book_icon

Diebold Nixdorf anuncia apoio ao Projeto Yara, para monitorar a bacia do Rio Amazonas

Empresa patrocina o Projeto Yara, plataforma de pesquisa promovida pela Universidade do Estado do Amazonas para monitorar a qualidade da água dos rios na região

Diebold Nixdorf anuncia apoio ao Projeto Yara, para monitorar a bacia do Rio Amazonas

A Diebold Nixdorf, empresa mundial em impulsionar e conectar o comércio para as indústrias de bancos e varejo, anuncia seu apoio ao Projeto Yara, promovido pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA) para o monitoramento da qualidade da água da bacia do Rio Amazonas. O projeto é uma realização em conjunto entre o campus de Manaus e o de Parintins, com foco no desenvolvimento de uma plataforma que permita a análise automática e em tempo real das águas da região. Em Parintins serão instalados sensores eletrônicos especialmente projetados para a coleta e análise de parâmetros como índice de pH, temperatura, condutividade, turbidez, quantidade de oxigênio dissolvido nas águas, entre outros.

“Estamos muito felizes em fazer parte deste projeto que visa agilizar e reforçar o monitoramento das águas dos rios de toda a região”, diz Fernando Curcio, diretor industrial da Diebold Nixdorf Brasil e responsável pela fábrica da companhia em Manaus. “A Diebold Nixdorf é reconhecida mundialmente por seu trabalho de responsabilidade social e ambiental, e nossa gestão em Amazonas também segue essas diretrizes. Buscamos colaborar com a comunidade para a promoção de um ambiente mais sustentável e justo. O trabalho da UEA tem uma grande sinergia com este propósito que queremos compartilhar.”

Vista como uma ação disruptiva na região, a plataforma de coleta de dados Yara terá como principal missão reduzir o tempo e os custos envolvidos no monitoramento das águas dos rios, tornando o processo de análise e acompanhamento da bacia do Rio Amazonas mais ágil e confiável  

Vista como uma ação disruptiva na região, a plataforma de coleta de dados Yara terá como principal missão reduzir o tempo e os custos envolvidos no monitoramento das águas dos rios, tornando o processo de análise e acompanhamento da bacia do Rio Amazonas mais ágil e confiável. “Por conta de toda a extensão e pela dificuldade de acesso, a coleta de amostras para a análise laboratorial das águas de todos os rios demanda um esforço sempre muito grande e que, às vezes, pode se deteriorar no transporte ou manejo do material coletado. O programa busca reduzir esses desafios ao permitir a coleta automatizada da água”, explica o professor Dr. Carlossandro Albuquerque, um dos idealizadores do projeto. Além dele, a iniciativa conta com a participação dos professores Dra. Ieda Batista, Dr. José Camilo Ramos de Souza, Dr. Fábio Cardoso, Dr. Rafael Jovito, Dr. Raimundo Cláudio, MSc. Manoel Rendeiro e MSc. André Printes.

O apoio da Diebold Nixdorf ajudará a viabilizar a construção de um importante ecossistema digital que permitirá o desenvolvimento do projeto, além de estudos sobre possíveis parcerias. A ideia para tornar a análise das águas mais rápida é instalar um conjunto de mini estações de coleta de dados automática, iniciando no porto de Parintins, cidade considerada estratégica para a aplicação do programa, uma vez que a localização fica na região central da bacia Amazônia, após a drenagem dos principais afluentes do maior rio do planeta. De forma prática, estas miniestações serão compostas de sensores e transmissores especialmente projetados para resistir às intempéries, resíduos e predadores do ambiente. “Um desafio que temos é projetar o hardware certo para resistir aos períodos de cheias e vazantes, assim como o volume de lama, pedras e galhos que podem enroscar ou impedir a análise correta”, conta o professor Printes. “Outra característica é a presença de animais que podem atacar a instalação”, acrescenta.

Além do hardware, o projeto Yara também desenvolverá um software específico para a transmissão, armazenamento e análise de dados. “Temos de garantir que os registros feitos sejam enviados de forma automática e confiável para todos os nossos laboratórios em Manaus e Parintins, bem como, depois, para outras instituições públicas e privadas que, por ventura, se interessem e possam ajudar na gestão e preservação da natureza na Amazônia”, reforça o professor Albuquerque.

A iniciativa do Yara também irá contribuir para a construção de uma base histórica dos resultados obtidos para as comparações e verificações necessárias para um mapeamento completo. “Já iniciamos um ponto muito importante que é a digitalização dos resultados e padrões que vamos analisar diariamente. Vamos criar um registro único, com o compilado de informações recentes para contribuir no monitoramento da água”, explica o professor Dr. José Camilo Ramos. “É um orgulho muito grande ver isso se concretizar aqui em Parintins, que tem a alegria de ser uma ilha encravada no Amazonas, o maior ecossistema natural de nosso mundo.”

A história da Diebold Nixdorf com a região é de longa data, assim como seu comprometimento com práticas focadas em ESG. A companhia mantém em Manaus uma fábrica com 350 colaboradores e 18 mil metros quadrados, certificada pela ISO 14000 (focada em gestão ambiental) e 450001 (com foco em gestão de saúde e segurança ocupacional). A planta possui sistema próprio de gestão de resíduos e tratamento de água, por exemplo.

“Hoje, mais de 80% do material que utilizamos na produção de nossos equipamentos é reciclado”, observa Curcio, lembrando que as iniciativas locais da companhia não se restringem à parte ambiental. “Durante a pandemia, readaptamos a operação para ceder todo nosso suprimento de oxigênio aos hospitais colocando em prática as nossas diretrizes ESG, pensando no bem-estar da comunidade. Também garantimos cestas básicas e kits de limpeza para as famílias de nossos colaboradores, oferecendo o máximo de cuidado, e asseguramos seus empregos conosco mesmo com todo o cenário complexo de Covid-19. Queremos manter essa relação e ajudar no desenvolvimento local.”

André Printes

Carlossandro Albuquerque

Diebold Nixdorf

Fábio Cardoso

Fernando Curcio

Ieda Batista

José Camilo Ramos de Souza

Manoel Rendeiro

monitoramento da qualidade das águas da bacia do Rio Amazonas

Projeto Yara

Rafael Jovito

Raimundo Cláudio

Universidade do Estado do Amazonas

Últimas Notícias
Você também pode gostar
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital
Edição do mês

Leia nesta edição:

Leia nessa edição sobre tecnologia

CAPA | TECNOLOGIA

5G impõe seu ritmo

Leia nessa edição sobre carreira

MERCADO

Brincadeira de gente grande

Leia nessa edição sobre setorial | saúde

GESTÃO

Backup: a última linha de defesa

Esta é para você leitor da Revista Digital:

Leia nessa edição sobre sustentabilidade

NEGÓCIOS

Terceirização de equipamentos

Maio 2022 | #57 - Acesse:

Infor Channel Digital

Baixe o nosso aplicativo

Google Play
Apple Store

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento