book_icon

Superando os maiores desafios nos testes manuais de aplicativos mobile

Os produtos de software, sites e aplicativos mobile têm um objetivo central: oferecer o melhor acesso a serviços online e garantir a melhor experiência dos usuários. Portanto, é seguro dizer que apenas os usuários podem dizer se essas aplicações são boas o suficiente para eles e se oferecem o que prometem.

Assim, é também correto afirmar que, antes de ser oferecido no mercado, um aplicativo mobile ou sistema de software deve ser testado minuciosamente por uma equipe de profissionais de QA (controle de qualidade) ou de engenharia de testes.

Em um mundo onde a automação impera, seria comum supor que o teste manual de aplicativos seja um método arcaico e ineficaz de controle de qualidade. Mas isso é totalmente falso.

O fato é que o teste manual ajuda a detectar bugs, falhas de design ou problemas de usabilidade que podem afetar a experiência final do usuário. Isso é importante porque aproximadamente 20% dos usuários abandonam um aplicativo após a primeira sessão, o que significa que um em cada cinco usuários nunca voltará ao aplicativo ou pensará em reinstalá-lo. O teste manual pode ajudar também a reduzir consideravelmente essa taxa. No entanto, isso não quer dizer que não exista desafios enfrentados em projetos de teste manual.

O que é e como funciona o teste manual?
Como o próprio nome diz, os testes são realizados manualmente pelas equipes de QA e de engenharia de software e seguem um plano pré-estabelecido para analisar o desempenho do produto de software, sempre na perspectiva do usuário final. Eles servem para validar o comportamento real do software em relação ao desempenho esperado e qualquer diferença ou erro é relatada como sendo um bug. No entanto, este processo pode ser muito demorado, o que levanta outros desafios e envolvem vantagens e desvantagens. Por isso, é essencial conhecê-los para superá-los de forma eficaz.

Entendendo os requisitos
Para testes manuais, é necessário fornecer ao testador uma documentação detalhada de cada requisito de teste. Após esta etapa, a responsabilidade do testador é compreender adequadamente cada requisito sob a perspectiva geral que o projeto estabelece. Se os requisitos estiverem incertos em qualquer etapa, é necessário que certifique-se de que os detalhes sejam esclarecidos antes de iniciar qualquer teste manual.

Isso é vital, pois o testador faz os casos de teste de acordo com os requisitos especificados. Se ele não entender ou interpretar erroneamente uma condição dada, todo o propósito do teste de software falhará, definitivamente.

Cobertura de teste abrangente
Como nenhum aplicativo mobile ou sistema de software pode ser perfeito ao chegar ao mercado, o processo de teste estará sempre em andamento e evolução contínua. É vital cobrir a maior área possível durante o teste de software e é necessário identificar todos os defeitos e bugs para poder criar casos de teste relevantes.

O testador precisa dimensionar o aplicativo mobile ou sistema de software sem considerar o uso de qualquer tecnologia automatizada para esta tarefa. Como a complexidade do software aumenta com seu crescimento, é difícil encontrar todos os defeitos em um dado momento e, como resultado, alguns bugs e problemas podem desaparecer, afetando posteriormente o desempenho do aplicativo quando colocado no mercado.

Problemas no teste de regressão
O teste de regressão é uma técnica que consiste na aplicação de versões mais recentes do software para garantir que não surgiram novos defeitos em componentes e que as novas alterações e atualizações não afetem outro código e reduzam a sua funcionalidade e experiência do usuário. No entanto, ao passo em que o software se expande após cada atualização, torna-se improdutivo aplicar testes manuais. Isso impossibilita verificar novas alterações e a funcionalidade do código anterior e rastrear quaisquer novos defeitos que possam ter surgido devido à nova codificação.

Problema em manter prazos
As empresas vivem em um crescente competição e tendo que dar respostas rápidas ao mercado. Desta maneira, precisam manter o prazo de lançamento do aplicativo dentro do previsto. Se o app não for testado corretamente a tempo, ele irá adiar a data de lançamento, o que incorrerá em prejuízos para o negócio. Isso não é bom para a imagem da marca, pois os clientes não querem esperar para receber as novas melhorias e ter acessos aos serviços.

É um grande desafio manter os prazos porque o testador necessita verificar e criar casos de testes para cada problema, manualmente. Isso leva tempo, o que pode ser um grande desafio com os testes manuais quando todos estão em um cronograma apertado. Geralmente é isso o que acontece no mundo dos negócios altamente competitivo.

Identificar bugs e erros não é o único objetivo do teste de software. O processo inclui execução, registro de defeitos, teste de regressão e teste exploratório. É difícil manter prazos quando todas essas funções precisam ser realizadas manualmente em um curto período de tempo.

A alternativa é combinar testes mobile manuais com a automação
Quando é oferecido à equipe de QA a capacidade de realizar o seu trabalho a partir de uma combinação de testes manuais com os automatizados, a partir de dispositivos reais para este trabalho, a produtividade aumenta porque é já possível realizar testes de aplicativos móveis na Nuvem ou na rede local.

Será muito eficaz se a equipe de QA ou de engenharia de software conseguir testar aplicativos em dispositivos iOS e Android em um ambiente de alta capacidade de resposta. Além disso, é possível usar vários recursos para garantir a qualidade dos testes manuais enquanto fornece relatórios completos para facilitar a correção de falhas no menor prazo possível. Além disso, se a opção for testar manualmente um modelo de dispositivo, pode-se obter várias opções de análise, como a análise de causa raiz, que possibilita capturar logs detalhados de cada recurso, incluindo vídeos completos, capturas de tela, métricas do sistema e desempenho da bateria.

Facilitando as coisas: além dos aplicativos móveis, os testadores devem estar aptos a realizar testes de sites mobile – porque esta é uma grande tendência atual e que permite oferecer um serviço online no celular sem ter que instalar um app. Além dos sites mobile, temos os aplicativos nativos e aplicativos híbridos que devem ser testados com igual qualidade.

Outro fator importante para o sucesso de um app é que os os resultados de teste devem ser armazenados automaticamente para avaliação posterior, tornando todo o processo de testes confiável, ao ser capaz de identificar onde o problema está ocorrendo, facilitando a resolução.

Não há como negar que o teste manual ajuda a avaliar aplicativos móveis para fornecer aos clientes uma experiência de aplicativo positiva. No entanto, desafios específicos do teste manual podem torná-lo uma tarefa difícil. A vantagem em relação a estes desafios dos testes é que as equipes já estão avançando em busca de maneiras de facilitar este trabalho, o que pode contar com tecnologias avançadas. O objetivo é comum a todos: entregar o melhor serviço online via dispositivos mobile e reduzir a zero a taxa de abandono e os comentários negativos nas lojas de aplicativos.

Por Juan Carlos Cerruti, diretor da Kobiton para América Latina.

automação

engenharia de testes

Juan Carlos Cerruti

Kobiton para América Latina

profissionais de QA (controle de qualidade)

Software

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.