book_icon

Líderes financeiros otimistas quanto ao impacto da GenAI, aponta Gartner

Para a maioria das equipes de finanças, o GenAI provavelmente será uma interface para interagir com outros modelos de IA baseados em aprendizado de máquina

Líderes financeiros otimistas quanto ao impacto da GenAI, aponta Gartner

Os líderes financeiros acreditam que a IA generativa (GenAI) terá o caso de uso mais impactante nas explicações de variação de previsão/orçamento, de acordo com uma pesquisa do Gartner. A pesquisa com 100 líderes financeiros – realizada em novembro de 2023 – revelou os casos de uso do GenAI que os líderes de finanças corporativas antecipam que terão mais impacto em sua função em 2024.

“A explicação de variação de previsão e orçamento como a principal escolha reflete a disponibilidade de interfaces GenAI incorporadas em ferramentas de Business Intelligence”, disse Clement Christensen, analista diretor sênior de Pesquisa na prática de Finanças do Gartner. “Isso permite que os usuários realizem consultas em linguagem natural para avaliar rapidamente as causas comuns conhecidas de variância”, explicou.

Os líderes financeiros veem potencial na acessibilidade do GenAI nas finanças, mas questões válidas sobre confiabilidade, precisão, auditabilidade e custo, bem como privacidade e segurança de dados, ainda permanecem

Os recentes avanços do GenAI refinaram os modelos, de modo que eles são mais capazes de suportar tarefas relacionadas a previsões e variâncias, informações do setor e outros fatores que geram hipóteses em torno do desempenho do negócio, que podem ser testadas por meio de modelos estatísticos.

Quando se trata de desafios potenciais em torno da implementação do GenAI, os líderes financeiros esperam lidar com questões relacionadas a talento, precisão e governança de dados, compatibilidade técnica, orçamento e gerenciamento de mudanças. A precisão dos dados e as limitações de talentos causam um pouco mais de preocupação, embora a distribuição bastante uniforme de outras barreiras potenciais reitere a experiência relativamente limitada dos líderes financeiros com a GenAI.

“O GenAI tem tudo a ver com grandes modelos de linguagem, mas o núcleo do trabalho das finanças não está em linguagem natural, está em números, então muitos líderes financeiros ainda estão esperando para ver um aplicativo GenAI que possa lidar de forma confiável com cálculos complexos”, disse Christensen. “Para a maioria das equipes de finanças, o GenAI provavelmente será uma interface para interagir com outros modelos de IA baseados em aprendizado de máquina ou outros modelos não generativos nos próximos anos”, comentou.

Os líderes financeiros que buscam adotar o GenAI em sua função devem manter a mente aberta e envolver as principais partes interessadas, incluindo a liderança financeira e as equipes de TI para discutir prioridades e expectativas. Eles também devem identificar quando abordar os fornecedores para ajudar a determinar quais ofertas GenAI valem a pena adquirir para as necessidades da organização. Finalmente, os CFOs devem auditar dados críticos com os respectivos proprietários antes da implementação, para decidir quais modificações devem ser implementadas para uso por um modelo GenAI.

“Os líderes financeiros veem potencial na acessibilidade do GenAI nas finanças, mas questões válidas sobre confiabilidade, precisão, auditabilidade e custo, bem como privacidade e segurança de dados, ainda permanecem”, finalizou Christensen.

 

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.