book_icon

Projeto da Huawei incentiva mulheres na tecnologia

A empresa deseja impactar cerca de 5 milhões de mulheres, que terão acessos aos cursos de qualificação da plataforma de educação da Huawei no app Mulheres Positivas

Projeto da Huawei incentiva mulheres na tecnologia

A multinacional chinesa Huawei lançou nesta sexta-feira (29/10) o projeto Women in Tech Brasil, uma iniciativa que tem como objetivo atrair mais mulheres e impulsionar a carreira de lideranças femininas na tecnologia. Entre outras ações, está a parceria com Fabi Saad, empreendedora e fundadora do projeto Mulheres Positivas, para oferecer cursos gratuitos de capacitação em diversas áreas de tecnologia como IA, Cloud e 5G.

Com a parceria, a empresa deseja impactar cerca de 5 milhões de mulheres, que terão acessos aos cursos de qualificação da plataforma de educação da Huawei no app Mulheres Positivas. “Como líder mundial em inovação e desenvolvimento de tecnologias de informação e comunicação, a Huawei busca promover iniciativas que visam desenvolver lideranças femininas no mercado de tecnologia por meio de projetos de educação, a fim de aumentar a diversidade no setor e capacitar jovens profissionais para inseri-las na economia digital”, afirma Sun Baocheng, CEO da multinacional.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que apenas 13,3% dos alunos de Computação e Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) são mulheres

“Quando criei o projeto Mulheres Positivas, meu objetivo era melhorar a vida das brasileiras. Em parceria com a Huawei, levaremos acesso à informação e capacitação sobre tecnologia para a mulher brasileira, abrindo um novo horizonte com novas perspectivas de atuação no mercado de trabalho”, explica Fabi Saad.

A primeira inciativa do Women in Tech Brasil foi a realização de um workshop voltado para as colaboradas da empresa, realizado nesta sexta-feira. Durante o evento, as profissionais receberam treinamento sobre autoconhecimento, ministrado por Regina Nogueira, especialista em reposicionamento de marca e autora do livro “Você é uma marca!”, e sobre como equilibrar os papéis atribuídos às mulheres para transformar sua essência em uma estratégia de marca pessoal, realizado pela advogada Gisele Miranda, pós-graduada em Direito do Trabalho e especialista em Psicologia Positiva.

No Brasil e no mundo, o mercado de tecnologia enfrenta desafios de atração de talentos e qualificação de mão de obra. Segundo relatório da Brasscom – Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e de Tecnologias Digitais, o setor demandará 420 mil profissionais qualificados entre 2019 e 2024, uma média de 70 mil pessoas por ano. Atualmente, são formados cerca de 37 mil alunos nos ensinos superior e técnico. Se não houver nenhuma mudança, em 2024, o país terá um déficit de 260 mil profissionais.

Neste contexto, o cenário para carreiras femininas nas áreas de tecnologia é ainda mais desafiador. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que apenas 13,3% dos alunos de Computação e Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) são mulheres. Na era digital, a principal forma de superar essas barreiras é a educação, seja técnica, universitária ou treinamento de soft skills. O projeto Women in Tech Brasil foi criado para ajudar a combater esse gap no País e estimular que mais mulheres ingressem nas carreiras de tecnologia, além de impulsionar novas lideranças.

Capacitação

Há 23 anos no Brasil, a Huawei tem parceria com mais de 80 universidade e instituições de ensino por meio do ICT Academy, idealizado para promover treinamentos, criação de laboratórios de pesquisa e oferecer cursos certificados em diversas áreas, como 5G, IA e Cloud. Desde 2015, o programa já capacitou cerca de 36 mil professores e alunos no Brasil. Nos próximos cinco anos, a meta é treinar mais 40 mil talentos.

Outra iniciativa de capacitação é o Seeds For The Future, programa de intercâmbio cultural e profissional da Huawei. Desde 2015, cerca de 150 alunos já foram beneficiados, entre eles, Letícia Carvalho Ramos e Gabriela Nogueira Silva, que participaram da edição de 2020 do Seeds For The Future, hoje são Engenheira de Configuração e Analista administrativo da Huawei Brasil.

Os alunos do ICT Academy interessados em participar do programa devem efetuar a inscrição em suas universidades. A Huawei exige que 30% dos estudantes selecionados sejam mulheres. Em 2020, alguns países alcançaram a marca de 50% de alunas nas edições realizadas nos Emirados Árabes, Myanmar, Qatar, África do Sul, Kuwait, Canadá, Tunísia, Cazaquistão, Bangladesh, Bósnia e Herzegovina, Sri Lanka, Romênia, Oman e Namíbia.

Serviço
www.huawei.com

Fabi Saad

Huawei

ICT Academy

Mulheres Positivas

Seeds for the Future

Women in Tech Brasil

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento