book_icon

Cresce interesse na adoção de Códigos 2D, mostra pesquisa da GS1 Brasil

No Brasil, 43% das indústrias demonstraram interesse em utilizar Códigos 2D para rastreabilidade com vistas à maior visibilidade da cadeia de suprimentos

Cresce interesse na adoção de Códigos 2D, mostra pesquisa da GS1 Brasil

A  Associação Brasileira de Automação – GS1 Brasil publicou a Pesquisa 2D – Brasil e Latam, que tem como principal objetivo avaliar o interesse das empresas de diversos setores da economia da América Latina em adotar e implementar Códigos 2D para obterem mais eficiência e agilidade em seus processos de automação. Realizada entre junho e setembro de 2023, a pesquisa contou com participação de cerca de 110 supermercadistas e 710 indústrias de todos os portes. Entre os segmentos abordados estão alimentos, artesanato, bebidas, cosméticos, limpeza, roupas, casa e jardim, calçados e saúde – exceto medicamentos.

As entrevistas apontaram resultados positivos em relação à adoção dos Códigos 2D tanto na indústria quanto entre supermercadistas. No Brasil, 43% das indústrias demonstraram interesse em utilizar Códigos 2D para rastreabilidade com vistas à maior visibilidade da cadeia de suprimentos. Na América Latina, a gestão de estoque aparece como a aplicação de maior interesse, citada por 50% dos participantes.

No segmento específico de supermercados, a gestão de estoque é o motivador maior para o uso de dados adicionais em Códigos 2D

De acordo com João Carlos de Oliveira, presidente da GS1 Brasil, a adoção do QR Code traz inúmeras vantagens para as indústrias, entre elas aproximar-se de seus clientes e aumentar sua relevância no mercado. “O estudo revela os benefícios significativos que nossos parceiros que adotaram o QR Code Padrão GS1 estão experimentando. O sistema de rastreabilidade e gestão de estoque permite que os empresários conduzam seus negócios com muito mais confiança e eficiência”, afirmou Oliveira.

A pesquisa destaca ainda um dado promissor. No Brasil, 35% das indústrias que não adotaram Códigos 2D planejam incluir o padrão em seus produtos nos próximos dois anos. No cenário latino-americano, 40% das indústrias expressam a mesma intenção, o que faz desse padrão uma tendência crescente na adoção de tecnologias que podem transformar a gestão de suprimentos e a eficiência operacional em toda a região. Vale destacar que 21% das indústrias brasileiras já estampam Códigos 2D em suas embalagens contra 16% de toda a América Latina.

Desafios

Embora haja empenho das empresas latino-americanas, incluindo as brasileiras, em adotar Códigos 2D, alguns desafios foram apontados por elas. Em particular, foi citado o desconhecimento sobre os custos envolvidos na migração do código de barras tradicional para os Códigos 2D. Na sequência, há a preocupação com atualizações de software e de hardware. No quadro, os desafios das indústrias.

O engajamento do consumidor e ações de marketing foram apontados por 73% das indústrias brasileiras e 59% das latino-americanas como principais objetivos para a aplicação dos Códigos 2D. Na sequência, tem-se o aprimoramento de embalagens, os benefícios da rastreabilidade, requisito do consumidor, regulamentação, segurança, sustentabilidade e prevenção de falsificações.

No segmento específico de supermercados, a gestão de estoque é o motivador maior para o uso de dados adicionais em Códigos 2D.

 

Últimas Notícias
Você também pode gostar
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.