Mercado

Escale projeta crescer mais de 160% este ano

Startup de tecnologia afirma que pandemia impulsionou os negócios em digitalização de serviços

A startup de tecnologia Escale pretende, ainda esse ano, ver seu faturamento crescer mais de 160%, se comparado a 2019. De acordo com Ken Diamond, cofundador e CEO da empresa, para ancorar essa meta, além do investimento em tecnologia própria e do gerenciamento do funil de marketing e vendas de grandes marcas brasileiras, a empresa possui portais de conteúdo e vendas, como Zelas Conecta, Zelas Saúde, Portal de Planos e Moovers, que geram milhões de interações com consumidores. Ela é uma startup de tecnologia que otimiza a jornada de compra de serviços essenciais, adquirindo centenas de milhares de clientes por ano para parceiros como SulAmérica, Bradesco, Amil, Claro, Vivo e Tim, em um modelo de remuneração 100% baseado em performance.

Para Matt Kligerman, cofundador da Escale, “o mercado está com uma alta relevância, principalmente, a partir do impulso causado pela pandemia para digitalização de serviços”, comenta. Com um modelo de negócio win-win, a proposta da startup é oferecer experiências mais simples e transparentes para clientes, enquanto garante volume incremental de vendas para grandes players parceiros das verticais de Telecom (Claro, Tim, Vivo, Viasat, Hughes), de Saúde (Amil, GNDI, Unimed, Porto Seguro, Bradesco, etc) e, futuramente, de Finanças.

Agora, além de novos mercados e clientes, também estamos no momento de reconhecimento de mercado pelos novos talentos  

“A digitalização de todo e qualquer tipo de serviço é tendência no futuro e o Brasil ainda está atrasado nessa corrida”, complementa Ken Diamond. Segundo ele, no País temos uma cultura muito burocrática e pouco transparente quando o assunto é serviço de aquisição complexa.

Observando essa fragilidade, os fundadores da Escale, Ken e Matt, criaram a startup, em 2013, com uma estrutura integrada de Growth (marketing digital, inteligência de negócios e account management), Tech (engenharia de software, data e design), Produto (B2B2C) e Operacional (conversão de vendas). A startup vem crescendo e tem grandes expectativas para expansão em novos setores. “Agora, além de novos mercados e clientes, também estamos no momento de reconhecimento de mercado pelos novos talentos”, diz Ken.

Serviço
www.escale.com.br

 

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.

Assine a nossa Newsletter

e receba informações relevantes do mercado TIC

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório

Agenda & Eventos