book_icon

Setor marítimo aposta em conectividade via sátélite

Setor marítimo aposta em conectividade via sátélite

A Inmarsat, empresa mundial em comunicações via satélite, acaba de lançar um relatório com tendências globais sobre o mercado marítimo, reafirmando seu compromisso em contribuir para a melhoria das condições de trabalho das tripulações até 2050. O relatório oferece recomendações sobre como o transporte marítimo, instituições de treinamento e serviços de bem-estar podem responder às necessidades de mudança para marinheiros no futuro.

O estudo é intitulado com a provocação: “Teremos um futuro justo para os marinheiros?” e se baseia em informações coletadas em meio à crise das tripulações durante o período de isolamento, oriundo do avanço da Covid-19, e que ainda necessita de respostas. Fazendo uma análise da indústria marítima até 2050, o relatório sugere que epidemias e pandemias podem se tornar mais comuns, prevendo que problemas de segurança da tripulação, fadiga e casos de assédio provavelmente não serão reduzidos no curto prazo. No mais, o levantamento alerta sobre como as situações de abandono e criminalização dos marinheiros são problemas crescentes que precisam ser tratados.

Diante deste cenário, aparentemente desanimador, o relatório também destaca a conectividade como uma necessidade. Os marinheiros em 2050 provavelmente terão maior interação e envolvimento com equipes em terra, destaca a pesquisa. Além disso, estratégias econômicas do setor marítimo e planos para a redução de emissão de carbono apontam para estadias mais curtas nos portos. As soluções para a garantia do bem-estar terão um foco mais digital do que o contato físico e pessoal. Tripulações menores e folgas em terra também significarão menos dependência dos centros de apoio presentes mar. Portanto, os serviços de assistência online crescerão ainda mais.

“Com base em experiências recentes, nas rápidas mudanças do ambiente digital e relatos de autoridades do setor, este relatório oferece uma visão clara sobre papel crítico que a conectividade e a tecnologia desempenharão no bem-estar da tripulação nos próximos anos”, disse Ronald Spithout, presidente da Inmarsat Maritime.

A Thetius identificou uma série de tecnologias que serão críticas para o bem-estar futuro da tripulação e a Inmarsat tem dado suporte para a sua adoção imediata. “A pandemia de 2020-21 poderá ser vista como um ponto de inflexão da telemedicina”, afirma Spithout. O relatório destaca ainda como os sistemas de monitoramento e gerenciamento de fadiga provavelmente substituirão o registro manual das horas de descanso.

Após lançamento em 2020 do Crew Welfare Open Innovation Challenge (Desafio de inovação aberta do bem-estar da Tripulação) pela Inmarsat e pela Shell Shipping & Trading, com consultoria da Thetius, um software fornecido pela empresa Eupnoos e Workrest está sendo testado em alto mar para a viabilização de um gerenciamento inteligente da fadiga, a partir dos dados coletados pela tecnologia aplicada.

Em 2050, os marinheiros já terão nascido na era digital, mas o uso de Inteligência Artificial (IA), impressão 3D e tecnologia de Realidade Ampliada (XR) a bordo ainda exigirá níveis mais altos de treinamentos técnicos. Sinais de mudança também são aparentes, com o Isle of Man Registry trabalhando com a start-up Tapiit na criação de um aplicativo para treinamento de transmissão ao vivo, e organizações como o Ocean Technology Group, oferecendo treinamento marítimo usando fones de ouvido de RV.

“Somos totalmente conscientes dos sacrifícios que nossos marinheiros fazem para manter a economia mundial funcionando. Este novo relatório inclui propostas importantes para a criação de uma organização global em defesa desses profissionais e uma revisão estratégica urgente dos serviços de apoio. Estamos fazendo tudo ao seu alcance, melhorando a conectividade e os serviços digitais que apoiam a segurança, o desenvolvimento profissional contínuo e o bem-estar da tripulação, bem como trabalhando continuamente em colaboração com instituições de apoio, armadores e administradores para fornecer serviços de bem-estar aprimorados”, ressalta Spithout.

O lançamento deste relatório também ocorre quando a Inmarsat se prepara para lançar uma versão atualizada de seu portal Fleet Xpress, Fleet Hotspot. A novidade esperada para o terceiro trimestre de 2021, cria a possiblidade de melhor acompanhamento das frotas.

“Este serviço atualizado incluirá novos recursos interessantes para as tripulações, incluindo a capacidade de criar sua própria conta ‘Fleet Hotspot’ e utilizar créditos em vários dispositivos”, conclui o presidente da Inmarsat Maritime.

Conectividade via satélite

Inmarsat Maritime

Ronald Spithout

setor marítimo

Thetius

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital
Edição do mês

Leia nesta edição:

Leia nessa edição sobre tecnologia

CAPA | TENDÊNCIAS

Tecnologias imersivas ganham impulso nos negócios

Leia nessa edição sobre carreira

INDÚSTRIA 4.0

Fábrica conectada

Leia nessa edição sobre setorial | saúde

SERVIÇOS

Trunfos dos menores

Esta é para você leitor da Revista Digital:

Leia nessa edição sobre sustentabilidade

TENDÊNCIAS

A casa também foi para a Nuvem

Julho| 2021 | #48 - Acesse:

Infor Channel Digital

Baixe o nosso aplicativo

Google Play
Apple Store

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento