book_icon

Agricultura 4.0: a aplicação da LGPD para a proteção de dados com valor econômico

Dados são controle e poder para criar serviços e produtos, potencializando a eficiência e a lucratividade das empresas. Com a pandemia do Coronavírus, percebemos o aumento no uso de aplicativos e de novas tecnologias, resultando num crescimento do fluxo de dados em todos os setores econômicos, inclusive no agrícola.

Com o aumento da acessibilidade aos smartphones e à rede mundial de computadores, o ambiente rural se aproximou de tecnologias como Big Data, IoT (Internet das Coisas) e IA (Inteligência Artificial). Com isso, questões de privacidade e de segurança despontaram, pois nos dados extraídos de máquina, produção, fundiário e financeiro, temos informações, que identificam lavradores e funcionários, assim como os clientes e os próprios produtores, por exemplo. Esses dados pessoais têm valor econômico considerável, o que desperta interesse para a exploração de novos negócios.

Isso torna o agronegócio indissociável à Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, vigente desde setembro de 2020 e que passou a exigir uma nova postura sobre o tratamento de dados pessoais e direitos de seus titulares, impondo a priorização da segurança e da privacidade às empresas, que podem ser multadas pelo não cumprimento às normas e por diferentes órgãos.

No Brasil, a Confederação da Agricultura e Pecuária (CNA) apresentou preocupações com a privacidade e segurança de dados pessoais rurais, inclusive sobre a possibilidade deles serem utilizados para influenciar mercados de commodities. Na outra ponta, a Associação Brasileira de Sementes e Mudas (Abrasem) tem defendido uma posição mais voltada à liberdade, alegando possibilidade de perda de inovação e competitividade no setor.

Neste contexto, é preciso equilibrar o desenvolvimento e a privacidade. Assim como é exigida a proteção de dados pessoais e não-pessoais, também é necessário impulsionar os negócios e o desenvolvimento. Esta é a postura ideal e alguns códigos de conduta surgiram com esse propósito ao redor do mundo.
Em 2014, a American Farm Bureau Federation (AFBF), trabalhando com grupos de commodities, de organizações agrícolas e de fornecedores de tecnologia, estabeleceu os Princípios de Privacidade e Segurança para Dados Agrícolas e aprovou a autorregulação de dados não pessoais com princípios alinhados à LGPD.

Num outro continente, em 2018, uma coalizão de associações da cadeia agroalimentar da União Europeia lançou um código de conduta sobre compartilhamento de dados agrícolas. Prevendo o aumento da disponibilidade de informações entre as organizações e a velocidade da inovação, a Nova Zelândia também aprovou um Código de Prática dos Dados Agrícolas, que incrementou a possibilidade de um processo de acreditação não oneroso.
Esses movimentos comprovam que a privacidade e a proteção de dados são parte do agronegócio e, portanto, a LGPD não é uma opção, mas uma realidade do setor, sobretudo para as empresas que querem permanecer competitivas e atualizadas nesta nova Era Digital. Existe uma longa jornada pela frente e, agora, mais que antes, é preciso conformidade.

Por Bruno dos Santos, consultor sênior em Data Privacy na Icts Protiviti

Agricultura 4.0

Bruno dos Santos

Icts Protiviti

LGPD

Últimas Notícias
Você também pode gostar

Comentários

Os comentários estão fechados nesse post.
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital
Edição do mês

Leia nesta edição:

Leia nessa edição sobre tecnologia

CAPA | TECNOLOGIA

5G impõe seu ritmo

Leia nessa edição sobre carreira

MERCADO

Brincadeira de gente grande

Leia nessa edição sobre setorial | saúde

GESTÃO

Backup: a última linha de defesa

Esta é para você leitor da Revista Digital:

Leia nessa edição sobre sustentabilidade

NEGÓCIOS

Terceirização de equipamentos

Maio 2022 | #57 - Acesse:

Infor Channel Digital

Baixe o nosso aplicativo

Google Play
Apple Store

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento