book_icon

Banco de Dados em Nuvem e Open Source é tendência para estruturar aplicações sem ‘lock in’

Quando a solução é desenvolvida em um banco de Dados proprietário, é preciso arcar com os altos custos das licenças para seguir usando esse modelo, porque a solução fica presa dentro do banco, o chamado lock in

Banco de Dados em Nuvem e Open Source é tendência para estruturar aplicações sem ‘lock in’

As empresas, indústrias e todo o tipo de negócio que utilizam um banco de Dados, sabem do alto custo que possuem para operacionalizar e deixar a manutenção e atualização sempre em dia para evitar prejuízos aos negócios.

Um banco de Dados pode ser on-premise, ou seja, quando há um servidor físico local (de preferência em uma sala bem refrigerada para manter o hardware em temperatura estável). Nesse caso, quando a solução é desenvolvida em um banco de Dados proprietário, é preciso arcar com os altos custos das licenças para seguir usando esse modelo, porque a solução fica presa dentro do banco, o chamado lock in. E se além de armazenar informações, o código do sistema for escrito em um banco de Dados on-premise, pode ser necessário, em alguns casos, reescrever a aplicação para conseguir migrar para outro tipo de banco de Dados.

Usar a Nuvem elimina a necessidade de uma grande infraestrutura de espaço para armazenar hardware e equipamentos  

Outra opção é ter o banco de Dados na Nuvem, de arquitetura aberta, o que tem sido o grande movimento tecnológico dos últimos anos com o surgimento das empresas chamadas de nativas digitais. Esses bancos de Dados na Nuvem fazem parte de comunidades de desenvolvedores, com ampla base de conhecimento, tutoriais e suporte online. Além disso, usar a Nuvem elimina a necessidade de uma grande infraestrutura de espaço para armazenar hardware e equipamentos.

Segundo o estudo da IDC, Latin America IT Investment Trends 2023, segurança de Cloud e segurança de TI aparecem como prioridades de 38% dos entrevistados, seguidos por serviços gerenciados (37%), mobilidade empresarial (32%), gerenciamento de TI (30%) e Nuvem híbrida e infraestrutura de Cloud (20%). E a estimativa da velocidade de tecnologia de crescimento da Nuvem pública é a taxa de crescimento composta anual (CAGR) de 36,6% e movimentar US$ 6,3 bilhões até 2026.

A Huawei Cloud, unidade de negócios da Huawei que fornece infraestrutura e soluções para computação em nuvem, criou o GaussDB, um banco de Dados Open Source. Ele tem capacidade para implementar todas as features que os demais bancos de Dados já utilizam, mas sem o lock in, ou seja, quem utiliza a solução da Huawei Cloud não fica com o sistema preso no banco de Dados. O GaussDB foi criado dentro da comunidade Cloud Native Computing Foundation (CNCF), comunidade de Open Source do mercado.

“O GaussDB veio para ajudar as empresas a estruturarem as suas aplicações. Os sistemas das companhias do setor financeiro no Brasil exigem um banco de Dados que forneça alta simultaneidade, grande volume de armazenamento e baixa latência. Com o GaussDB, são fornecidos petabytes de armazenamento e confiabilidade de nível profissional. Seu mecanismo de armazenamento reduz a variação de latência por tempo ideal de 8 horas em 81% e o espaço de armazenamento necessário em 17%. Além do mais, o banco de Dados principal e em repouso da solução atende aos requisitos de continuidade de serviços sem interrupções das principais aplicações financeiras”, conta Djonieison Demichei, diretor de FinTech da Huawei Cloud Brasil. O GaussDB foi um dos temas apresentados pela Huawei na Febraban Tech 2024, que ocorreu no final de junho, em São Paulo.

Além desse produto, a Huawei Cloud também apresentou a sua nova arquitetura Change, desenvolvida para os setores financeiro, governamental, de e-commerce e de mídia. A arquitetura é uma plataforma holística, com soluções inovadoras para cenários específicos e serviços eficientes.

Seguindo as tendências de desenvolvimento de Nuvem para o setor financeiro, é um caminho promissor para as companhias do setor. O seu objetivo é proporcionar experiências excepcionais aos usuários, eficiência operacional e valor de negócios.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.