Destaque Tecnologia

Fujitsu acelera cargas de trabalho avançadas com novos servidores

A linha PRIMERGY GX2460 M1 apoia aplicações de IA e Analytics, já os modelos PRIMERGY RX4770 M6 oferecem velocidade de processamento.

Fujitsu do Brasil, provedora de soluções de TI e de Comunicação para ambientes híbridos de TI e multicloud, está anunciando no País a expansão de seu portifólio de servidores PRIMERGY GX 2460 M1, baseado em GPU Nvidia, e a nova geração do PRIMERGY RX4770 M6, que estabeleceu novos recordes mundiais de desempenho, oferecendo velocidade para tarefas de processamento avançado.

“De acordo com a consultoria Gartner, o mercado de GPU para servidores continua a se expandir em mais de 20%. As empresas estão cada vez mais usando GPUs em data centers para acelerar significativamente as cargas de trabalho, incluindo IA e Ciência de Dados, Deep Learning, Analytics, Infraestrutura de Desktop Virtual e gráficos”, assinala Alex Takaoka, diretor de Vendas da Fujitsu do Brasil.

“Os dados são o principal facilitador de negócio para todos os setores, independentemente do tamanho da empresa. À medida que as informações crescem exponencialmente, as organizações precisam movê-las com mais rapidez, armazenar mais e processá-las em borda, data center e Nuvem”, completa ele.

O Fujitsu PRIMERGY RX4770 M6 é um servidor de soquete quádruplo com altura de 3U que aproveita os recursos de aceleração de IA dos novos processadores escaláveis Intel Xeon de terceira geração e da tecnologia de memória persistente Intel Optane

Formato compacto

Projetado para cargas de trabalho aceleradas por GPU, o PRIMERGY GX2460 M1 otimiza tanto a capacidade de computação quanto a operação e transferência de dados da GPU NVIDIA, aproveitando a mais recente tecnologia dos avançados processadores AMD e pistas PCIe Gen4.0 de alta velocidade.

Esses recursos, observa a Fujitsu, trazem um aumento considerável no desempenho do servidor para cargas de trabalho com muitos dados. As organizações, segundo a empresa, podem criar uma vantagem competitiva ao analisar mais cenários e obter valor mais rapidamente a partir dos seus dados, permitindo-lhes transformar as experiências do cliente, abrir novos mercados e tornar os funcionários e processos mais produtivos.

O servidor de rack de dois soquetes PRIMERGY GX2460 M1 apresenta processadores de CPU da série AMD EPYC de segunda geração de até 32 núcleos, 1 TB de memória DDR4 e até quatro GPUs NVIDIA para data center. Oito drives NVMe/SATA garantem armazenamento ultrarrápido para grandes quantidades de dados, enquanto até seis interfaces PCIe Gen4.0 de alta velocidade suportam GPUs, opções de armazenamento e de placas de rede para uma expansibilidade flexível.

Com seu formato compacto, o servidor é projetado para gerar eficiência energética, com menor custo total de propriedade. É gerenciado juntamente com outras infraestruturas de data center por meio do Fujitsu Software Infrastructure Manager (ISM).

Alto desempenho

De seu lado, o poder de processamento do PRIMERGY RX4770 M6, conforme a fabricante, foi verificado tanto em ambientes que exigem muita memória, com o benchmark SAP BW edition para SAP Hana, quanto em infraestruturas virtuais de grande escala com benchmark VMmark da VMware.

Em um benchmark de aplicativo padrão SAP usando bancos de dados SAP Hana e processando 7,8 bilhões de registros iniciais, a solução alcançou os melhores resultados no carregamento de dados, o maior número de execuções de consulta por hora e o tempo de execução mais curto para as fases de consultas complexas.

O Fujitsu PRIMERGY RX4770 M6 é um servidor de soquete quádruplo com altura de 3U que aproveita os recursos de aceleração de IA dos novos processadores escaláveis Intel Xeon de terceira geração e da tecnologia de memória persistente Intel Optane.

Completamente redesenhado, ele oferece, conforme a Fujitsu, alto desempenho e administração simples, possibilitando que as organizações acelerem até os aplicativos mais exigentes, extraiam o máximo valor de seus dados e acelerem a transformação de seus negócios.

Para lidar com o aumento de ataques cibernéticos, que aumentaram durante a pandemia, a fabricante integrou o Intel Platform Firmware Resilience, PFR, ao PRIMERGY RX4770 M6. O recurso ajuda a proteger o firmware da plataforma, detectar uma eventual corrupção e restaurar o servidor ao seu último estado bom se for detectado um malware, garantindo que o próprio equipamento se torne parte da ciberdefesa de uma organização.

Serviço
www.fujitsu.com

 

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.

Assine a nossa Newsletter

e receba informações relevantes do mercado TIC

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório

Agenda & Eventos