Tendências

Decisões sobre cibersegurança devem se voltar para benefícios à sociedade mundial

O mundo está em uma "encruzilhada tecnológica" e a sociedade precisa ir além de confiar nas tecnologias emergentes e se concentrar em usá-las a seu benefício

 

“Durante o Fórum Econômico Mundial em 2018, houve um painel intitulado In Technology We Trust ou, ‘na tecnologia nós confiamos’, que postulou que o movimento de confiar em tecnologias para garantir a segurança global é a discussão mais crucial e importante de todas. Ainda que isso permaneça sendo verdade, precisamos ir além da discussão sobre a confiança inerente em tecnologias específicas e nos concentrar em como elas podem ser realmente usadas para beneficiar a sociedade mundial”, afirma Tom Patterson, Chief Trust Officer (CTO) da Unisys.

“Tecnologias como 5G, computação quântica, inteligência artificial e biometria são transformadoras individualmente, mas coletivamente vão reescrever por completo os modelos de segurança em geral – para melhor ou pior. Nossos níveis de segurança e privacidade nos próximos anos serão dominados pelas decisões que fizermos hoje”, completa.

Nossos níveis de segurança e privacidade nos próximos anos serão dominados pelas decisões que fizermos hoje”, completa. 

Patterson apresentou suas opiniões sobre essa encruzilhada tecnológica e também participou de um painel de especialistas em cibersegurança de Barclays, Intuit, Palo Alto Networks, SAP e Sinet, no evento Dialogue Cyber Future 2019, realizado no dia 22 de janeiro, em Davos, Klosters na Suíça. Entre os tópicos da apresentação de Patterson, estão a importância de os cidadãos desempenharem um papel na decisão sobre como as tecnologias emergentes serão aplicadas às suas vidas na proteção e fornecimento de infraestrutura crítica entre os governos, e nos setores de transporte, energia, finanças, defesa e saúde.

A apresentação ajudará a ampliar a presença da Unisys como voz líder na Europa no diálogo sobre cibersegurança. A companhia anunciou em novembro de 2018 seu apoio ao Acordo de Paris para Confiança e Segurança no Ciberespaço, em consonância com seu compromisso com a segurança cibernética mundial e a promoção das melhores práticas entre governos internacionais e empresas. A Unisys foi uma das primeiras incentivadoras dessa iniciativa global, que visa fazer da Internet um lugar mais seguro ao redor do mundo.

Patterson também atua como um dos líderes do grupo de trabalho do subcomitê Cyber Moonshot da Casa Branca,  presidido por Peter Altabef, presidente e CEO da Unisys -, que é parte da Comissão Consultiva Nacional de Segurança em Telecomunicações – National Security Telecommunications Advisory Committee – Nstac. Fundada em 1982 pelo então presidente Reagan, por meio de um ato do Congresso, a Nstac é encarregada de fornecer informações e recomendações ao presidente dos Estados Unidos no que diz respeito à segurança nacional. O relatório do Cybersecurity Moonshot inclui um conjunto de sugestões para uma “abordagem no nível da nação” relacionada à Internet – algo semelhante ao que foi anunciado pelo presidente Kennedy para “levar o homem até a lua e trazê-lo de volta em segurança” no final da década de 1960.

Líderes da Unisys também apoiam ativamente o EastWest Institute  – EWI, uma rede global de influenciadores envolvidos e empenhados na promoção da confiança e na prevenção de conflitos ao redor do mundo. Altabef atua no conselho do EWI.

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.

Assine a nossa Newsletter

e receba informações relevantes do mercado TIC

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório

Agenda & Eventos