book_icon

Nuvem híbrida é principal tema do Red Hat Forum

Evento anual de tecnologia de open source apresenta as últimas notícias e tendências do setor
Nuvem híbrida é principal tema do Red Hat Forum

nuvem híbridaA nuvem híbrida foi o principal tema da abertura do Red Hat Forum Latin America, evento anual de tecnologia open source que acontece hoje (22/09) de forma online. “Este é um complemento do Red Hat Summit, que ocorre todos os anos entre abril e maio. São eventos muito focados no tema da inovação aberta, não de produtos ou tecnologias, mas de transformação dos negócios”, disse Paulo Bonucci, gerente geral Rede Hat para a América Latina.
Segundo o executivo, com a pandemia de Covid-19, cresceu o uso de serviços virtuais, o que exige a necessidade de operar em uma plataforma com arquitetura de nuvem, privada, pública ou híbrida. “Em nossa visão, as tecnologias abertas são mais adequadas às necessidades de agilidade, flexibilidade e segurança. Acreditamos que a velocidade e a qualidade de inovação proporcionada pelo código aberto são melhores e maiores em comparação à tecnologia proprietária”, afirmou.

O nome do jogo neste cenário é agilidade, o que se traduz em tecnologia de nuvem híbrida, aberta e descentralizada  

Bonucci embasa sua afirmação com uma pesquisa que é feita pela empresa anualmente. “Constatamos que 63% das empresas já têm uma infraestrutura de TI feita em tecnologia de nuvem híbrida. Dos 37% que não têm, metade tem planos para adequar sua infraestrutura para nuvens híbridas”, disse. Outra questão mostrou que 33% dos entrevistados afirmaram que suas estratégias são baseadas em nuvens híbridas, 13% em nuvem privada e 10% em nuvem pública. “A pesquisa ainda mostrou que 83% dos entrevistados acham que o código aberto é um componente fundamental para a construção dessas nuvens, que proporciona maior agilidade e flexibilidade, e 86% disseram que as empresas mais inovadoras usam tecnologia de código aberto”, disse.
“Aqui entra a Red Hat, que há quase três décadas faz tudo em código aberto, inclusive o que compramos e tinha código proprietário, abrimos e compartilhamos com as comunidades”, afirmou Bonucci. “Este nosso modelo de desenvolvimento está em nossa história, que começou em 1993 com o Linux, passou por uma série de aquisições, sempre voltadas para fortalecer as nossas ofertas e não para aumentar a base de clientes, até a compra da Red Hat pela IBM em 2019”.
Combinação poderosa
Ana Paula Assis, gerente geral da IBM para a América latina, também participou da abertura do evento. Segundo a executiva, o mercado está saindo da fase de Transformação Digital para a aceleração digital. “O nome do jogo neste cenário é agilidade, o que se traduz em tecnologia de nuvem híbrida, aberta e descentralizada. Isso é que vai ajudar as empresas a fazerem esse processo de aceleração de maneira eficiente e segura”, afirmou.
Em sua opinião, a dobradinha IBM e Red Hat vai ajudar os clientes em quatro grandes dimensões. Primeiro modernizando as aplicações existentes, que fazem parte do legado, mas que são críticas. Um segundo aspecto importante é como extrair valor dos dados. “Pesquisas mostram que até 90% dos dados armazenados nas empresas não são acessados e não geram valor”, disse Ana Paula. Outro ponto, segundo a executiva, é como trazer mais automação aos processos de negócios de maneira inteligente, como criar fluxos de trabalho que sejam automatizados, com capacidade de Inteligência Artificial e robótica, pois cada vez mais é preciso agilidade no processo de tomada de decisão. Por último, ao abrir a empresa e conectar, é preciso garantir a segurança e conformidade sobre as regulações as quais a empresa está subordinada. “Estes são desafios gigantescos e que só uma arquitetura híbrida aberta pode contribuir para esse processo de transformação”, afirmou.
“A gente traz uma combinação muito poderosa, pois de um lado tem a experiência da Red Hat em trabalhar nos ecossistemas de desenvolvimento open source, com acesso a um capital intelectual vastíssimo, que se atualiza e se renova a cada dia, tudo isso combinado a uma empresa como a IBM, que trabalha com clientes em missões críticas há quase cem anos”, lembrou. “Meses após a aquisição da Red Hat, certificamos todas as nossas plataformas de hardware para estar 100% aderentes às tecnologias da Red Hat, e mudamos todos os nossos processos de desenvolvimento de software, que hoje é feito no conceito de contêineres com Openshift da Red Hat”, finalizou.
Serviço
www.redhat.com
 

Ana Paula Assis

código aberto

IBM

Nuvem híbrida

Open Source

OpenShift

Paulo Bonucci

Red Hat

Últimas Notícias
Você também pode gostar
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital
Edição do mês

Leia nesta edição:

Leia nessa edição sobre tecnologia

CAPA | TECNOLOGIA

5G impõe seu ritmo

Leia nessa edição sobre carreira

MERCADO

Brincadeira de gente grande

Leia nessa edição sobre setorial | saúde

GESTÃO

Backup: a última linha de defesa

Esta é para você leitor da Revista Digital:

Leia nessa edição sobre sustentabilidade

NEGÓCIOS

Terceirização de equipamentos

Maio 2022 | #57 - Acesse:

Infor Channel Digital

Baixe o nosso aplicativo

Google Play
Apple Store

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento