book_icon

Estudo da IDC Brasil conclui que mercado brasileiro de PCs cresceu 37% em 2021

Ao longo de todo o ano passado, 8,7 milhões de máquinas foram vendidas, sendo 7 milhões de notebooks e 1,7 milhão de desktops, altas de 40% e 25%, respectivamente, em relação a 2020; resultado foi impulsionado pelas vendas B2B, que aumentaram 78%, especialmente na área de educação

Estudo da IDC Brasil conclui que mercado brasileiro de PCs cresceu 37% em 2021

O mercado brasileiro de PCs fechou 2021 com alta de 37% em relação a 2020. Durante o ano, 8,7 milhões de máquinas foram comercializadas, sendo 7 milhões de notebooks e 1,7 milhão de desktops, altas de 40% e 25%, respectivamente, em relação a 2020. Os dados fazem parte do estudo IDC Brazil PCs Tracker 2021, realizado pela IDC Brasil, que atua em inteligência de mercado, serviços de consultoria e conferências com as indústrias de Tecnologia da Informação e Telecomunicações (TIC). O estudo aponta ainda um faturamento de R$ 36,7 bilhões no setor, resultado 61% maior do que o alcançado no ano anterior.

Os números positivos de 2021 foram, em parte, resultados do importante avanço do segmento corporativo, que foi responsável pela compra de 3,6 milhões de máquinas, um crescimento de 78% em relação a 2020. “Negociações na área da educação, como com a PRODESP e secretarias municipais e estaduais em todo o país foram as grandes responsáveis por esse aumento no B2B. A quantidade de dispositivos entregues aos alunos e professores, com finalidade educacional, chegou a 1 milhão no ano passado, motivada em grande parte pelas compras governamentais e, em menor escala, por instituições privadas”, explica Daniel Voltarelli, analista de mercado de TIC da IDC Brasil.

A necessidade de renovação dos computadores para trabalhar e/ou estudar fez com que houvesse um grande aumento das vendas, mesmo com a alta dos preços   

Apesar dos excelentes resultados do segmento corporativo, o maior volume de vendas ainda foi feito no varejo, que comercializou 5,1 milhões de máquinas, alta de 17% em relação a 2020. “Assim como foi visto um forte crescimento no setor B2B, também foi registrada uma expansão significativa no segmento B2C, principalmente para atender as demandas de trabalho e estudo retomo”, analisa Voltarelli.

Os preços dos computadores também aumentaram em 2021, chegando a 18% a mais do que em 2020. Enquanto os desktops custaram, em média, R$ 3.400 (15% a mais que no ano anterior), os notebooks tiveram ticket médio de R$ 4.371 (crescimento de 18%). “A necessidade de renovação dos computadores para trabalhar e/ou estudar fez com que houvesse um grande aumento das vendas, mesmo com a alta dos preços. Essa tendência de expansão não deve mudar a curto prazo devido ao contexto macroeconômico desafiador e à forte pressão sobre custos logísticos que temos observado nos últimos meses”, explica o analista da IDC Brasil.

Em termos absolutos, o Q4 foi o período com maior número de vendas do ano, chegando a 2,5 milhões de unidades. Já na perspectiva de crescimento, o ápice foi no Q2, quando o mercado de PCs cresceu 60% em relação ao mesmo trimestre de 2020.

Mercado de PCs no 4º trimestre de 2021
De outubro a dezembro de 2021, segundo o estudo IDC Brazil PCs Tracker Q4/2021, foram vendidas 2,5 milhões de máquinas, alta de 26% em relação ao mesmo período do ano anterior e 10% em relação ao Q3 de 2021. Deste total, 2 milhões eram notebooks e 500 mil desktops, números 25% e 27% maiores, respectivamente, do que no Q4 de 2020. Na comparação com o mesmo período, a receita total aumentou 54%, chegando a R$ 11,4 bilhões, enquanto os preços subiram 22%, sendo o ticket médio do notebook de R$ 4.700 (aumento de 23%) e o do desktop de R$ 3.800 (aumento de 17%).

Projeções da IDC Brasil para 2022
Em uma perspectiva geral, a IDC projeta que 2022 deve crescer cerca de 2,4% frente a 2021. Contudo, esse resultado deverá ser diferente entre os segmentos de consumo e corporativo. As vendas no varejo devem diminuir 2,7% devido à alta de preço dos dispositivos, à inflação que afetará o poder de compra do consumidor e à redução da demanda mais urgente por computadores para a manutenção do trabalho e estudo. Já no segmento corporativo, as expectativas são de um avanço contínuo, podendo chegar a 9,7% de crescimento. Entre as razões do aumento, estão uma sólida percepção de avanço dos projetos de educação e uma retomada mais forte do segmento de PMEs.

Para saber mais sobre IDC, visite o site.

Daniel Voltarelli

IDC Brasil

IDC Brazil PCs Tracker 2021

mercado brasileiro de PCs

Últimas Notícias
Você também pode gostar
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital
Edição do mês

Leia nesta edição:

Leia nessa edição sobre tecnologia

CAPA | TECNOLOGIA

5G impõe seu ritmo

Leia nessa edição sobre carreira

MERCADO

Brincadeira de gente grande

Leia nessa edição sobre setorial | saúde

GESTÃO

Backup: a última linha de defesa

Esta é para você leitor da Revista Digital:

Leia nessa edição sobre sustentabilidade

NEGÓCIOS

Terceirização de equipamentos

Maio 2022 | #57 - Acesse:

Infor Channel Digital

Baixe o nosso aplicativo

Google Play
Apple Store

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento