book_icon

Legaltech seusdados lança plataforma para controle sobre o uso indevido de dados pessoais

“Me Responda” estará disponível para pessoas físicas e empresas e tem como objetivo ser o meio de exercício dos direitos decorrentes da LGPD, além de conscientizar a sociedade e o mercado sobre a responsabilidade no tratamento de dados pessoais

Legaltech seusdados lança plataforma para controle sobre o uso indevido de dados pessoais

Desde que entrou em vigor no País, a Lei Geral de Proteção de Dados garante ao cidadão a segurança e confidencialidade de seus dados pessoais. Além da transparência sobre o tratamento de dados pessoais, garantido por meio de fácil acesso entre empresa e consumidor final. Este cenário motivou a seusdados – legaltech especializada na proteção de informações sobre clientes, parceiros comerciais e colaboradores para as empresas – a desenvolver a plataforma “MeResponda!”, que tem como objetivo conscientizar a sociedade sobre o valor do dado pessoal e garantir que o cidadão exercite seus direitos estabelecidos na LGPD.

Do ponto de vista das empresas, o custo-benefício é barato e extremamente mais acessível que um serviço de SAC, além disso a plataforma vai apoiá-las na criação de um Canal específico e especializado em proteção de dados  

“A plataforma é um Canal especializado para o consumidor exercer seus direitos, estabelecidos na LGPD, ao mesmo tempo que garante às empresas acesso ao cidadão para resolver suas queixas sobre o uso de dados, prestar informações e mitigar riscos financeiros decorrentes de indenizações e penalidades a que estão sujeitos”, comenta Marcelo Fattori, CEO e fundador da seusdados.

“A proteção de dados tornou-se, por força de Emenda Constitucional 115 de 2022, direito fundamental do cidadão, dando mais força à LGPD, e consequentemente reafirmando o direito do mesmo em ter livre acesso às empresas, sejam privadas ou públicas, e quais informações que estas possuem e para quais finalidades”, explica.

O acesso ao “MeResponda!” é disponibilizado tanto para pessoas físicas, quanto para empresas. Para que o cidadão tenha acesso à plataforma, o mesmo deverá realizar um cadastro com informações básicas de identificação e, feito isto, poderá fazer uma reclamação, solicitação ou até mesmo denúncia do uso abusivo de dados por parte de uma empresa.

As reclamações ficarão listadas para que os cidadãos possam acompanhar o tratamento das questões, preservando-se a identidade das pessoas físicas.

Já para as empresas o acesso é pago e deverá preencher todas as informações requeridas no momento do cadastro. “Do ponto de vista das empresas, o custo-benefício é barato e extremamente mais acessível que um serviço de SAC, além disso a plataforma vai apoiá-las na criação de um Canal específico e especializado em proteção de dados e o cliente final vai ter a possibilidade de, não apenas exercer os seus direitos, como ter um local de consulta de atuação das empresas, antes de realizar qualquer compartilhamento de dados, e verificar a reputação da mesma”, comenta Fattori.

Segundo o empreendedor, a plataforma deve melhorar a comunicação entre consumidor e empresa e trazer mais transparência sobre o compartilhamento, armazenamento e uso de dados dos clientes. “Com a criação da ‘MeResponda!”, pretendemos que o cidadão faça uso efetivo da plataforma e avalie como as empresas estão tratando suas informações. Por outro lado, as empresas também serão beneficiadas e terão a oportunidade de entender melhor quais são as demandas de seus clientes e trabalhar para melhorar sua reputação no mercado”, avalia.

Serviço
www.meresponda.com
www.seusdados.com

Interface da plataforma MeResponda! Crédito: Divulgação.

“Me Responda”

Lei Geral de Proteção de Dados

Marcelo Fattori

seusdados - legaltech

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.