book_icon

Hitachi e Rainforest analisam dados para prevenir extração ilegal de madeira

Com o objetivo de proteger árvores e animais, novos recursos de análise preditiva fornecerão aos guardas-florestais um aviso prévio de até cinco dias informando quando haverá extração ilegal de madeira

A Hitachi Vantara, subsidiária de infraestrutura e soluções digitais da Hitachi, e a Rainforest Connection, organização sem fins lucrativos que usa dados em tempo real para impedir o desmatamento e a caça furtiva, desenvolveram uma solução única que usa dados acústicos para prever a extração ilegal de madeira em florestas tropicais.

De acordo com a Organização não governamental internacional World Wide Fund for Nature (WWF), a cada dois segundos, uma área de floresta tropical do tamanho de um campo de futebol é destruída  

De acordo com a Organização não governamental internacional World Wide Fund for Nature (WWF), a cada dois segundos, uma área de floresta tropical do tamanho de um campo de futebol é destruída, causando a extinção de centenas de espécies de animais e plantas todos os anos, contribuindo para secas e ameaçando reservas indígenas em vários continentes. Segundo uma pesquisa da Rainforest Alliance, o desmatamento é responsável por 10% de todas as emissões mundiais de carbono, sendo um grande contribuinte para o aquecimento global, com até 90% (WWF) do desmatamento atribuído à extração ilegal de madeira.

A Rainforest Connection construiu dispositivos chamados ‘guardians’ que foram instalados no alto das copas das florestas para coletar dados acústicos. Os dispositivos detectam ruídos de motosserra em tempo real e enviam aos guardas-florestais um arquivo de áudio para que eles possam verificar o local. Todo esse processo pode levar até 14 dias e, em alguns casos, as árvores são perdidas quando os guardas chegam.

Já a contribuição da Hitachi Vantara, foi na criação de uma solução que reduzisse o tempo dos guardas na identificação do local. Usando a tecnologia de análise de dados Lumada, a empresa construiu algoritmos que criam uma linha de base dos sons da floresta tropical. Dessa forma, essa assinatura bioacústica simplifica e acelera o processo de identificação de anomalias. Por exemplo, antes de ligar uma motosserra, os madeireiros costumam explorar os locais com antecedência. A presença destes madeireiros causa uma mudança nas assinaturas acústicas das espécies e sinaliza uma perturbação para o meio ambiente. A solução da Hitachi Vantara detecta esses avisos antecipados e alerta os guardas-florestais em tempo real, com isso, eles podem ganhar até cinco dias de antecedência para chegar ao local.

“Os projetos com a Hitachi Vantara são uma mudança de jogo para Rainforest Connection”, disse Topher White, CEO da Rainforest Connection. “Seremos capazes de aumentar nossas operações e fornecer aos guardas-florestais maior certeza sobre quando os eventos ilegais provavelmente acontecerão”.

A parceria entre as empresas foi estabelecida em 2019, após a doação de $ 250.000,00 dólares da Hitachi Vantara para apoiar a missão da Rainforest Connection. Ambas trabalham juntas para co-criar a solução bioacústica. Agora, o projeto está programado para implementação para toda a rede de guardiões do Rainforest Connection em 2021, localizados em mais de 11 países.

“Na Hitachi, acreditamos no poder dos dados para beneficiar os negócios e a sociedade. Estamos imensamente orgulhosos de nossa parceria com a Rainforest Connection para fazer uma diferença significativa na luta contra as mudanças climáticas”, finaliza Gajen Kandiah, CEO da Hitachi Vantara.

Serviço
www.hitachivantara.com
www.hitachi.com.

 

extração ilegal de madeira

Gajen Kandiah

Hitachi Vantara

Rainforest Connection

recursos de análise preditiva

Topher White

World Wide Fund for Nature (WWF)

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.