Informe aqui

Docas do Rio e Marinha promovem ações para melhorar o tráfego marítimo

Um grupo de trabalho (GT), formado por representantes da Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ), da Marinha do Brasil, da Praticagem e das empresas arrendatárias dos terminais conteineiros do Porto do Rio de Janeiro, esteve reunido nesta quarta-feira, dia 03 de julho, na sede da CDRJ. O objetivo foi prosseguir com os estudos dos projetos que visam melhorar a eficiência da navegação nos canais de acesso ao porto e ampliar os sistemas de monitoramento do tráfego aquaviário da Baía de Guanabara.

O diretor-presidente da CDRJ, Francisco Antonio de Magalhães Laranjeira fez a abertura do encontro, conduzido pelo Gestor de Vtmis (Vessel Traffic Management Information System) do Porto do Rio de Janeiro, Marcelo Santiago Villas-Bôas, e que contou com a presença, entre outras, do Capitão dos Portos do Rio de Janeiro (CPRJ), Capitão de Mar e Guerra André Luiz de Andrade Felix.

Nesta reunião, o grupo discutiu dois projetos: a condução dos testes para homologação do software de calado dinâmico ReDRAFT, desenvolvido pela empresa Argonáutica, bem como a sinalização náutica e balizamento dos canais de acesso de Cotunduba e da Barra Grande, cujo projeto será desenvolvido pela empresa Precursore, e que deverá contar com corridas de simulação a serem realizadas no Instituto Nacional de Pesquisas Hidroviárias (INPH).

O Gestor do Vtmis aproveitou a oportunidade e apresentou aos membros do GT o andamento do projeto de implantação do Vtmis no Porto do Rio de Janeiro e que irá ampliar o sistema de monitoramento das embarcações em toda a área de interesse da Baía de Guanabara por meio de investimentos em infraestrutura que envolverá um centro de controle operacional e modernos equipamentos tais como estações remotas (radares, sensores e marégrafos), boias meteo-oceanográficas e câmeras de longo alcance, entre outros.

Já o projeto de sinalização náutica (presencial e virtual) apresentado prevê a inclusão de transceptores AIS AtoN nas boias hoje existentes e acrescentar novas boias com o mesmo dispositivo. O objetivo é promover uma navegação segura e eficiente das embarcações nos canais de acesso ao porto, agregando inovação tecnológica com redução de custos para implantação e manutenção.

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.

Assine a nossa Newsletter

e receba informações relevantes do mercado TIC

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório

Agenda & Eventos