova geração de colaboradores que impulsionaria ainda mais a tecnologia. Sobre este último ponto, outro estudo da UiPath, intitulado o Estado dos Desenvolvedores de RPA 2020, baseado em pesquisa com 1,5 mil profissionais de RPA em todo o mundo, novamente reafirmou o cenário. A pesquisa mostrou que 70% dos entrevistados disseram que a organização onde trabalham deverá contratar mais desenvolvedores da tecnologia já no ano que vem.

Antecipando sua avaliação anual sobre a tecnologia, que será apresentada no próximo evento UiPath Reboot Work Festival, entre os dias 15 e 17 de dezembro, Guy Kirkwood listou seis principais previsões globais para a automação, o RPA e a Inteligência Artificial em 2021, no pós-pandemia.

Tendências
Para o executivo, a partir do próximo ano a comunidade de integradores de sistemas globais (GSIs, em inglês) e empresas de consultoria baseadas em auditoria irão encorajar e treinar milhares de trabalhadores para abraçar a automação. E os GSIs farão isso da mesma forma que fizeram com o ERP (sistema de gestão integrada) na década de 1990. Essas empresas reconhecem que a indústria da automação está preparada para um crescimento explosivo e enxergarão uma oportunidade muito real de vender estratégia de negócios e serviços de capacitação para ajudar seus clientes a colherem novos benefícios, exatamente como fizeram antes com o ERP.

Para Kirkwood, os chamados Centros de Excelência (CoEs) serão Centros de Lucro, já que as empresas começarão a perceber que as operações de automação não apenas ajudam a economizar dinheiro, mas podem servir como uma plataforma de geração de receita para criar novos fluxos de receita.

Outra previsão é que a indústria deve voltar sua atenção para a resiliência do robô em 2021. Mais especificamente, os fornecedores de RPA terão de ajudar seus clientes a evitar a criação de ilhas separadas de operações de automação, que podem se tornar disfuncionais, difíceis de manter e extremamente caras com o tempo.

Na opinião do executivo, trabalhar remotamente está acelerando a transição do emprego de tempo integral para formas de trabalho mais flexíveis. A UiPath sempre teve a visão de um robô para cada pessoa. Em um futuro próximo, essa ideia se tornará realidade, quando cada pessoa terá seu próprio robô (ou assistente digital). O mercado de RPA se ajustará para dar suporte a essa mudança contínua para modelos de trabalho remoto.

Na visão de Kirkwood, a experiência do profissional se tornará tão importante quanto a experiência do cliente. “Nos últimos anos, vimos um foco maior na experiência do cliente (CX), agora a tendência será a adoção de uma abordagem semelhante para a experiência do colaborador (EX). Por conta da pandemia, muitos profissionais estão cada vez mais ansiosos e preocupados com a recessão e o que ela significará para suas famílias. Todo o mercado de automação deve lidar com isso com operações e processos que ajudem a melhorar a experiência do colaborador, o que deverá ser fundamental para aumentar o engajamento e a produtividade”, diz.

Por fim, o executivo comenta que Transformação Digital é uma expressão recorrente nos negócios. Isso ocorre porque a maioria dos esforços de transformação digital em geral – e automação em particular – ainda é muito tática por natureza. Porém, 2021 será o ano em que as empresas começarão a fazer mudanças substanciais nos modelos operacionais em toda a linha. Ao fazer isso, começarão a realmente atingir o potencial da Transformação Digital.

Serviço
www.uipath.com

 

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.

Assine a nossa Newsletter

e receba informações relevantes do mercado TIC

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório

Agenda & Eventos