book_icon

Intelbras implementa rede privada 5G Standalone em seu laboratório

A rede está prevista para começar a funcionar ainda no primeiro trimestre de 2023 e conta com a participação da Logicalis, Qualcomm Technologies, Microsoft e Telecom Infra Project.

Intelbras implementa rede privada 5G Standalone em seu laboratório

A Intelbras, desenvolvedora brasileira de tecnologias, anunciou a instalação de uma rede privada 5G Standalone em seu laboratório de testes localizado na sede da companhia (SC), com objetivo de auxiliar no desenvolvimento de soluções tecnológicas inovadoras. A rede está prevista para começar a funcionar ainda no primeiro trimestre de 2023 e conta com a participação da Logicalis, Qualcomm Technologies, Microsoft e Telecom Infra Project.

Para Amilcar Scheffer, diretor da unidade de Redes da Intelbras, a parceria entre as empresas reforça a importância da colaboração empresarial na implementação do 5G no Brasil. “A Intelbras, como uma empresa desenvolvedora de soluções tecnológicas, irá usufruir dos inúmeros benefícios provenientes do 5G, de forma que novos produtos poderão surgir já testados e capacitados a funcionar na nova geração de Internet. Contar com grandes empresas como parceiros na criação de novas soluções e no uso de plataformas será de grande importância na estratégia da companhia”, explicou.

A participação das empresas integradoras significa o fornecimento de uma tecnologia de ponta, que apoiará à Intelbras na criação de novos produtos 5G bem como acelerará sua Transformação Digital

O projeto da Intelbras envolve colaborações importantes e reúne, pela primeira vez no Brasil, companhias que fazem parte do TIP e que trabalham para o desenvolvimento de tecnologias 5G de padrão aberto, como Open RAN.

A Logicalis, provedora de serviços de tecnologia da informação e comunicação, será a integradora responsável pelos equipamentos que possibilitarão a rede privada no ambiente Intelbras. A rede vai operar na faixa de 3.7GHz a 3.8GHz proporcionando maior flexibilidade, agilidade e suporte às aplicações das empresas por meio de um ambiente multi vendor.

“Esse projeto reforça o papel do integrador no avanço de projetos de redes 5G privadas e, por consequência, no desenvolvimento dessa tecnologia no Brasil. Ao orquestrar toda essa arquitetura, entregamos ao mercado estruturas que unem soluções de última geração e que permitem acelerar as estratégias de digitalização das empresas”, afirma Rodrigo Vieira, diretor da área de Telecomunicações da Logicalis. O executivo destaca ainda que, graças ao seu amplo portfólio, a Logicalis está preparada para entregar soluções ponta a ponta, que vão da infraestrutura a aplicações de negócios, impulsionando conceitos como o de Indústria 4.0.

“A Qualcomm Technologies vem trabalhando para acelerar as redes privadas 5G no Brasil, as quais impulsionarão o desenvolvimento industrial do País. A participação das empresas integradoras significa o fornecimento de uma tecnologia de ponta, que apoiará à Intelbras na criação de novos produtos 5G bem como acelerará sua Transformação Digital”, comentou Fiore Mangone, senior director de Business Development da Qualcomm Serviços de Telecomunicações. O projeto contará com equipamentos de rádio 5G small cells, baseados na plataforma Qualcomm FSM100 5G RAN para Small Cells.

A Microsoft fornecerá toda a plataforma de core de rede e Nuvem pública: o Azure Private Network 5G Core. Para Danni Mnitentag, vice-presidente de Parceiros e Canais da Microsoft Brasil, “esse é um projeto inovador, não somente na América Latina, mas no mundo. Temos a oportunidade de mostrar a flexibilidade e escalabilidade do Azure Private Network 5G Core da Microsoft com empresas comprometidas com o desenvolvimento do País”, observou.

O suporte do Telecom Infra Project, comunidade global de empresas e organizações voltadas a impulsionar soluções de infraestrutura para promover a conectividade global, reforça o potencial das redes 5G baseadas em padrões abertos. “Esse projeto com a Intelbras é o primeiro que reúne parceiros empenhados em promover o avanço de padrões abertos, seja no Core da rede ou envolvendo tecnologia de rádio acesso (Open RAN). Esse é um passo importante e abre espaço para que possamos trabalhar conjuntamente em projetos cada vez mais inovadores, entregando conectividade com a qualidade esperada e atendendo aos requisitos de negócio necessários”, comentou Leonardo Stange, líder de Parcerias para o Telecom Infra Project na América Latina.

Serviço
www.intelbras.com.br

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.