Artigos

Dependência tecnológica: você usa a tecnologia ou ela usa você?

Não é novidade para ninguém que a tecnologia transformou a vida e o cotidiano das pessoas. Ela vem assumindo um papel fundamental em nossa sociedade, desde estreitar nossa comunicação, melhorar a nossa qualidade de vida e até nos ajudar na tomada de decisão. No entanto, do mesmo modo que ela pode facilitar o nosso dia a dia, também pode nos escravizar.

Estamos cada vez mais dependentes de ferramentas tecnológicas, principalmente dos smartphones. Em uma simples tela entre 5 e 6 polegadas, fazemos transações bancárias, conversamos com pessoas do mundo inteiro, baixamos dezenas de aplicativos que auxiliam em nossa mobilidade e a organização da agenda de compromissos, sem falar dos jogos, filmes, séries e músicas para os momentos de distração.

De acordo com o relatório de monitoramento sobre os usuários do aplicativo Moment, as pessoas visualizam a tela do celular 52 vezes por dia e passam 3 horas e 57 minutos usando o smartphone. Outro estudo, realizado pela OnePoll, constatou que a geração Y está cada vez mais dependente da tecnologia. A chamada “geração millenial”, com pessoas entre 18 e 34 anos de idade, quase não descansa devido ao vício em celulares.

Tudo que é em excesso pode trazer prejuízos significativos. Algumas pessoas já não sabem fazer um simples trajeto sem usar o Waze, outras não conseguem anotar seus compromissos sem o auxílio da Inteligência Artificial do smartphone. Nestes casos, o uso do celular não é uma conveniência, mas sim uma questão de sobrevivência.

Essa dependência pode causar vários efeitos colaterais. Além de não conseguir realizar tarefas antes feitas sem o auxílio dos aplicativos, a pessoa pode ficar mais suscetível a apresentar episódios de ansiedade, depressão, insônia e impulsividade. Uma pesquisa recente feita pelo Ibope mostrou que 69% dos entrevistados acreditam que o celular afeta negativamente suas vidas, mas mesmo assim, não conseguem viver sem ele.

Na verdade, ninguém precisa se livrar das tecnologias conquistadas. O segredo está em equilibrar os prazeres que as ferramentas tecnológicas proporcionam com o mundo real. Aproveite os recursos para tornar o dia a dia mais prático, para manter sua agenda organizada, para fazer anotações, ter um aplicativo que ajude com os exercícios da academia, com a previsão do tempo ou até mesmo que mostre o como está o trânsito. Mas use do bom senso. Afinal, de que vale os avanços tecnológicos se você for escravizado por eles?

Por Alessandra Montini, diretora do LabData, da FIA

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.

Assine a nossa Newsletter

e receba informações relevantes do mercado TIC

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório

Agenda & Eventos