Destaque Entrevistas

Biometria e reconhecimento facial agilizam processos em diversos setores, além de segurança

Daniel Domingues, diretor de safer city da NEC, empresa que integra e fabrica soluções que vão de telefonia à segurança, concede entrevista à Infor Channel e fala sobre as tecnologias que podem, inclusive, prevenir incidentes

O que há disponível no mercado brasileiro em termos de reconhecimento facial?
No Brasil, o reconhecimento facial tem sido utilizado, na maioria dos casos, com foco na segurança, incluindo os sistemas mais robustos aplicados à segurança pública e os individuais, como os sistemas que desbloqueiam equipamentos eletrônicos. Além disso, algumas empresas estão começando a usar essa tecnologia para tornar mais práticos alguns processos, a exemplo do check-in realizado pelas empresas aéreas. É importante ressaltar, no entanto, que o reconhecimento facial abre inúmeras possibilidades de aplicação, além das que já temos no país atualmente, e que não são empregadas por questões de impossibilidade de investimento.
A tecnologia de reconhecimento de rosto de vídeo identifica os rostos em movimento, em tempo real, enquanto andam naturalmente sem parar na frente de uma câmera. Os benefícios da análise de vídeo de alta velocidade permitida por esta tecnologia incluem a prevenção de possíveis incidentes com a detecção de pessoas suspeitas e o reconhecimento de indivíduos nos portões de instalações críticas.
O uso de imagens de vídeo de câmeras padrão para reconhecimento facial requer técnicas altamente avançadas em comparação com as utilizadas para imagens estáticas. Isso ocorre porque as imagens são muito influenciadas pelas condições ambientais, como a localização da câmera, a qualidade da imagem, a iluminação e o tamanho do objeto, além do comportamento de um sujeito, incluindo a velocidade de caminhada, a direção do rosto e a linha de visão.

E em biometria?
A biometria digital abrange todos os sistemas de identificação por meio de algoritmos, que podem utilizar o reconhecimento da face, das impressões digitais, da íris, do palmar e até mesmo da cavidade auricular para apontar a identidade de um indivíduo. Além disso, os algoritmos permitem identificar até mesmo objetos, como frutas, que têm características únicas e podem ser monitoradas ao longo de todo o processo produtivo.
No Brasil, vemos a maioria das aplicações de biometria focada na leitura de impressões digitais, de forma mais simplificada, como tem sido usada no acesso a faculdades, academias etc. Essas são soluções de baixa complexidade e, por isso, mais acessíveis financeiramente.

São acessíveis à maioria ou ainda está na camada de grandes empresas?
As plataformas mais robustas, que permitem uma análise mais acurada, como nas infraestruturas críticas, demandam mais investimento, por isso, ainda estão mais restritos às grandes empresas e ao governo. Além de adquirir a ferramenta, é importante lembrar que é preciso contar com uma estrutura computacional para o ótimo funcionamento da tecnologia, seja ela de reconhecimento facial, leitura de impressão digital etc.

Qual é a efetividade dessas tecnologias?
As soluções de biometria da NEC, que compõem o portfólio Bio-IDiom da empresa, são reconhecidas como as mais precisas e rápidas do mercado global, com base em análises de benchmark realizadas pelo U.S. National Institute of Standards and Technology – Nist. Com base no último teste, divulgado em 2018, a tecnologia de reconhecimento facial da NEC, por exemplo, apresentou uma precisão correspondente a 99,2%. O percentual de erro de 0,8% é quatro vezes inferior ao verificado em segundo lugar.
Para a obtenção de um reconhecimento facial confiável a partir de uma imagem de vídeo, a companhia desenvolveu uma tecnologia de extração de pontos que permite o reconhecimento de faces ao ponto de um indivíduo poder ser identificado com alta precisão dentro de um grupo, mesmo que seu rosto esteja parcialmente escondido ou as imagens tenham sido tomadas de ângulos diferentes.

Elas são complementares a outras soluções de segurança?
As tecnologias podem ser combinadas. Na verdade, esse é o ideal, se pensarmos em termos de efetividade em segurança. Aliar, por exemplo, o reconhecimento facial ao da íris seria a melhor opção. A tecnologia de reconhecimento facial da NEC também utiliza tecnologias de leitura profunda para identificação de faces, a fim de aumentar a precisão ao ponto de um indivíduo poder ser identificado por uma imagem de baixa resolução capturada por uma câmera distante. A NEC tem um case muito interessante no Brasil, que é o sistema de reconhecimento facial fornecido para a Receita Federal. A plataforma foi instalada em 14 aeroportos internacionais do País, na área de desembarque (nada a declarar) e começou a funcionar em 2016, antes da Olimpíada do Rio. Esse projeto trouxe efetividade e praticidade a um processo que anteriormente era baseado somente na experiência dos agentes.

Quais setores são mais aderentes?
Além da segurança pública, o setor bancário está aderindo à tecnologia uma vez que precisa, cada vez mais, garantir a segurança de seus processos, dos dados dos clientes, entre outras informações. Mas é importante destacar que outros segmentos também podem se beneficiar de plataformas de biometria, aplicando sistemas de reconhecimento de clientes VIPs, como é o caso dos hotéis. Seria um grande diferencial se todo hóspede habitual não mais precisasse preencher a ficha e, assim, tivesse sua recepção facilitada.

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.

Assine a nossa Newsletter

e receba informações relevantes do mercado TIC

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório

Aruba

Agenda & Eventos