Artigos

Cinco tendências de TI pós-Coronavírus

Já não restam dúvidas: apenas empresas com maturidade digital irão prosperar no futuro. É verdade que durante a pandemia do novo Coronavírus, experimentamos dois sentimentos: antes, o medo do desconhecido e das alterações nas rotinas e, agora, a busca por soluções que atendam aos desafios atuais. Um mundo diferente será construído, mas uma coisa é certa: os dados serão imperativos neste novo contexto econômico.

Quem não se preparar para rever seus processos, adequando-os às condições atuais, correrá sérios riscos de ter seus negócios fragilizados – como já estamos vendo nestes dias de quarentena – e de certo perderá espaço para aqueles que priorizarem soluções de tecnologia.

Mesmo sem a absoluta certeza do que está por vir, é possível vislumbrar cinco tendências no universo da Tecnologia da Informação que precisam estar na agenda executiva:

1. Ferramentas com vieses mais analíticos que dispõem de informações estratégicas em formatos objetivos e, por isso, facilitam o autoatendimento de todos os departamentos, serão necessárias para acompanhar os novos modelos de consumo que estão nascendo, seja de produto ou de serviço;
2. A ampliação da infraestrutura digital é imprescindível para empresas de todos os tamanhos. O mercado requer formas de interações rápidas e eficientes e, por isso, espera-se a potencialização do 5G e da fibra ótica;
3. Tecnologias ágeis, por exemplo, low-code, proporcionam a implementação de processos em tempo real e à distância. Esse tipo de tecnologia, garante a possibilidade de testar e disponibilizar soluções de acordo com as demandas da empresa;
4. A assinatura digital, como alternativa para redução dos documentos e processos físicos, ampliará o uso da gestão eletrônica de documentos com Inteligência Artificial;
5. Os “terminais burros”, aqueles que não têm poder de processamento, retornam o uso para acessar os servidores das empresas sem armazenar os dados na máquina, resultando em segurança de acesso à informação para os trabalhos remotos, que serão mais frequentes.

Esses direcionamentos estão baseados em tecnologias que já existem e, agora, serão mais difundidas, visto que o Coronavírus antecipou ‘à fórceps’ o futuro. Com a gradual retomada da atividade, voltaremos com novos hábitos e formas diferentes de trabalhar, como a substituição das viagens executivas pelas videoconferências, assim como o desenvolvimento de novas competências para a execução de funções à distância.

O mundo dos negócios é dinâmico e será, cada vez mais, estruturado em dados. Por isso, as tecnologias corporativas devem disponibilizar informações claras que podem ser acessadas rapidamente e em tempo real. O futuro está num autoatendimento preciso e intuitivo. Para isso, os dados guiarão nossos passos, como empresa e sociedade, e nos darão condições de transformar as entregas de acordo com a nova realidade, seja no âmbito B2C ou B2B. Quem se adaptar, sobreviverá ao mundo que nos espera.

Por Carlos Kazuo Tomomitsu, CEO e mentor da KeepTrue

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.

Assine a nossa Newsletter

e receba informações relevantes do mercado TIC

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório

Agenda & Eventos