Destaque Tendências

Conheça o perfil das empresas prontas para o futuro

Estudo da Accenture mostra que o uso intensivo de tecnologia poderia gerar mais de US$ 5 trilhões em crescimento

A aceleração da adoção digital impulsionada pela pandemia e as novas formas ágeis de operação resultantes poderiam desbloquear US$ 5,4 trilhões em crescimento lucrativo se aplicada amplamente, de acordo com o novo Fast-Track to Future – Ready Performance da Accenture. As descobertas do estudo indicam que mesmo em meio à atual incerteza econômica, um pequeno núcleo de empresas – cerca de 7% – alcançou quase o dobro da eficiência e três vezes a lucratividade dos pares. Essas empresas prontas para o futuro dobraram sua capacidade de transformação digital e reformularam os modelos operacionais, passando de melhorias incrementais à reinvenção no atacado.

Com base em uma pesquisa global com 1.100 executivos de nível sênior e dados financeiros validados externamente, o relatório avaliou o impacto de alcançar níveis progressivos de maturidade de operações de negócios com o nível mais alto sendo “pronto para o futuro”.  Quanto maior a maturidade, maior o grau de recursos digitais, como Inteligência Artificial (IA), Nuvem e análise de dados.

Com foco em aumentar as pessoas com tecnologia, 71% das organizações prontas para o futuro adotaram totalmente IA e recursos de ciência de dados – um aumento de 18 vezes em relação a apenas 4% três anos atrás

“A incerteza também valorizou formas novas e ágeis de fazer as coisas, reforçando a ideia de que as operações podem ser um catalisador para vantagem competitiva, valor transformacional e crescimento”, disse Manish Sharma, executivo-chefe do grupo de Operações da Accenture. “Mas isso só funciona se as empresas pensarem grande – transformando como o trabalho realmente é feito em tecnologia, processos e pessoas”, observou.

Tecnologias

As empresas prontas para o futuro transformam a forma como o trabalho é feito usando dados ricos para a tomada de decisões, aumentando as pessoas com IA e emprego de modelos ágeis de força de trabalho – com diferenças marcantes na adoção digital e maturidade operacional.

Segundo o estudo, 9 em cada 10 organizações prontas para o futuro (90%) – contra 76% de outras organizações – usam infraestrutura em Nuvem em escala e 78% também estão explorando novas áreas para dimensionar e maximizar valor.

Com foco em aumentar as pessoas com tecnologia, 71% das organizações prontas para o futuro adotaram totalmente IA e recursos de ciência de dados – um aumento de 18 vezes em relação a apenas 4% três anos atrás – e 38% agora escalam as práticas de IA, em comparação com apenas 3% de outras organizações. Esse número está crescendo, com 63% das organizações prontas para o futuro que devem escalar as práticas de IA até 2023.

Dois terços (67%) das organizações preparadas para o futuro adotaram processos digitais de ponta a ponta e 58% continuam a escalar práticas líderes, em comparação com 32% e 6%, respectivamente, de outras organizações. Espera-se que quatro quintos (82%) ampliem as práticas de liderança até 2023.

As organizações prontas para o futuro têm mais de 10 vezes mais probabilidade do que outras organizações (52% contra 5%) de usar análises em escala – combinadas com conjuntos de dados melhores e mais diversos (45% contra 6%) – para gerar percepções acionáveis ​​e informam a tomada de decisões. Espera-se que três quartos (75%) usem análises com dados diversos até 2023.

E um terço (34%) das organizações prontas para o futuro adotaram uma estratégia de força de trabalho ágil em escala, em comparação com apenas 4% de outras organizações, permitindo-lhes aproveitar um pool de talentos expandido entre parceiros do ecossistema para mobilizar talentos especiais como necessário. A Accenture estima que 71% adotarão uma estratégia de força de trabalho ágil até 2023.

“As organizações preparadas para o futuro sabem que se trata de maximizar o talento em uma era em que as pessoas são essenciais para o sucesso”, disse Sharma. “Eles estão aproveitando a mudança reformulando os modelos operacionais de forma a capitalizar a engenhosidade humana e a inteligência da máquina para transformar a maneira como as pessoas trabalham e o desempenho dos negócios”, concluiu.

Serviço
www.accenture.com

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.

Assine a nossa Newsletter

e receba informações relevantes do mercado TIC

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório

Agenda & Eventos