book_icon

IDC identifica queda nas vendas de infraestrutura para a Nuvem

No segundo trimestre deste ano, as vendas somaram US$ 16,8 bilhões, uma queda de 2,4% comparado ao mesmo período do ano passado, que foi um período excepcional, com crescimento de 39% por causa da pandemia

IDC identifica queda nas vendas de infraestrutura para a Nuvem

De acordo com o relatório Worldwide Quarterly Enterprise Infrastructure Tracker: Buyer and Cloud Deployment, divulgado pela IDC, os gastos com infraestrutura de computação e armazenamento para Nuvem, incluindo ambientes dedicados e compartilhados, diminuíram 2,4% ano a ano no segundo trimestre de 2021 (2T21) para US$ 16,8 bilhões. Essa queda ocorre após seis trimestres de crescimento ano a ano e, principalmente, se compara ao crescimento anual de 39,1% visto pelo mercado no 2T20, quando o mundo acabava de entrar na pandemia com a primeira onda de fechamentos de negócios e países, causando um pico em investimentos em infraestrutura e serviços em Nuvem. Os investimentos em infraestrutura sem Nuvem aumentaram 3,4% ano a ano no 2T21 para US$ 13,4 bilhões, recuperando-se de uma queda de 7,2% no 2T20.

Os gastos com infraestrutura em Nuvem compartilhada alcançaram vendas de US$ 11,9 bilhões, uma redução de 6,1% em relação ao 2T20 e um aumento de 17% em relação ao 1T21. A fraqueza na demanda ano a ano de provedores de serviços de Nuvem pública vem depois de um 2T20 excepcionalmente forte, no qual os gastos aumentaram 55,5%, impulsionados pelo aumento na demanda por serviços de Nuvem nos primeiros meses da pandemia. Essa discrepância nas taxas de crescimento atribuíveis a eventos excepcionais cria comparações “duras”, que não refletem tendências de longo prazo. A IDC espera ver uma demanda continuamente forte por infraestrutura em Nuvem compartilhada, com gastos ultrapassando os gastos com infraestrutura em Nuvem até 2022. Os gastos com infraestrutura em Nuvem dedicada aumentaram 7,8% ano a ano no 2T21 para US$ 4,9 bilhões, com 46,5% deste valor implantado no cliente (on-premises).

A longo prazo, a IDC espera que os gastos com infraestrutura de computação e armazenamento em Nuvem tenham uma taxa composta de crescimento anual (CAGR) de 12,4% no período de previsão de 2020-2025, atingindo US$ 118,8 bilhões em 2025 e respondendo por 67,3% do gasto total com infraestrutura de computação e armazenamento

Apesar da fraqueza no 2T21, a IDC prevê que os gastos com infraestrutura em Nuvem cresçam 12%, para US$ 74,3 bilhões em 2021, enquanto a infraestrutura não em Nuvem deve crescer 2,7%, para US$ 58,9 bilhões, após dois anos de declínios. Espera-se que a infraestrutura de Nuvem compartilhada cresça 11,1% ano a ano, para US$ 51,4 bilhões no ano inteiro. Os gastos com infraestrutura em Nuvem dedicada devem crescer 14,1%, para US$ 22,8 bilhões, no ano inteiro.

Como parte do relatório, a IDC rastreia várias categorias de provedores de serviços e quanto de infraestrutura de computação e armazenamento esses provedores de serviços adquirem, incluindo infraestrutura em Nuvem e não em Nuvem. A categoria de provedor de serviços inclui provedores de serviços em Nuvem, provedores de serviços digitais, provedores de serviços de comunicações e provedores de serviços gerenciados. No 2T21, os provedores de serviços como um grupo gastaram US$ 17,1 bilhões em infraestrutura de computação e armazenamento, queda de 1,9% em relação ao 2T20 e aumento de 13,6% em relação ao 1T21. Esses gastos representaram 56,5% do mercado total de infraestrutura de computação e armazenamento. A IDC espera que os gastos com computação e armazenamento dos provedores de serviços cheguem a US$ 74,6 bilhões em 2021, crescendo 10,5% ano após ano.

Desempenho

No nível regional, as mudanças ano a ano nos gastos com infraestrutura em Nuvem foram mistas: os gastos aumentaram nas sub-regiões da Ásia/Pacífico, na América Latina, Canadá e Europa Central e Oriental, e diminuíram nos Estados Unidos, Europa Ocidental, Oriente Médio e África. O Canadá apresentou o maior aumento ano a ano nos gastos com infraestrutura em Nuvem no 2T21, com 25,6%, enquanto a Europa Ocidental registrou o maior declínio, com 8,8%. Para o ano inteiro, os gastos com infraestrutura em nuvem devem aumentar em todas as regiões em comparação com 2020.

No nível da empresa, os principais fornecedores mostraram resultados mistos em sua receita de infraestrutura em Nuvem no 2T21, com Dell Technologies, HPE/H3C e Lenovo/Lenovo NetApp Technologies aumentando as vendas, enquanto Inspur/Inspur Power Systems e Huawei experimentando quedas em comparação ao 2T20.

A longo prazo, a IDC espera que os gastos com infraestrutura de computação e armazenamento em Nuvem tenham uma taxa composta de crescimento anual (CAGR) de 12,4% no período de previsão de 2020-2025, atingindo US$ 118,8 bilhões em 2025 e respondendo por 67,3% do gasto total com infraestrutura de computação e armazenamento. A infraestrutura de Nuvem compartilhada será responsável por 69,9% desse montante, crescendo a um CAGR de 12,4%.

Os gastos com infraestrutura em Nuvem dedicada crescerão a um CAGR de 12,3%. Os gastos com infraestrutura não em Nuvem irão se recuperar em 2021, mas se estabilizarão em um CAGR de 0,1%, chegando a US$ 57,7 bilhões em 2025. Os gastos dos provedores de serviços em infraestrutura de computação e armazenamento devem crescer a um CAGR de 11,2%, chegando a US$ 115 bilhões em 2025.

Serviço
www.idc.com

Armazenamento

Computação

IDC

infraestrutura

Nuvem

on-premises.

provedor

Serviço Gerenciado

Últimas Notícias
Você também pode gostar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento