Destaque Inglês Internacional

Oracle oferece primeiro S.O. autônomo na nuvem do mundo

A companhia estende recursos autônomos ao sistema operacional Linux

A Oracle atingiu um grande marco em sua estratégia com a disponibilidade do Oracle Autonomous Linux que, juntamente com o novo Oracle OS Management Service, é o primeiro e único ambiente operacional autônomo que elimina a complexidade e os erros humanos, proporcionando economia, segurança e disponibilidade sem precedentes para os clientes, de acordo com declaração da companhia.

Manter os sistemas atualizados e protegidos é um dos maiores desafios em andamento enfrentados pela TI atualmente. As tarefas podem ser propensas a erros e extremamente difíceis de gerenciar em ambientes de nuvem em larga escala. Com o Oracle Autonomous Linux, os clientes podem contar com recursos autônomos para ajudar a garantir que seus sistemas estejam seguros e altamente disponíveis para ajudar a impedir ataques cibernéticos.

100% de atualizações automáticas de segurança diariamente no kernel Linux e nas principais bibliotecas de espaço do usuário. Isso não requer tempo de inatividade, além de proteção contra ataques externos e usuários internos maliciosos   

“O Oracle Autonomous Linux baseia-se no histórico comprovado da Oracle de fornecer ao Linux desempenho, confiabilidade e segurança extremos para executar os aplicativos corporativos mais exigentes”, disse Wim Coekaerts, vice-presidente sênior de sistemas operacionais e engenharia de virtualização da Oracle. “Hoje estamos dando o próximo passo em nossa estratégia autônoma com o Oracle Autonomous Linux, fornecendo um rico conjunto de recursos para ajudar nossos clientes a melhorar significativamente a confiabilidade e proteger seus sistemas contra ameaças cibernéticas.”

Oracle OS Management Service
Juntamente com o Oracle Autonomous Linux, a Oracle apresentou o Oracle OS Management Service, um componente Oracle Cloud Infrastructure altamente disponível que oferece controle e visibilidade sobre os sistemas, independentemente de eles executarem Linux Autônomo, Linux ou Windows. Combinado às políticas de governança de recursos, o OS Management Service, via API ou console da Oracle Cloud Infrastructure, também permite que os usuários automatizem recursos que executam tarefas de gerenciamento comuns para sistemas Linux, incluindo gerenciamento de patches e pacotes, relatórios de segurança e conformidade e gerenciamento de configuração. Ele pode ser automatizado ainda mais com outros serviços do Oracle Cloud Infrastructure, como dimensionamento automático, pois as cargas de trabalho precisam aumentar ou diminuir para atender à demanda elástica.

O Oracle Autonomous Linux, em conjunto com o Oracle OS Management Service, usa aprendizado de máquina (machine learning) e recursos autônomos para oferecer economia, segurança e disponibilidade sem precedentes, além de liberar recursos críticos de TI para enfrentar iniciativas mais estratégicas.

· Elimine o gerenciamento manual do sistema operacional: o primeiro sistema operacional autônomo do mundo na nuvem a fornecer patches, atualizações e ajustes automatizados sem intervenção humana. Com base em uma imagem pré-configurada do Oracle Linux; atualizações automáticas de pacotes diários; ajuste aprimorado de parâmetros do sistema operacional e coleta de diagnósticos do sistema operacional;

· Ofereça proteção automática e profunda em todos os níveis: 100% de atualizações automáticas de segurança diariamente no kernel Linux e nas principais bibliotecas de espaço do usuário. Isso não requer tempo de inatividade, além de proteção contra ataques externos e usuários internos maliciosos. Known Exploit Detection fornece alertas automatizados se alguém tentar explorar uma vulnerabilidade corrigida pela Oracle;

· Forneça disponibilidade sempre ativa: inclui correções e atualizações automatizadas enquanto o sistema está em execução, eliminando o tempo de inatividade desnecessário para os usuários e o sistema.

O Oracle Autonomous Linux e o Oracle OS Management Services estão incluídos no Oracle Premier Support, sem custo adicional com os serviços de computação da Oracle Cloud Infrastructure. Combinadas às outras vantagens de custo da Oracle Cloud Infrastructure, a maioria dos clientes de carga de trabalho Linux pode obter uma economia de TCO de 30 a 50% em comparação com os fornecedores locais e outros de nuvem em cinco anos.

“A adição de recursos autônomos à camada do sistema operacional, com planos futuros de expandir além do software de infraestrutura, ocorre logo após os desafios da OpEx que quase todos os clientes enfrentam atualmente”, disse Al Gillen, vice-presidente do Grupo de Desenvolvimento de Software e Código Aberto da IDC. “Esse recurso transforma efetivamente o Oracle Linux em um serviço, liberando os clientes para concentrarem seus recursos de TI na aplicação e na experiência do usuário, onde eles podem oferecer uma verdadeira diferenciação competitiva.”

Serviço
oracle.com
www.oracle.com/openworld
www.oracle.com/newsroom

 

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.

Assine a nossa Newsletter

e receba informações relevantes do mercado TIC

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório

Agenda & Eventos