book_icon

Vianews revela uso de IA na comunicação corporativa pela AL em 2024

De acordo com 71% dos entrevistados, o setor de tecnologia é o segmento que mais contrata serviços de comunicação corporativa na atualidade, seguido pelo setor de telecomunicações, citado em 28% das respostas

Vianews revela uso de IA na comunicação corporativa pela AL em 2024

Levantamento realizado pela Vianews, agência de comunicação integrada com 38 anos de mercado, revela como está sendo o uso de Inteligência Artificial e demais curiosidades sobre a comunicação corporativa em diferentes países do continente latino-americano.

Realizado com profissionais do México, Colômbia, Chile, Argentina, Peru, Bolívia e Brasil entre os insights apresentados no estudo estão: as principais estratégias de comunicação corporativa utilizadas pelas empresas, os meios de comunicação mais populares nos países pesquisados, os setores econômicos que mais demandam serviços das agências e como o avanço da Inteligência Artificial está impactando o setor de comunicação.

Os Dados foram coletados no primeiro semestre de 2024, a partir de entrevistas qualitativas feitas com os colaboradores e parceiros da agência que atuam nos países analisados.

Entre as ferramentas mais utilizadas, destaque para o ChatGPT, citado por praticamente todos os pesquisados  

Abaixo, seguem os principais resultados.
Segmentos que mais contratam
De acordo com 71% dos entrevistados, o setor de tecnologia é o segmento que mais contrata serviços de comunicação corporativa na atualidade, seguido pelo setor de telecomunicações, citado em 28% das respostas.

Porém, cabe ressaltar que no que se refere aos segmentos que mais consomem serviços de comunicação corporativa, cada país tem sua peculiaridade.

No México, por exemplo, outros setores citados no levantamento foram o automotivo, farmacêutico, de manufatura, energia, exposições, saúde e beleza.

Já na Argentina, os demais segmentos mencionados foram alimentício, saúde, beleza, educação e petrolíferas.

No Chile, mercados verticais e commodities, marcas e o setor público foram os mais mencionados.

Na Colômbia, destaque para construção, turismo e governo; na Bolívia, para bancos, indústrias de hidrocarbonetos, universidades e grandes fábricas de alimentos, como frango, biscoitos e laticínios; e no Peru, para o mercado de consumo, educação, saúde e restaurantes.

Uso de IA
Ao serem questionados sobre como está sendo o uso de Inteligência Artificial na comunicação em seus respectivos países, a maioria dos entrevistados apontou para uma crescente utilização da tecnologia, sobretudo, no apoio à produção de conteúdos, gerenciamento de reuniões e entrevistas e design.

Entre as ferramentas mais utilizadas, destaque para o ChatGPT, citado por praticamente todos os pesquisados

Na Bolívia, o uso da IA foi apontado como não sendo tão comum no dia a dia da comunicação, e mais restrito ao apoio na produção de conteúdo.

Já no Chile, pesquisa realizada pela e- press com 71 líderes de comunicação revelou que apesar da grande maioria dos entrevistados (93%) verem a IA como uma oportunidade, o seu uso não é tão difundido como se poderia esperar, uma vez que apenas 50,7% deles declararam que o aplicam em seu trabalho. E isso ainda muito informalmente, já que entre aqueles que o utilizam, apenas 19,7% receberam algum tipo de treinamento; e menos de 14% pagam alguma ferramenta.

No Brasil, segundo pesquisa in house realizada pela agência Vianews, 93% dos colaboradores já utilizam IAs em suas rotinas de trabalho ou tarefas pessoais. Entre as ferramentas mais usadas estão ChatGPT (42,9%), Supernormal (19%) e Google Gemini (14%), seguidas por Leonardo AI, Grammarly, Take Blip ViraTexto e Photoshop Generative, presentes em 4,8% das respostas cada uma.

Serviços mais buscados
Entre os serviços de comunicação mais buscados, o de relações públicas aparece em primeiro lugar, sendo citado por todos os entrevistados.

Na sequência, aparecem os serviços de marketing digital, social media e produção de conteúdo, com 85% de menções, e relações públicas para eventos, presente em 14% das respostas.

Com relação aos influencers, apesar de todos os entrevistados afirmarem ter em seu País estratégias de comunicação voltadas a esse público, há algumas distinções.

No México, por exemplo, a estratégia de comunicação com influenciadores é mais voltada a empresas de setores de consumo em massa, e menos por empresas especializadas. Além disso, como não é comum realizar campanhas 100% focadas em troca de produtos no país, a recomendação às empresas por lá é ter pelo menos um pequeno orçamento em caixa específico para tais ações. E isso também cabe ao Chile, onde a maioria das campanhas realizadas também costumam ser pagas.

Já na Colômbia, assim como no Brasil, as estratégias de comunicação com influenciadores são uma atividade que ganhou grande força nos últimos anos. No entanto, para ambos, o foco atual das estratégias mais assertivas é selecionar o influenciador certo, que não se determina apenas pelo número de seguidores e interações, mas também pelo tipo de conteúdo que produzem, pelo tom das informações transmitidas e pela relevância de seus temas.

Meios de comunicação mais populares
Apesar do avanço dos meios digitais, a televisão e o rádio ainda seguem sendo os meios de comunicação mais populares na América Latina, segundo 71% dos entrevistados.

Na sequência, aparecem os portais, citados por 42% dos entrevistados, acompanhados pelos impressos e redes sociais, ambos empatados com 28% das respostas.

Já no Brasil, o cenário é um pouco diferente. Segundo Dados do relatório Digital News Report 2023, produzido pelo Reuters Institute, o consumo de fontes tradicionais de notícias no País tem sido liderado por meios online (79%), seguidos por Social Media (57%) e somente na terceira colocação a televisão (51%).

Abordagem aos jornalistas
Com relação à abordagem aos jornalistas, o e-mail e WhatsApp são praticamente unânimes em todos os países avaliados, incluindo o Brasil. Já ligações telefônicas são mencionadas, apenas, em casos específicos, como para sugestões de pautas exclusivas e/ou urgentes.

No México, uma curiosidade apontada nessa relação é a questão geracional. Segundo os entrevistados, enquanto os jornalistas mais seniores preferem contatos por e-mail e, eventualmente, WhatsApp, os mais jovens, especialmente que fazem a cobertura das editorias de lifestyle e notícias gerais, preferem ser acionados por meio de directs em seus perfis nas redes sociais, como Instagram, LinkedIN e WhatsApp.

“Um continente tão diverso, quanto o latino-americano, apresenta grandes desafios. A principal dica que podemos dar para as empresas que desejam ingressar nessa região é contratar uma agência que tenha interfaces ou atuação local. Isso porque somente um nativo consegue navegar em um mercado com tantas nuances Dessa forma se constrói credibilidade com o melhor custo-benefício e as melhores práticas indicadas para cada lugar”, explica Pedro Cadina, CEO da Vianews.

Últimas Notícias
Você também pode gostar
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.