Tendências

Metas para acelerar compromissos com Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Durante Climate Week 2020 em Nova York, a Schneider Electric acrescenta meta ambiciosa de neutralidade de carbono em toda sua cadeia de valor até 2040

Durante a Climate Week NYC 2020, a Schneider Electric, que atua na Transformação Digital da gestão de energia e automação, anunciou que acelerou seus compromissos de neutralidade de carbono até 2040, dez anos antes do estabelecido pela trajetória de limitação do aumento da temperatura global em 1,5 Cº. Esses compromissos serão apoiados pela colaboração com empresas como a Amazon, que inclui vasta rede de fornecedores, e ao desenvolver soluções inovadoras de baixo carbono.

Amazon e Global Optimism anunciaram que Schneider Electric, Best Buy, McKinstry, Real Betis, e Siemens se uniram ao The Climate Pledge, um compromisso de ser zero líquido em carbono até 2040, uma década antes do Acordo de Paris de 2050. Esses novos signatários do The Climate Pledge concordam em:
Medir e informar regularmente as emissões de gases de efeito estufa; Implementar estratégias de descarbonização alinhadas ao Acordo de Paris por meio de mudanças e inovações reais nos negócios, incluindo melhorias de eficiência, energia renovável, redução de materiais e outras estratégias de eliminação de emissões de carbono e
neutralizar as emissões restantes com compensações adicionais, quantificáveis, reais, permanentes e socialmente benéficas para atingir zero emissões anuais de carbono até 2040.

O grupo reitera o compromisso de operar numa cadeia de fornecimento de CO2 com emissões líquidas zero até 2050, ou seja, neutra de ponta a ponta  

O grupo, como são conhecidas as empresas do The Climate Pledge, realiza intenso esforço de inovação para ter um impacto mais ambicioso nos seus clientes finais. Um exemplo é a eliminação progressiva do potente gás de efeito estufa SF6 de seus produtos até 2025, a fim de poupar o equivalente a cerca de 4 milhões de toneladas de CO2 por ano.

Por ocasião do quinto aniversário dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, o grupo mobiliza todas as suas equipes para inovar e progredir, e nomeia embaixadores e equipes de ODSs, encarregados de impulsionar a mudança a partir da própria empresa.

Esses anúncios foram feitos durante a Climate Week NYC, evento anual sobre o clima, realizado sob coordenação conjunta das Nações Unidas e da Cidade de Nova York. O primeiro Climate Week NYC 100% digital, ocorreu de segunda-feira (21) até 27 de setembro. Jean-Pascal Tricoire, Chairman e CEO da Schneider Electric, marcou presença para discutir como o grupo vai reforçar, juntamente com clientes e parceiros, seu compromisso de 2019 relativamente ao carbono.

Ambicioso objetivo é de neutralidade até 2040
O grupo reitera o compromisso de operar numa cadeia de fornecimento de CO2 com emissões líquidas zero até 2050, ou seja, neutra de ponta a ponta.
Para concretizar todas essas metas, as decisões estratégicas relativas à Cadeia de Abastecimento e à Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) incorporarão preços de carbono entre € 30-130/tonelada, em função do momento.
A Schneider Electric continuará com seus esforços para demonstrar o impacto positivo da eficiência energética e das tecnologias renováveis no clima. Antes de 2025, a Schneider Electric, juntamente com clientes e parceiros, demonstrará que seu balanço de carbono é positivo, graças às poupanças de CO2 conseguidas pela solução EcoStruxure.

A inovação é fundamental para que a mudança ocorra na direção da neutralidade de carbono. A Schneider Electric é pioneira na tecnologia livre de SF6, que substitui esse gás por ar puro.

O grupo lançou recentemente uma inovadora tecnologia de computadores que combinam ar puro e vácuo. A primeira gama de computadores “verdes”, SM AirSeT, já foi reconhecida por especialistas do setor com o Industrial Efficiency Award na categoria de “Economia de Energia”, na feira comercial Hannover Messe 2020, e também recebeu um prestigiado Prêmio iF Design no início deste ano.

Tradicionalmente, o SF6 é encontrado em equipamentos elétricos utilizados para alimentar a rede e as instalações elétricas industriais, mas, por seu Potencial de Aquecimento Global (GWP), foi incluído no Protocolo de Quioto, um acordo internacional no qual as partes da ONU se comprometem a reduzir as emissões de gases com efeito estufa.
Rede de embaixadores ODS, para promover mudança a partir do interior da empresa.

Esses anúncios coincidem com o quinto aniversário dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas, celebrado no dia 25 de setembro, um encontro no qual 193 países aprovaram 17 Objetivos com o propósito de conseguir um desenvolvimento sustentável para todos até 2030. Uma vez que faltam apenas dez anos para o fim desse período, e ante uma economia global atingida pelo impacto da pandemia de covid-19, a Schneider Electric está empenhada em unir forças com governos, empresas, organizações internacionais e ONGs para cumprir estes ODSs e dar prioridade para uma ação sustentável em todos os domínios.

Desde seu lançamento em 2015, os ODSs foram totalmente integrados na estratégia de desenvolvimento sustentável da Schneider Electric. Para ir mais além, o grupo anunciou o lançamento de uma nova “Rede de embaixadores ODS”. O objetivo é ajudar a sensibilização, a fim de capacitar os colaboradores e parceiros a tomar medidas, gerar ideias inovadoras que os órgãos de gestão da empresa vão considerar, e ainda desafiar suas metas e os indicadores globais. Essa rede consistirá na nomeação de um embaixador (um vice-presidente sênior da Schneider Electric) e um grupo de trabalho de cinco a dez especialistas e colaboradores internos (inclusive jovens talentos) para cada um dos 17 ODS da ONU. Assim, reforça-se a estratégia da Schneider Electric na qual os colaboradores sempre estiveram no cerne da mudança sustentável, com uma nova iniciativa que os capacitará para ajudar.

Nesse sentido, a empresa confirma que a pandemia global não comprometerá a realização de seus objetivos de sustentabilidade para 2020, bem como manterá seus compromissos de 2030: envolver o ecossistema mundial no combate às alterações climáticas e cumprir suas responsabilidades com o crescimento inclusivo.

Serviço
www.se.com/br

 

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.

Assine a nossa Newsletter

e receba informações relevantes do mercado TIC

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório

Agenda & Eventos