Destaque Mercado

O ano em que o faturamento da Nuvem subiu ao céu

Todos já sabiam que 2020 foi o ano do Cloud Computing, mas a Canalys revelou os números - o faturamento foi de US$ 142 bilhões, um crescimento de 33%

Os gastos com serviços de infraestrutura em Nuvem aumentaram 32%, alcançando a cifra de US$ 39,9 bilhões no último trimestre (Q4) de 2020, após o aumento do investimento do cliente com os principais provedores de serviços e o canal de distribuição de tecnologia. As despesas totais somaram mais de US$ 3 bilhões acima do terceiro trimestre (Q3) e quase US$ 10 bilhões a mais que no quarto trimestre de 2019, de acordo com dados da empresa de pesquisas Canalys. Esta é novamente a maior expansão trimestral em termos de dólares, já que as contínuas restrições à pandemia geraram intensa demanda por serviços em Nuvem para dar suporte a trabalho e aprendizagem remotos, comércio eletrônico, streaming de conteúdo, jogos online e colaboração.

Ao mesmo tempo, uma recuperação gradual na confiança econômica estimulou os investimentos em Nuvem pelas organizações em todos os segmentos da indústria para impulsionar a transformação digital. Os provedores estão estendendo seus investimentos em parcerias com o canal para manter altas taxas de demanda e oferecer suporte aos clientes, o que será crítico para a implementação de projetos em 2021 e além.

Todos os principais provedores estão aumentando seus investimentos no canal, tanto para alavancar os recursos de consultoria e serviços gerenciados de parceiros, quanto para expandir a capacidade de vendas para impulsionar o consumo da Nuvem

Olhando para todo o ano de 2020, os gastos totais com serviços de infraestrutura em Nuvem cresceram 33% para US$ 142 bilhões, ante os US$ 107 bilhões em 2019. A demanda foi maior do que o esperado, apesar de uma desaceleração inicial em grandes projetos liderados por consultoria.

Principais provedores

A Amazon Web Services (AWS) foi o provedor líder de serviços em Nuvem novamente no quarto trimestre de 2020, respondendo por 31% do mercado. Após um terceiro trimestre misto em termos de desempenho, a AWS teve um ressurgimento no investimento do cliente. Isso impulsionou um crescimento de 28% ano a ano para a AWS em Nuvem no quarto trimestre de 2020. A AWS está fazendo investimentos em todo o seu ecossistema de parceiros globais para sustentar seu impulso, incluindo maior suporte para ISVs, lançamento de novas competências de parceiros verticais, maior expansão na distribuição para impulsionar a adoção por parte do segmento SMB e novas parcerias à medida que estende sua estratégia de nuvem híbrida.

A taxa de crescimento do Microsoft Azure acelerou mais uma vez, em 50%, para aumentar sua participação no mercado global de serviços em Nuvem para 20%. A Microsoft se concentrou em impulsionar o consumo do Azure em todos os segmentos de clientes por meio de programas de vendas de anuidades e investimentos de sucesso do cliente, bem como incentivos direcionados para seu canal de parceiro global. Ele também se beneficiou da alta demanda contínua por Teams, Windows Virtual Desktop e outros serviços em execução no Azure à medida que os bloqueios da quarentena se intensificaram.

O Google Cloud foi o terceiro maior provedor de serviços em Nuvem no quarto trimestre de 2020, com 7% de participação deste mercado. Ela relatou um crescimento de 58% no quarto trimestre de 2020, à medida que empurra sua estratégia de Nuvem aberta, enfatizando a soberania, sustentabilidade e gerenciamento de múltiplas Nuvens, e mantém o foco em seus seis setores verticais alvo. Ela alinhou sua força de vendas e canal a essas indústrias à medida que constrói uma rede de parceiros com conhecimento específico da indústria e profunda especialização em suas soluções prioritárias, como aprendizado de máquina, análise e gerenciamento de dados.

O Alibaba Cloud cresceu 54% no quarto trimestre de 2020 para representar 6% do mercado total. Continuou sendo o provedor líder de serviços em Nuvem na região Ásia-Pacífico, incluindo a China. Ela atualizou sua estratégia de Nuvem híbrida durante o trimestre, com o lançamento de seu Programa de Parceiro de Nuvem Híbrida e aparelhos locais voltados para empresas de pequeno e médio porte. O programa permitirá que os parceiros planejem, projetem e revendam os serviços do Alibaba Cloud com licenças gratuitas e núcleos de CPU ilimitados.

Investimento no canal

A demanda por serviços em Nuvem continuou forte em todos os segmentos de clientes corporativos, incluindo os setores mais afetados pela pandemia, como varejo e manufatura. “A taxa de digitalização, liderada pela Nuvem, está ganhando ritmo. As empresas agora estão mais confiantes em liberar orçamentos para a transformação de negócios”, disse Blake Murray, analista de Pesquisas da Canalys. “Grandes projetos que foram adiados no início do ano estão sendo priorizados novamente, liderados pela modernização de aplicativos, migrações SAP e transformação do local de trabalho. Saúde, serviços financeiros e farmacêuticos estão entre os setores que lideram o caminho, mas mesmo aqueles sob maior pressão estão desviando investimentos para a Nuvem, abrindo novos fluxos de receita e diversificando modelos de negócios”, observou.

O canal de distribuição de tecnologia, com integradores de sistemas globais, revendedores e distribuidores, está desempenhando um papel cada vez mais importante para impulsionar o crescimento da Nuvem em todo o mundo. Todos os principais provedores estão aumentando seus investimentos no canal, tanto para alavancar os recursos de consultoria e serviços gerenciados de parceiros, quanto para expandir a capacidade de vendas para impulsionar o consumo da Nuvem.

A Microsoft detém a maior parte do canal indireto com o Azure, embora AWS e Google Cloud estejam ganhando terreno. Enquanto isso, conforme os clientes implementam diferentes cargas de trabalho em infraestruturas de Nuvem pública, privada e de ponta, eles procuram parceiros independentes com recursos em vários provedores de Nuvem.

“As organizações estão recorrendo a parceiros de negócios confiáveis para aconselhar, implementar, apoiar e gerenciar suas jornadas na Nuvem e articular o valor real de negócios da migração”, disse Alastair Edwards, analista-chefe da Canalys. Segundo o executivo, os projetos de transformação digital do cliente são altamente complexos, exigindo habilidades de consultoria avançadas, combinando habilidades técnicas profundas com conhecimento vertical, que os provedores de serviços estão contando com parceiros para fornecer em escala. Eles também estão recorrendo a seus parceiros para impulsionar o consumo da Nuvem e fornecer suporte completo ao ciclo de vida do cliente. “Conforme as organizações começam a considerar a transferência de cargas de trabalho de missão crítica para a Nuvem, elas buscarão parceiros para definir as plataformas e estratégias certas, bem como resolver os problemas mais urgentes em torno do gerenciamento de custos, segurança, soberania e integração de TI híbrida”, comentou.

Serviço
www.canalys.com

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.

Assine a nossa Newsletter

e receba informações relevantes do mercado TIC

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório

Agenda & Eventos