Tecnologia

Multicloud aumenta vulnerabilidade das empresas

Pesquisa indica que organizações com vários serviços em Nuvem são as que mais pagam resgate quando sofrem ataques de ransomware

Estudo divulgado pela Veritas Technologies mostra que 64% das empresas admitem que estão vulneráveis e que precisam de soluções mais eficientes para se protegerem de ataques de ransomware em todos os ambientes, que estão cada vez mais heterogêneos. O Relatório de Resiliência de Ransomware 2020 entrevistou 2.690 executivos seniores de TI em empresas com mais de 1 mil funcionários em mais de 20 países.

Normalmente, se as empresas forem vítimas de ransomware (sequestro do sistema com pedido de resgate) e não puderem restaurar seus dados de uma cópia de backup de seus arquivos, elas estão propensas a pagar aos hackers para terem suas informações de volta. A pesquisa da Veritas mostrou que as empresas com maior complexidade em sua infraestrutura e operando com várias Nuvens são as que mais fazem esses pagamentos. O número médio de Nuvens implantadas por organizações que pagaram o resgate integral foi de 14,06. Isso caiu para 12,61 para aqueles que pagaram apenas parte do resgate e chegou a 7,22 para empresas que não pagaram nada. Na verdade, apenas 20% das empresas com menos de 5 Nuvens pagaram o resgate integral, menos da metade do número (44%) para aquelas com mais de 20.

Estamos vendo um atraso entre a expansão em alta velocidade da superfície de ameaça que vem com o aumento da adoção de várias Nuvens e a implantação de soluções de proteção de dados necessárias para protegê-las  

A complexidade nas arquiteturas de Nuvem também demonstrou ter um impacto significativo na capacidade de recuperação de uma empresa após um ataque de ransomware. Enquanto 43% das empresas com menos de cinco provedores em sua infraestrutura viram suas operações de negócios interrompidas em menos de um dia, apenas 18% daquelas com mais de 20 provedores voltaram rapidamente ao normal. Além disso, 39% dos maiores de 20 provedores levaram de 5 a 10 dias para voltar ao normal, com apenas 16% dos menores de 5 provedores tendo de esperar tanto tempo.

Além disso, de acordo com os resultados da pesquisa, a maior complexidade na infraestrutura de Nuvem de uma organização também tornou um pouco menos provável que eles pudessem restaurar seus dados no caso de um ataque de ransomware. Enquanto 44% das empresas com menos de 5 provedores foram capazes de restaurar 90% ou mais de seus dados, apenas 40% das empresas que construíram sua infraestrutura em mais de 20 serviços de Nuvem foram capazes de dizer o mesmo.

“Os benefícios da Nuvem múltipla híbrida são cada vez mais reconhecidos em empresas em todo o mundo. Para conduzir a melhor experiência, com o melhor preço, as organizações estão escolhendo as melhores soluções em nuvem em seus ambientes de produção, e a empresa média hoje está usando cerca de 12 provedores de nuvem diferentes para conduzir sua transformação digital”, disse John Abel, vice-presidente sênior e diretor de Informações da Veritas. “No entanto, nossa pesquisa mostra que as estratégias de proteção de dados de muitas empresas não estão acompanhando os níveis de complexidade que estão apresentando e, como resultado, estão sentindo o impacto do ransomware de forma mais aguda. A fim de se isolar dos danos financeiros e de reputação do ransomware, as organizações precisam buscar soluções de proteção de dados que possam abranger suas infraestruturas cada vez mais heterogêneas”, comentou.

Mais investimentos
A pesquisa revelou ainda que muitas empresas estão cientes do desafio que enfrentam, com apenas 36% dos entrevistados acreditando que sua segurança acompanhou a complexidade de sua infraestrutura. A principal preocupação como resultado dessa complexidade, conforme afirmado pelas empresas, foi o aumento do risco de ataque externo, citado por 37% de todos os entrevistados.

“Ouvimos de nossos clientes que, como parte de sua resposta à pandemia, eles aceleraram rapidamente sua jornada para a Nuvem. Muitas organizações precisaram capacitar o trabalho de casa em um portfólio mais amplo de aplicativos do que nunca e, com acesso limitado à infraestrutura de TI local, voltaram-se para implantações em Nuvem para atender às suas necessidades”, explicou Abel. “Estamos vendo um atraso entre a expansão em alta velocidade da superfície de ameaça que vem com o aumento da adoção de várias Nuvens e a implantação de soluções de proteção de dados necessárias para protegê-las. Nossa pesquisa mostra que algumas empresas estão investindo para fechar essa lacuna de resiliência, mas, a menos que isso seja feito em maior velocidade, as empresas permanecerão vulneráveis”, afirmou.

Quase metade das empresas (46%) disse ter aumentado seus orçamentos para segurança desde o advento da pandemia. Havia uma correlação entre esse nível elevado de investimento e a capacidade de restaurar dados após um ataque: 47% daqueles que gastam mais desde o surto de Covid-19 conseguiram restaurar 90% ou mais de seus dados, em comparação com apenas 36% daqueles que gastam menos. Os resultados sugerem que há mais a ser feito, porém, com a empresa média sendo capaz de restaurar apenas 80% de seus dados.

Serviço
www.veritas.com

 

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.

Assine a nossa Newsletter

e receba informações relevantes do mercado TIC

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório

Agenda & Eventos