book_icon

Tecnologia na Educação: escalável quando se tem neutralidade

Tecnologia na Educação: escalável quando se tem neutralidade

Dizia um velho sábio que ao subir numa montanha é possível observar uma cidade inteira, compreender melhor de tudo o que acontece, quais são as entradas, as saídas, as ruas principais. O Google, por exemplo, tem tecnologia para isso.

Em 2017, “subimos” uma montanha para olhar do alto como estava a situação da educação brasileira. De forma muito particular, observamos as escolas, as salas de aula. A partir disso, pensamos em como ajudar a construir a educação no futuro no Brasil, e como poderia ser mais fluida e qual a função da tecnologia neste contexto.

Enxergamos um gap dentro das salas de aula – e fora delas também. Observamos a tecnologia em sala de aula – e porque não dizer, na casa de cada aluno, seus familiares e professores. Vimos um cenário caótico, onde cada um utilizava de forma particularizada a internet, os aplicativos, as redes sociais, as plataformas. Não existia um padrão de conexão, e o próprio tipo de aparelho de celular de cada usuário impossibilitava uma integração melhor.

Desde o início pensamos em como integrar escolas, professores, alunos, pais, comunidade. Como implantar gamificação – leia-se, jogos digitais para a aprendizagem e avaliação. Como inserir a tecnologia de forma ampla e segura, para fazer essa integração de comunicação, com engajamento, ensino e aprendizagem.

Começamos a desenvolver aplicativos. Nossa primeira ação foi criar agendas digitais para as escolas, pois precisávamos melhorar a comunicação com a família. O aplicativo era uma porta de entrada mais palpável porque também possibilitava engajar, ao mesmo tempo, alunos e professores. O desafio passou a ser a evolução do produto.

Partimos para a segunda fase do nosso produto: o B2B2C, voltado para pais e responsáveis. Em parceria com um fornecedor que permitia acesso a livros, conseguimos avançar o produto e a integração. Mas ainda precisávamos entregar mais.

No início da terceira fase, tudo ainda era muito conflitante às vésperas de 2020. Tecnologia não é um interruptor que acende ou apaga a luz. É preciso pensar todos os detalhes da arquitetura e do desenvolvimento do produto.

Apesar dos conflitos, esta fase gerou também uma nova energia: se seria difícil gerar impacto em um futuro próximo, por outro tudo indicava que estávamos no caminho certo.

O que angustiava na época era pensar que estávamos muito à frente do nosso tempo. Para entender o dilema, primeiro é preciso visualizar todo esse processo. Imagine que a educação – no Brasil e em diversos países — ainda se alimenta de uma mentalidade arcaica, um sistema educacional que parou no século 19. Para quem não está familiarizado com o ecossistema educacional saiba que ainda educamos com um modelo muito lento e manual. Sim, a mesma estrutura que você encontrou em sala de aula quando era criança ainda está presente nas salas de aula de muitas escolas em pleno século XXI!

É a tecnologia, Senhoras e Senhores!
No início dos anos 1990, George Bush (pai) tinha 90% de aprovação, mas viu seu apoio popular desaparecer rapidamente após ordenar a invasão ao Iraque. Nas eleições de 1992, Bill Clinton, que concorria à Presidência dos Estados Unidos contra Bush, queria criticar e se manifestar contra a Guerra do Golfo. Mas o foco não era esse. Foi então que o estrategista político de Clinton, James Carville, mostrou o ponto fraco do governo Buch e o verdadeiro motivo da insatisfação dos americanos: “É a economia, estúpido!”.

No sistema educacional nem sempre é fácil acertar a estratégia. Mas, felizmente, descobrimos que estávamos na direção certa, focados e com um ponto forte a nosso favor: É a tecnologia!

No início do ano letivo de 2020, quando foi decretada a pandemia da Covid-19, as escolas tiveram que se adaptar rapidamente. A tecnologia foi implantada além de suas fronteiras habituais. Foi impactante porque era preciso fazer a atualização de dados, de sistemas, desenvolver aplicativos e ferramentas para manter a educação – e as escolas – funcionando.

Várias foram as dificuldades para essa adaptação repentina. Entre delas, dar acesso de forma simplificada para todos os usuários. Difícil, porque todos acessavam as plataformas, sistemas e redes sociais com diferentes logins. Dá para imaginar o caos!

Com a exigência de uma “conexão” universal, desde o uso do e-mail até as ferramentas mais simples, como redes sociais, com as quais estamos familiarizados e nas quais passamos boa parte do nosso tempo, era preciso agilidade no processo.

Foi neste contexto para conquistar o engajamento dos usuários que nos encaixamos ao unificar experiências, logins, interfaces, aplicações dentro do ecossistema educacional inteiro. Tudo isso para se comunicar, ensinar, aprender e avaliar cada ente da educação –alunos, pais, professores, coordenadores, diretores, mantenedores e a própria comunidade escolar.

Para chegar a essa unificação, foi preciso pensar e olhar para os desenvolvedores. Não bastava resolver as complexidades técnicas, até porque os desenvolvedores conhecem profundamente tecnologia, programação, etc. Mas, muito vezes, é preciso compreender o sistema educacional e pedagógico.

O caminho das pedras
Para checar à terceira fase, que chamamos de “Conexões”, trabalhamos desde 2018 para oferecer ao usuário um modelo unificado, com todas as necessidades incluídas e tudo funcionando em tempo real.

Foi assim que chegamos ao Super App, criado para ser implementado não apenas pela Layers Education, mas pelos sistemas de gestão das escolas e por outras Edtechs. Abrimos as portas para que os desenvolvedores em geral pudessem integrar produtos e serviços de terceiros. Esse é o princípio holístico do nosso Super App.

Para isso, desenvolvimentos um framework de maneira simples para as EdTechcs – as chamadas Startups da Educação. Permitimos que tudo seja implantado e integrado individualmente e incorporado dentro do Super App. E melhor: com custos reduzidos.

O caminho das pedras exigiu “subir” na montanha do mundo da educação novamente e observar as Edtechs, que talvez tivessem propostas similares a nossa. Não encontramos nada parecido. A Layers Education é a única no Brasil que consegue unificar a experiência dos usuários, como uma espécie “Hub”, com um Super App, um marketing Place.

Para simplificar e unificar tudo no nosso Super App, a neutralidade da rede foi a base essencial e o diferencial encontrado para o desenvolvimento do produto. Além da robustez, segurança e confiabilidade do Super App, a neutralidade permitiu chegar à um produto final escalável.

Depois de vários anos e análise de todos os aspectos inerentes à tecnologia e à educação, conseguimos um resultado satisfatório, que engaja e conecta todos os clientes, desde EdTechs até alunos, pais, professores, gestores, coordenadores, mantenedoras, escolas, sistemas de ensino, universidades.

Por Ivan Seidel, Layers Education

EdTechcs

gamificação

Google

Ivan Seidel

Layers Education

salas de aula

Tecnologia na Educação

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital
Edição do mês

Leia nesta edição:

Leia nessa edição sobre tecnologia

TECNOLOGIA

A um clique das melhores tecnologias

Leia nessa edição sobre carreira

CUSTOMER EXPERIENCE

Cliente no centro de tudo

Leia nessa edição sobre setorial | saúde

GESTÃO

Serviços de impressão turbinados

Esta é para você leitor da Revista Digital:

Leia nessa edição sobre sustentabilidade

TENDÊNCIAS

Cabeça de papel sobrevive no mundo digital

Maio| 2021 | #46 - Acesse:

Infor Channel Digital

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento
evento Launch Meeting: Synnex Westcon & ZOOM.
Webinar
Brand do Evento
Icon Calendar

20/05/2021

Icon Calendar

São Paulo / SP

Launch Meeting: Synnex Westcon & ZOOM.

Participe deste Webinar e conheça o portfólio e programa de canais ZOOM e as vantagens e diferenciais SYNNEX.

Acesse o site do Evento
evento Desafios do ICMS
Palestra
Brand do Evento
Icon Calendar

17/05/2021

Icon Calendar

Fortaleza / CE

Desafios do ICMS

André Mendes Moreira, sócio do SCMD, participa de live realizada pelo pelo IBET em parceria com a SEFAZ do Ceará.

Acesse o site do Evento
evento PRÊMIO EXCELÊNCIA EM DISTRIBUIÇÃO
Premiação
Brand do Evento
Icon Calendar

20/05/2021

Icon Calendar

São Paulo / SP

PRÊMIO EXCELÊNCIA EM DISTRIBUIÇÃO

Prêmio estimula o setor e identifica qualidade das operações na visão dos parceiros

Acesse o site do Evento