book_icon

Supply chain em tempos de mudanças na demanda

A quarentena adotada para diminuir o contágio pelo novo coronavírus, ao mesmo tempo que reduziu o número de pessoas infectadas, também trouxe uma crise econômica mundial que afeta toda a cadeia produtiva, incluindo comércio e serviços. Nesse contexto, a área de supply chain também foi impactada, sendo exposta a diversos desafios estratégicos e operacionais. Enquanto setores essenciais, como o alimentício e de medicamentos, se tornaram os mais demandados, outros pararam, como shopping centers e cinemas.
A área de supply chain enfrentou atrasos e até mesmo interrupções de fornecimento, impactos nas demandas de seus clientes, aumentos de custos, riscos logísticos, além de dificuldades com importações e exportações de produtos.
Com todos os desafios já existentes na operação, ainda houve mudança cultural para muitas empresas, com a implantação do home office. Algo que não era tão comum na realidade brasileira e fez com que as empresas se reinventassem do dia para a noite.
Isso modificou diretamente os papéis e responsabilidades das áreas de Compras e Logística, que até então eram muito cobradas para reduzir custos, com o objetivo de comprar e entregar com o menor desembolso para a empresa.
Porém, essas áreas já vinham em um processo de aperfeiçoamento e até mesmo se reinventando para agregarem ainda mais valor para as empresas e, com essa mudança total de cenário, foi necessário acelerar a adequação e torná-las áreas estratégicas. Isso só foi possível através da tecnologia.
Agora, com o distanciamento social, a melhor forma de gerir a empresa, assim como suas demandas e as equipes é por meio de ferramentas tecnológicas. Além de garantirem o compliance, facilitam a comunicação entre os envolvidos, como requisitantes, compradores e fornecedores. Também ajudam a comparar indicadores e preços, ter acesso a marketplace com milhares de fornecedores, gerenciar entregas, entre outras ações.
Existem soluções que permitem tornar o processo de compras totalmente digital e integrado, desde a gestão de fornecedores até o controle de pagamento de notas fiscais. Em logística não é diferente, é possível gerir os processos da área desde a criação de viagens até a entrega de produtos, em uma plataforma intuitiva. Com isso, há ganho de eficiência e redução de custos. São importantes recursos, tanto em compras quanto em logística, capazes de dar agilidade para toda a cadeia de suprimentos e que ajudaram – e ajudam – as empresas a se adaptarem ao cenário atual.
Vale notar que a adequação aos novos tempos foi rápida, quando consideramos que presenciamos algo nunca antes vivido, sem que haja a possibilidade de se buscar algum embasamento histórico para ajudar nas tomadas de decisões.
O ajuste rápido vai ao encontro da dinâmica de aproximação entre cliente e fornecedor. Pois, assim como existem setores em alta, há muitos outros em baixa, tornando a parceria entre as duas partes essencial e estratégica para que ocorram novos ajustes.
O sucesso da adequação irá variar de empresa a empresa e não existe fórmula para isso. Mas sabemos que a aproximação entre clientes e fornecedores, com transparência e visibilidade, a fim de que juntos tomem as melhores decisões, tem sido a melhor escolha para todos.
Por Carolina Cabral, Head of Procurement da Nimbi

Carolina Cabral

distanciamento social

ferramentas tecnológicas

Head of Procurement da Nimbi

home office

mudanças na demanda

supply chain

Últimas Notícias
Você também pode gostar
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento