Mercado

E se o chefe estivesse a 10 mil quilômetros de distância?

De acordo com pesquisa realizada pelas consultorias de RH Convenia e Ahgora, quase 40% das pequenas e grandes empresas brasileiras já possuem alguma política de trabalho remoto

Nas empresas que não têm ainda nenhuma prática nesse sentido, quase 60% dos funcionários gostariam de fazer homeoffice.

A experiência da Smartcom Inteligência em Comunicação, agência especializada em comunicação de serviços e produtos B to B, mostra que, quanto maior o o gerenciamento e a transparência nos processos, melhor para todos. E isso é ainda mais importante quando parte da equipe está remota.

“É fundamental também colocar todas as informações numa ferramenta oline de compartilhamento de arquivos, além de manter atualizadas planilhas, relatórios e planejamentos”  

Desde março de 2019, a pequena empresa nascida em Curitiba deu um passo decisivo rumo à internacionalização e abriu uma filial europeia. Quem assumiu o novo braço do grupo foi a fundadora e diretora Silvana Piñeiro Nogueira. Ou seja, quem fica remota é a chefe.

Jornalista de formação e empreendedora por vocação, ela ampliou a jornada de trabalho para 14 horas para dar conta dos dois fusos horários, o da Alemanha, onde está instalada, e o de sua equipe no Brasil. “O dia fica bem mais longo, já que tenho que responder às demandas do Brasil e daqui também. Mas o maior desafio é manter as pessoas no mesmo foco e motivadas”, conta a empresária. A participação em conversas e reuniões por vídeo é diária, tanto com o time interno quanto com os clientes, bem como as aprovações de estratégias e conteúdos produzidos a 10 mil quilômetros de distância.

Apesar do contato constante e das vindas rotineiras ao Brasil, a presença física dos colegas faz falta no dia a dia. “O silêncio chega a ser ensurdecedor. A realidade dos ambientes corporativos alemães é bem diferente do Brasil, muito mais quieto e concentrado”, revela Silvana. Mas o volume de trabalho, com a grande procura por serviços de gerenciamento e conteúdo para redes sociais e assessoria de imprensa internacional acaba compensando as diferenças.

A jornalista Karen Krinchev é outro membro do time que trabalha de forma remota, em Londrina (PR). Para ela, é essencial ter uma rotina de muita disciplina para o homeoffice dar certo. “É preciso esquecer que se está em casa e trabalhar como se aquilo fosse um escritório”, recomenda.

Com disciplina e foco em resultados, é possível observar que a produtividade aumenta com o home office, pois não há tanta interferência externa, conversas paralelas, telefone tocando o tempo todo. Por outro lado, se o profissional se acomodar com o fato de estar em casa, o rendimento cai consideravelmente.

Como trabalhar longe do chefe
A jornalista Silvia Cunha, que atende empresas na comunicação B to B, considera que a tecnologia permite hoje trabalhar com o chefe remoto, algo inimaginável poucos anos atrás. Porém, ela recomenda utilizar um conjunto de sistemas de controle. “Não basta se valer de um programa de videoconferência”, ela acredita. “É fundamental também colocar todas as informações numa ferramenta oline de compartilhamento de arquivos, além de manter atualizadas planilhas, relatórios e planejamentos”, ela sugere.

E será que o trabalho corre bem sem a cobrança da presença do chefe? Para a jornalista cultural Lívia Zeferino, é interessante receber autonomia e trabalhar por projetos, com olhos nos resultados. “É uma forma de você ser protagonista, não apenas operacional.”

Outra vantagemé que o tempo também é otimizado quando as reuniões ocorrem online. “Não perdemos tempo com deslocamentos, o que faz com que utilizemos melhor o momento da reunião para o que realmente interessa. Outro ponto importante é a abertura para a comunicação flexível e aberta, tanto entre a equipe interna quanto com os clientes. Todos sabem que, apesar da distância, eu estou disponível quando necessário”, afima Silvana.

Agência de comunicação sediada em Curitiba, a Smartcom oferece serviços de gerenciamento e conteúdo para redes sociais, assessoria de imprensa internacional, design, endomarketing e auditoria de posicionamento interno e externo. Com braços na Alemanha, Argentina e no interior do Paraná, além de profissionais de comunicação qualificados, garante a conexão entre os pontos envolvidos no segmento do Business to Business, que envolvem newsletters, revistas institucionais internas e externas, informativos, bem como ações de relacionamento individualizado com influenciadores digitais e da mídia.

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.

Assine a nossa Newsletter

e receba informações relevantes do mercado TIC

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório

Agenda & Eventos