book_icon

Libbs renova investimento em inovação aberta para além das healthtechs

Farmacêutica abre inscrições para segunda edição de seu programa de inovação aberta Linna, que, no ano passado, atraiu 185 startups com desafios para diferentes áreas da empresa

Libbs renova investimento em inovação aberta para além das healthtechs

A Libbs, farmacêutica privada e 100% brasileira, abriu inscrições para a segunda edição do programa de conexão com startups, scale-ups e pequenas empresas, o Linna – Libbs Inovação Aberta. No ano passado, em seu lançamento, 185 startups foram mapeadas ou inscritas, gerando cinco projetos piloto e trazendo parceiros além do universo da saúde para soluções que impactam todo o negócio.

Na nova edição, o Linna mantém a porta aberta para inovação em todas as áreas da empresa, com desafios que vão desde tecnologias a favor das relações de trabalho remoto – a Libbs desativou sua sede administrativa em São Paulo e manteve o home office para os funcionários de escritório – até soluções que facilitem a busca e a solicitação de informações científicas por profissionais de saúde.

Para a Anna Paula Guembes, diretora de Inovação e Desenvolvimento do Negócio da Libbs, o primeiro ano de programa foi um processo de aprendizado contínuo e de mão dupla. “Aprendemos com as startups novos modelos de negócio, enquanto elas passaram a ter acesso aos recursos que a Libbs disponibiliza. Com o Linna, passamos a trabalhar ainda mais a inovação dentro da companhia, e notamos um imenso engajamento das equipes da Libbs”, diz ela.

As inscrições para a segunda edição do programa Linna vão até 27 de maio 

Do total de startups inscritas em 2021, 26 participaram do pitch day, sete foram selecionadas para a etapa de imersão e cinco rodaram o projeto piloto. Foram oito desafios atrelados às demandas internas da empresa, como gestão de recursos ambientais e resíduos, digitalização de dados para prevenção de desvios produtivos e monitoramento de preços e reembolsos de medicamentos hospitalares.

Linna segunda edição
As inscrições para a segunda edição do programa Linna vão até 27 de maio. A ideia é superar os desafios apresentados durante o processo e entregar um bom resultado tanto para a companhia quanto para as participantes.

Os desafios propostos pela Libbs para este ano são:

Tecnologias a favor das relações de trabalho remoto
Inovação em treinamentos corporativos
Otimização da estrutura organizacional
Sistema automatizado para gestão de solicitações jurídicas
Sistema para controle de revisões de contratos
Verificação de vulnerabilidade de sistemas tecnológicos
Solução para busca e solicitação de informações médicas

A Libbs investe 10% do seu faturamento em pesquisa, desenvolvimento e inovação. Com parte desses recursos, o Linna – Libbs Inovação Aberta foi desenhado junto à Innoscience para conectar ideias e soluções inovadoras na área de saúde às demandas de negócio da empresa.

Um dos fundamentos do Linna é a remuneração das startups e scale-ups parceiras. A empresa contratada recebe um fee mensal de acordo com a complexidade do projeto. Com isso, a empresa é capitalizada e tem condições de crescer e de se desenvolver.

Para saber mais sobre os desafios e o cronograma das atividades, da segunda edição do Linna,

Parcerias de sucesso
Uma das parcerias desenvolvidas na primeira edição foi com a startup Nuveo, focada em inteligência artificial, que apresentou soluções para o desafio “Monitoramento do comportamento da operação em área estéril”.

Roberto Lellis, um dos sócios da Nuveo, conta que a empresa desenvolveu com a Libbs um projeto para identificar pessoas em movimento com o uso da inteligência artificial e, assim, acompanhar a área produtiva da Libbs. “Transformamos o monitoramento em vídeo, que já era realizado, em uma solução inteligente que pudesse alertar os colaboradores, muito bem treinados, sobre o tempo necessário para realizar o procedimento de sanitização das mãos com álcool 70°, que é fundamental para manter a sala de líquidos estéreis livre de contaminação cruzada”, diz ele. Esse procedimento é periódico e essencial para impedir a contaminação de lotes de medicamentos que são envasados ali, evitando o descarte.

Com a implantação da solução, os resultados foram visíveis: o número de vezes em que os funcionários se esqueceram de sanitizar as mãos no tempo correto caiu para zero.

Flávio Pereira, também CEO da Nuveo, ressalta que o ponto forte do Linna foi o envolvimento da Libbs nas diferentes etapas do processo. “O Linna é diferenciado em relação aos demais programas existentes no mercado, pois é focado em resultados e oferece suporte para a execução dos projetos, sem onerar nosso time com atividades paralelas que pouco contribuem para gerarmos valor como eventos e mentorias”, afirma.

Já a Cerensa trouxe sua expertise em plataforma de gestão e análise de dados relacionados à sustentabilidade e impacto ambiental para o desafio “Gestão de recursos ambientais e resíduos”.

Para o CEO da startup, Anibal Wanderley, a missão foi integrar os medidores de sustentabilidade implantados pela Libbs com a operação, trazendo dados sobre o consumo de água e o impacto ambiental na produção, principalmente relacionados à limpeza de equipamentos e setup. A partir dessa integração, a Cerensa construiu indicadores de intensidade de consumo de uso de água nos produtos, possibilitando uma visão mais operacional do negócio.

“Também fomos desafiados a elaborar o cálculo de emissão de gases de efeito estufa da operação da Libbs e um conjunto de indicadores de gestão ambiental, o que contribuiu nos processos de gestão dos indicadores ambientais da empresa”, explica.

A Libbs é uma farmacêutica 100% brasileira com 64 anos de história. Possui 90 marcas em mais de 200 apresentações nas categorias referência, similares, dermocosméticos, quimioterápicos e biossimilares (anticorpos monoclonais). Tendo o paciente no centro de tudo o que faz, está sempre em busca de formas de inovar e oferecer o melhor em tratamento e serviços.

Inaugurou a 1ª planta de anticorpos monoclonais em escala industrial do Brasil, trazendo tecnologia inédita para o País, e produz mais de 20 medicamentos de forma verticalizada, ou seja, do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) ao produto final.

Seu Centro de Desenvolvimento Integrado (CDI) atua para melhorar medicamentos com foco na adesão ao tratamento e benefício ao paciente e, para isso, ouve médicos, profissionais da saúde e pacientes e está sempre aberto para desenvolver novos projetos.

As especialidades de atuação da Libbs são cardiologia, ginecologia, oncologia, dermatologia, respiratória, hematologia e sistema nervoso central.

Anibal Wanderley

Anna Paula Guembes

Flávio Pereira

Libbs

Libbs Inovação Aberta

Linna

Nuveo

Roberto Lellis

scale-ups e pequenas empresas

Startups

Últimas Notícias
Você também pode gostar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital
Edição do mês

Leia nesta edição:

Leia nessa edição sobre tecnologia

CAPA | TECNOLOGIA

5G impõe seu ritmo

Leia nessa edição sobre carreira

MERCADO

Brincadeira de gente grande

Leia nessa edição sobre setorial | saúde

GESTÃO

Backup: a última linha de defesa

Esta é para você leitor da Revista Digital:

Leia nessa edição sobre sustentabilidade

NEGÓCIOS

Terceirização de equipamentos

Maio 2022 | #57 - Acesse:

Infor Channel Digital

Baixe o nosso aplicativo

Google Play
Apple Store

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento