book_icon

Compras 4.0: dados reduzem riscos na cadeia de suprimentos

A revolução trazida pela Indústria 4.0 elevou os setores de produção e logística a um novo patamar de eficiência e produtividade, e a cadeia de suprimentos se tornou uma área estratégica para conter os riscos associados às novas demandas.

Uma pesquisa da Deloitte, realizada recentemente, apontou que 41% das empresas planejam investir em uma tecnologia de automação da cadeia de suprimentos. Isso porque, com a crise ocasionada pela pandemia, os dados se tornaram o grande trunfo das indústrias para encontrarem alternativas à atual dependência do mercado chinês.

Tecnologias, como Big Data, Machine Learning, Inteligência Artificial e Blockchain, permitem realizar uma análise preditiva das reposições dos estoques mínimos de materiais com base em indicadores relacionados à commodities, macroeconomia, custos operacionais, estoque e produção que entregam ao setor de Compras uma visão abrangente de mercado em diferentes países.

Com a alta volatilidade dos preços, associada à disparidade na oferta e demanda das principais commodities, em especial metais, papéis e insumos agrícolas, o grande desafio é manter os estoques abastecidos sem repassar os altos custos das reposições ao consumidor final.

Uma análise manual não é capaz de prever a flutuação dos índices financeiros que impactam diretamente nas compras, como o dólar, IPCA e IGP-M, bem como indicadores operacionais determinantes para o faturamento, entre eles giro de estoque e tempo de entrega.

Assim, o setor de Compras 4.0 não precisa esperar pelos alardes dos fornecedores para planejar e corrigir os preços das aquisições. A Transformação Digital traz autonomia na tomada de decisões e possibilita negociar com mais embasamento e realizar uma previsão mais acurada de médio e longo prazo.

Se antes da modernização e evolução das tecnologias, o setor de Compras tinha a responsabilidade de manter e controlar os estoques, agora os profissionais terão um novo papel muito mais estratégico no negócio: o de avaliar os riscos envolvidos em cada transação.

Haverá, ainda, uma mudança na relação com os fornecedores, que se tornarão parceiros estratégicos, compartilhando mais do que produtos e serviços, mas saúde financeira e posição no mercado. A automação e a tecnologia, nesse contexto, andarão juntas para levar mais inteligência à cadeia de suprimentos.

O Brasil ainda tem um longo caminho a percorrer, mas, a julgar pelo avanço na Indústria 4.0 e a automação em diversos setores antes impensáveis, como saúde e educação, poderemos considerar os dados no setor de compras como mais um fator de competitividade para produtores e fornecedores.

Por Eric Boano vice-presidente e fundador da Costdrivers

Big Data

Blockchain

cadeia de suprimentos

Compras 4.0

Costdrivers

Deloitte

Eric Boano

indústria 4.0

Inteligência Artificial

Machine Learning

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital
Edição do mês

Leia nesta edição:

Leia nessa edição sobre tecnologia

CAPA | TENDÊNCIAS

Tecnologias imersivas ganham impulso nos negócios

Leia nessa edição sobre carreira

INDÚSTRIA 4.0

Fábrica conectada

Leia nessa edição sobre setorial | saúde

SERVIÇOS

Trunfos dos menores

Esta é para você leitor da Revista Digital:

Leia nessa edição sobre sustentabilidade

TENDÊNCIAS

A casa também foi para a Nuvem

Julho| 2021 | #48 - Acesse:

Infor Channel Digital

Baixe o nosso aplicativo

Google Play
Apple Store

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento