book_icon

Nokia reduzirá pela metade emissões de carbono, de 2019 a 2030

 A iniciativa Science Based Targets (SBTi) estabeleceu as novas metas da Nokia, no compromisso de limitação do aumento da temperatura global de 1,5°C. As emissões serão reduzidas tanto em produtos Nokia em uso com seus clientes quanto nas próprias operações da empresa
Nokia reduzirá pela metade emissões de carbono, de 2019 a 2030

A Nokia acaba de anunciar que reduzirá suas emissões em 50%, tanto em suas próprias operações quanto em produtos em uso, até 2030. As novas Metas Baseadas na Ciência (SBTs) da empresa cumprem o compromisso de recalibragem, de acordo com um cenário de aquecimento global de 1,5°C.

A Nokia se comprometeu pela primeira vez com as Metas em 2017, inicialmente com para limitar o aquecimento global a 2°C. A empresa alcançou 90% de sua economia de metas dentro de suas próprias operações (escopo 1 e 2) em tempo recorde, 11 anos antes do prazo estabelecido, e estava no caminho certo para entregar suas metas de ‘escopo 3’ para produtos em uso com seus clientes.

As SBTs são acordadas junto à iniciativa Science Based Targets (SBTi), que trabalha com empresas do setor privado para validar metas de redução de emissões, de acordo com exigências globais  

A Nokia está, agora, adotando metas mais ambiciosas que buscam limitar o aquecimento global em até 1,5°C, tomando o ano de 2019 como referência . Os objetivos foram expandidos e passaram a cobrir cerca de 100% do atual portfólio de produtos da empresa. Eles agora contemplam emissões de fábricas de logística e montagem dentro da cadeia de suprimentos, assim como emissões das próprias operações da Nokia.

Pekka Lundmark, presidente e CEO da Nokia, disse: “Nos últimos anos, temos liderado o caminho na redução das emissões de nossas próprias operações e no apoio aos nossos clientes a fazer o mesmo, com inovação contínua, para tornar nossos produtos mais eficientes em termos energéticos. Mas a mudança climática é uma corrida contra o tempo. Essas metas climáticas mais duras, novas e cientificamente calibradas significam que iremos mais e mais rápido para reduzir nossa pegada de carbono e garantir que a sustentabilidade esteja no centro do nosso design de produtos e das soluções inteligentes que proporcionamos ”.

As SBTs são acordadas junto à iniciativa Science Based Targets (SBTi), que trabalha com empresas do setor privado para validar metas de redução de emissões, de acordo com exigências globais. A SBTi atualizou os objetivos da Nokia no site https://sciencebasedtargets.org/ no último dia 4 de março.

Os produtos em uso são a maior parte da pegada de carbono da Nokia e a empresa está abordando de múltiplas maneiras, desde a eficiência energética de hardware e software até o design do produto, passando pela modernização e melhor aproveitamento dos recursos. Por exemplo:

O chipset Nokia ReefShark, usado em produtos de rádio AirScale, reduz o uso de energia em até 66%.

A empresa foi a primeira a entregar uma estação base 5G resfriada líquida em operação comercial, que pode reduzir o consumo de energia do sistema de resfriamento da estação base em 90%, e as emissões de CO2 dos produtos de rádio AirScale em 80%, incluindo a reutilização opcional de calor de resíduos.

Sua Antena Compact Active consome muito menos materiais do que qualquer outro produto macro legado.

O serviço Nokia AVA Energy Efficiency pode reduzir o uso de energia em 20% através da Inteligência Artificial baseada na nuvem, que alimenta partes da rede de rádio quando os níveis de tráfego estão baixos.

Em dezembro de 2020, a empresa foi reconhecida por suas contribuições para o corte de emissões, mitigação dos riscos climáticos e desenvolvimento de uma economia de baixo carbono, além de ter sido incluída na Lista A do CDP na categoria mudanças climáticas, o principal padrã para a divulgação de temas sobre pegada de carbono.

As informações e divulgação das emissões são fornecidas no relatório People and Planet. O próximo relatório será publicado em abril de 2021.

A iniciativa Science Based Targets (SBTi) impulsiona uma ação climática ambiciosa no setor privado, permitindo que as empresas estabeleçam metas de redução de emissões baseadas na ciência. O SBTi é uma parceria entre o CDP, o Pacto Global das Nações Unidas (UNGC), o World Resources Institute (WRI) e o World Wide Fund for Nature (WWF). A chamada SBTi para a ação é um dos compromissos da Coalizão Empresarial We Mean.

Através do Acordo de Paris de 2015, os governos mundiais comprometeram-se a limitar o aumento da temperatura global a bem abaixo de 2°C acima dos níveis pré-industriais e buscando esforços para limitar o aquecimento a 1,5°C. Em 2018, o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) alertou que o aquecimento global não deve exceder 1,5°C acima das temperaturas pré-industriais para evitar os impactos catastróficos das mudanças climáticas. Para isso, as emissões de gases de efeito estufa (GEE) devem reduzir pela metade até 2030 – e cair para zeroaté 2050.

Entendendo o escopo 1, 2 e emissões

Escopo 1. Emissões diretas, de fontes de propriedade ou controladas pela empresa

Escopo 2. Emissões indiretas do consumo de eletricidade, calor e/ou vapor adquiridos

Escopo 3. Emissões indiretas como consequência das atividades da empresa, mas de fontes não pertencentes ou controladas pela empresa.

Serviço
http://nokia.com

Antena Compact Active

emissões de carbono

Metas Baseadas na Ciência (SBTs)

Nokia

Nokia AVA Energy Efficiency

Pekka Lundmark

Science Based Targets (SBTi)

Últimas Notícias
Você também pode gostar
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.